Tentativa por Thiago Neves tumultua Atlético. Culpa de Mattos

O executivo de futebol do Atlético levou à frente uma negociação inexplicável. Irritou Sampaoli, torcida, diretoria. Pedido de desculpas não resolve

Sampaoli. Revoltado com a não contratação de Thiago Neves. E com salários atrasados

Sampaoli. Revoltado com a não contratação de Thiago Neves. E com salários atrasados

Reprodução/Twitter

São Paulo, Brasil

Estava tudo indo bem.

Jorge Sampaoli havia vencido o Campeonato Mineiro e estava mantendo a equipe entre as primeiras no Brasileiro, enquanto a entrosava.

Seguia com sua sede de contratações, que tanto atormentou a diretoria do Santos.

R$ 140 milhões de reforços não bastavam.

Foi quando ele soube de Thiago Neves, meia talentoso, experiente, que estava deixando o Grêmio.

Caberia ao executivo de futebol, Alexandre Mattos, matar o mal pela raiz. Dizer o quanto este jogador humilhou a torcida do Atlético Mineiro.

Preferiu acreditar que os torcedores aceitariam o reforço, pensando no sonho da conquista do Brasileiro, depois de 49 anos.

E negociou com Thiago Neves, oferecendo contrato até o final do torneio nacional. Com a chance de renovação por mais um ano.

Acordo fechado e assinado.

Ao ser tornado público, veio a revolta gigantesca. Não só de torcedores comuns, mas de membros da direção, do conselho do clube.

O próprio vice-presidente do clube, Lásaro Cândido, veio à público para garantir que não aprovava a negociação.

E o contrato teve de ser desfeito.

Thiago Neves cansou de humilhar o Atlético. Inacreditável pensar na sua contratação

Thiago Neves cansou de humilhar o Atlético. Inacreditável pensar na sua contratação

Reprodução/Twitter

Além de não ter enxergado o óbvio, Mattos outra vez errou. Acreditou que um mero pedido de desculpas acabaria com o clima ruim que ele instaurou no Atlético.

"Nós queremos buscar o nosso sonho, que é tentar ser campeão brasileiro. Se isso incomodou, eu peço, humildemente, desculpas. Mas o assunto está encerrado. Vamos olhar para frente", disse Mattos, à radio Itatiaia.

Só que ele não olhou para os lados. Jorge Sampaoli ficou irritadíssimo com o fracasso da negociação. E tratou de cobrar os dirigentes.

Quer os salários dos jogadores pagos em dia.

Estão atrasados em dois meses.

O patrocinador coloca dinheiro em atletas.

Não no pagamento mensal do time.

Caso a situação perdure, o treinador irá embora em dezembro, quando sua multa de 3 milhões de euros, R$ 18,8 milhões, cairá pela metade, e poderá encontrar um clube disposto a pagá-la.

Além disso, o técnico exige a contratação de um meia com as características de Thiago Neves.

Mas as torcidas organizadas não se contentaram com a negociação desfeita.

Revoltadas, elas foram protestar diante da sede do clube, pelo 'desrespeito' de a transação ter acontecido.

Fecharam as ruas em frente ao Atlético.

E passaram a soltar rojões, acenderam sinalizadores.

Xingaram muito Thiago Neves.

Se queixaram de Mattos, da diretoria.

Pediram respeito ao clube.

O clima que estava de euforia, virou de pressão.

Puro desconforto.

VIce-presidente do Atlético Mineiro. Deixando claro que não aprovava a negociação

VIce-presidente do Atlético Mineiro. Deixando claro que não aprovava a negociação

Reprodução Twitter

Por falta de visão do homem responsável pelo futebol.

E que tem o apelido de 'Mitto'.

Situação lastimável.

E plenamente previsível.

Por seu erro, o Atlético se complica...

Neymar e muitos outros: relembre episódios de racismo no futebol