Cosme Rímoli Sem Libertadores, F1 e Seleção. Inferno astral de Galvão só piora 

Sem Libertadores, F1 e Seleção. Inferno astral de Galvão só piora 

Globo segue sem ter o narrador ao vivo desde fevereiro de 2020, por conta dos seus 70 anos e a pandemia. Contrato termina no final do ano que vem

  • Cosme Rímoli | Do R7

Galvão Bueno completará 71 anos em julho. Está sem narrar, ao vivo, há um ano e um mês

Galvão Bueno completará 71 anos em julho. Está sem narrar, ao vivo, há um ano e um mês

Reprodução Sportv

São Paulo, Brasil

O inferno astral de Galvão Bueno segue firme.

Cruel.

O narrador, que fará 71 anos, em julho, segue acumulando péssimas notícias.

Desde 4 de maio de 2018, quando se tornou pública a decisão da Globo.

Seu salário de R$ 1,2 milhão seria reduzido por menos da metade.

R$ 500 mil.

Foi um baque.

Houve a liberação da emissora carioca para que ele pudesse fazer campanhas publicitárias.

A expectativa geral na Globo é que haveria fila de anunciantes e os que sobrassem investiriam nos outros narradores da emissora, que também tiveram seus vencimentos diminuídos.

Nada disso.

Apenas em julho daquele ano, sua voz anunciava a transmissão de jogos ao vivo pela companhia aérea Gol, nos seus aviões. 

"Bem amigos da Gol! Só aqui você não perde nenhum jogo, porque tem TV ao vivo para todos os destinos." 

Campanha modesta.

Galvão conseguiu fazer 'merchan' em uma oportunista volta do programa "Na Estrada Com Galvão". A intenção, em julho de 2019, era lançar o carro Jetta GLI, da Volkswagen.

 A campanha foi exibida nos programas Auto Esporte e Esporte Espetacular, assim como no Bem, Amigos!. Não foi renovada.

Galvão Bueno viu a Globo perder a Fórmula 1. Competição que era apaixonado

Galvão Bueno viu a Globo perder a Fórmula 1. Competição que era apaixonado

Reprodução/Facebook

Só em setembro de 2020, Galvão de volta à publicidade.

Desta vez fazendo propaganda para a Serasa.

O contrato termina neste mês.

Ou seja, não houve a invasão de Galvão Bueno na tevê brasileira, anunciando inúmeros produtos, para compensar a drástica diminuição do seu salário.

No dia 21 de novembro de 2019, o narrador sofreu infarto no Peru. Havia viajado para transmitir a decisão do seu time de coração, o Flamengo contra o River Plate.

Ele se recuperou.

Mas ficou evidenciada a fragilidade de sua saúde.

E, principalmente, da sua voz.

Ele passou a se poupar narrando.

Galvão Bueno fazendo propaganda para a Serasa. Rara publicidade

Galvão Bueno fazendo propaganda para a Serasa. Rara publicidade

Divulgação

Mais conversando, comentando, do que acompanhando os lances.

Muitas vezes confundindo os atletas.

Ele passou a ser poupado, reservado para os 'grandes jogos'.

Só que chegou a pandemia do Covid.

A direção da Globo determinou que seus profissionais com 60 anos, trabalhariam em casa.

Galvão Bueno narrou a última partida, ao vivo, no dia 16 de fevereiro de 2020. Foi a decisão da Supercopa do Brasil, entre Flamengo e Athletico Paranaense.

Desde então, só participa dos programas do Sportv.

E da sua casa.

O UOL revelou que a Globo articulava sua volta na partida entre Brasil e Argentina.

Galvão segue há décadas, um discurso cada vez mais vazio, de rivalidade contra os argentinos. Algo bizarro, que perde força até mesmo na emissora carioca.

Mas mesmo assim, voltaria a narrar, de casa, o jogo que estava marcado para o dia 30 de março.

A Fifa impôs à teimosa Conmebol o adiamento das duas próximas rodadas das Eliminatórias. O Brasil enfrentaria a Colômbia, dia 26 deste mês, em Barranquilla. E o confronto com os argentinos estava previsto para Pernambuco, dia 30.

Não há data para os jogos acontecerem, por conta da pandemia.

E ele seguirá afastado das transmissões.

Para piorar a situação de Galvão, a principal voz da Globo no esporte, a emissora não teve condições financeiras para manter a transmissão de competições importantes.

Perdeu a Libertadores, a Fórmula-1, jogos das Eliminatórias fora do país.

A Champions League.

O Carioca. 

E ainda briga com a Fifa na justiça, podendo perder até mesmo a Copa de 2022.

O que seria caótico.

Ele pretendia se despedir da narração, sonhando com o hexa brasileiro.

E, a partir de então, trabalhar como comentarista.

Além de apresentador do intervalo dos jogos.

Pelo menos é que ele deseja, a partir de 2023, garantem pessoas ligadas à emissora.

Galvão Bueno fará 71 anos exatamente no dia 21 de julho.

Seu contrato com a Globo terminará no final de 2022.

Não há conversas para antecipação de renovação.

Ele é o maior salário disparado do Esporte.

Estrelas de todas as áreas deixaram a emissora.

Por economia.

Renata Silveira. Contratada para narrar jogos masculinos. Vai disputar espaço com Galvão

Renata Silveira. Contratada para narrar jogos masculinos. Vai disputar espaço com Galvão

Divulgação

Ao mesmo tempo, a Globo decidiu quebrar a barreira masculina na narração.

Renata Silveira foi contratada.

E já transmitirá Moto Clube e Botafogo, amanhã.

Renata deverá se revezar na transmissão dos jogos com Cleber Machado, Luís Roberto, Gustavo Villani.

Não ficará restrita ao futebol feminino.

Ou seja, a Globo está se preparando para a aposentadoria de Galvão Bueno.

E ele sabe disso...

Últimas