Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Cosme Rímoli - Blogs
Publicidade

Show de Whindersson Nunes não acontecerá em São Januário. SAF não libera o gramado. Direção do Vasco não pôde aceitar

Divergência entre 777 Partners e direção do Vasco trava a liberação do estádio de São Januário para show de comediante, em prol das vítimas da calamidade que domina o Rio Grande do Sul.

Cosme Rímoli|Cosme RímoliOpens in new window

Whindersson Nunes não teve a liberação da cúpula da 777 Partners, dona da SAF do Vasco. E show não acontecerá em São Januário

O Vasco não dará sua contribuição para as vítimas das enchentes do Rio Grande do Sul.

Não por ordem da cúpula da SAF 777 Partners.

Foi ela quem negou a possibilidade do show como Whindersson Nunes imaginava.

Com direito a palco e público no gramado e nas arquibancadas.

Publicidade

O sonho era ter 50 mil pessoas.

A ideia, aceita pela direção do Vasco, era colocar proteção especial para proteger o gramado.

Publicidade

Como acontece nos grandes estádios não só do Exterior.

Como no Brasil.

Publicidade

Maracanã, Allianz Parque, Morumbis...

Só que a direção da 777 Partners alegou que o gramado está sendo trocado.

E que está sendo colocada a relva de inverno.

O processo teria começado logo após a derrota para o Criciúma.

Diante da negativa do comediante, a SAF ofereceu três lugares para o show.

Mas todos com pouca capacidade de público.

A primeira opção seria atrás do gol da estátua de Romário.

Seriam 20 mil na arquibancada.

Palco no centro do gramado, com público só na arquibancada.

20 mil pessoas assistindo.

Atrás do gol da estátua de Roberto Dinamite, para oito mil pessoas, na arquibancada curva e gramado fora do campo.

Ou fazer o show só no final de maio, como Whindersson sonhava, com público no gramado e arquibancada.

A situação foi recusada pelo comediante, ansioso para ajudar a população gaúcha, queria o show para o final desta semana.

O presidente do Vasco, o ex-jogador Pedrinho, não pode fazer nada.

Por contrato, a 777 Partners tem o direito de negar São Januário para eventos que não sejam do time.

E há a séria desconfiança na mídia carioca que também pesou na decisão da SAF, o fato de a equipe estar despencando no Brasileiro.

Caso falhasse a cobertura do gramado, e a equipe não pudesse atuar em São Januário, seria caótico, em caso de novas derrotas.

O fantasma do rebaixamento é real.

Uma semana depois da demissão de Ramon Días, a 777 busca um treinador.

Whindersson procura outro estádio onde possa realizar seu show beneficente.

Pressionada com a negativa, a SAF vascaína promete ajudar financeiramente a população do Rio Grande do Sul.

Triste realidade do tradicional Vasco da Gama.

Clube que está dividido entre 777 e a direção do clube...






Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.