Cosme Rímoli Sem festa ou empolgação. Neymar fica no PSG até 2025

Sem festa ou empolgação. Neymar fica no PSG até 2025

Brasileiro renovou contrato por mais quatro anos. Mas virou terceira preocupação no PSG. As prioridades são Messi e, principalmente, Mbappé

  • Cosme Rímoli | Do R7

A expectativa de renovação de Neymar. Vista com frieza de um coadjuvante problemático

A expectativa de renovação de Neymar. Vista com frieza de um coadjuvante problemático

Reprodução/Instagram

São Paulo, Brasil

Não há euforia, animação, orgulho.

Muito menos o seu nome estará estampado na Torre Eiffel.

Neymar renovou contrato por mais quatro anos.

A renovação é vista de maneira quase indiferente na França.

O jogador que foi comprado pelo preço mais alto da história do futebol, 222 milhões de euros, cerca de R$ 1,4 bilhão, em 2017, se tornou decepcionante. 

Conquistou dez títulos, mas apenas nacionais, no futebol francês, considerado de nível inferior, comparado às ligas inglesa, italiana, alemã e espanhola.

O jogador brasileiro foi para o PSG para se assumir como protagonista, se transformar no melhor do mundo, e conquistar a inédita Champions League. 

Fracassou nos seus principais objetivos.

E conseguiu acabar com a aura, com o orgulho que os torcedores do PSG reservavam a ele. 

Farras desrespeitosas, expulsões infantis, chiliques com árbitros, provocações a adversários, simulações. Ele foi rompendo sua imagem de ídolo. 

Não há nem comparação na admiração que ele despertava em 2017 e a que tem agora, apesar de seguir como um dos melhores jogadores do mundo.

Ele mesmo sabe que destroçou sua popularidade na França. Com sua absurda vontade de voltar para o Barcelona, desrespeitando o compromisso com o PSG, que o recebeu como um enviado dos céus. Chegou, de acordo com a imprensa espanhola, a oferecer 20 milhões de euros, cerca de R$ 127 milhões, para complementar seu pagamento e voltar à Catalunha, em 2019.

Não por acaso, torcedores organizados do PSG colocaram faixas no Parque dos Príncipes ofendendo, mandando Neymar embora. 

O desgaste foi tremendo.

Faixa dos revoltados torcedores do PSG. Ironizando a vontade de voltar ao Barcelona

Faixa dos revoltados torcedores do PSG. Ironizando a vontade de voltar ao Barcelona

Reprodução/Twitter

A renovação, que o fará ficar nove anos no PSG, também pode ser vista como a derrota no seu obssessivo arrependimento de ter deixado o Barcelona. A assinatura do contrato sepultará de vez a chance de um retorno. 

Toda empolgação de 2017 desapareceu

Toda empolgação de 2017 desapareceu

PSG

Na Catalunha, não houve comoção quando a renovação de hoje foi anunciada. O desencanto a respeito de Neymar é algo muito profundo. Sua imagem longe do Barcelona foi extremamente decepcionante. Provocou constrangimento.

Longe da cartilha catalã de comportamento, que obriga o jogador a representar um clube que é o principal símbolo de um território que luta pela independência da Espanha, Neymar agiu como um garoto. 

O maior exemplo foi o escândalo mundial com a modelo Najila Trindade, em 2019. Com direito a video dela dando tapas no brasileiro. Fora a acusação de estupro.

As simulações na Copa da Rússia, que viraram piadas, memes.

Além disso, na frieza das negociações caríssimas, em tempos de pandemia, o fato de o atacante ter rompido duas vezes o quinto metatarso no pé direito, o mesmo osso, tem um peso na análise de investir no atleta.

Além do seu registro de nascimento, que já acusa a idade de 29 anos.

Em 114 jogos, Neymar marcou 89 gols e conquistou dez títulos. Três Campeonatos Franceses, duas Copas da França, duas da Copa da Liga Francesa, e três Supercopas da França.

Ficou fora mais de 45% das partidas que o clube fez desde que foi contratado. Por conta de suspensões e contusões, principalmente.

Para o PSG, segurar Neymar é interessante pelo seu pontencial técnico.

E também por outro grande sonho do clube francês.

Por ser grande amigo e um excelente companheiro dentro do campo de Lionel Messi. Em junho, o argentino definirá sua vida. Se continuará no Barcelona. Ou aceitará a proposta do Manchester City. Ou escolherá voltar a conviver com Neymar e jogar no PSG.

Ter Messi para a cúpula do clube francês é muito mais importante do que a renovação com Neymar. O argentino ainda seguiria indeciso, propenso a seguir na Catalunha, depois que o clube se livrou do antigo presidente.

A saída de Bartomeu está umbilicalmente ligada à possibilidade de o Barcelona perder Messi. O clube escolheu defenestrar o ex-presidente, sonhando com a renovação do seu principal jogador na história.

Quatro anos de fracasso na busca da Champions. Falhou como protagonista

Quatro anos de fracasso na busca da Champions. Falhou como protagonista

UEFA

Mais importante do que Neymar e, mesmo Messi, para o PSG, é a dificílima renovação de Mbappé.

O francês, campeão da Copa do Mundo de 2018, tem contrato até junho de 2022. Mas está disposto a ir para o Real Madrid, clube que o corteja há pelo menos dois anos. Mbappé se mostra irritado, cansado com as críticas da imprensa parisiense.

E tem a proposta para ser a peça principal do clube que mais venceu Champions na história. E que fará uma grande reformulação para a próxima temporada. E precisa de um grande ídolo para ocupar a lacuna que era de Cristiano Ronaldo.

Os dirigentes do PSG estão fazendo de tudo para segurar o jogador que é símbolo do triunfo do futebol francês no mundo. E tem apenas 22 anos.

Neymar anúncio burocrático

Neymar anúncio burocrático

PSG

Neymar está em terceiro plano na França.

E ele sabe disso, enquanto disputa torneios de pôquer.

Ou grava vídeos infantilizados com seus 'parças' nas redes sociais, como se tivesse 15 anos.

Sua renovação provoca muito mais comoção no Brasil.

Não surpreende.

O desinteresse do Barcelona, Real Madrid, Bayern, Manchester City, Manchester United, Liverpool, Chelsea, gigantes que poderia comprá-lo, não é por acaso.

Neymar não levou a sério o projeto de ser melhor jogador do mundo.

Apesar de ter talento suficiente para ganhar o troféu.

Ainda mais agora com Cristiano Ronaldo e Messi sendo vencidos pelo tempo.

Neymar. Dez títulos. Mas menores no contexto europeu. Ganhou apenas na França

Neymar. Dez títulos. Mas menores no contexto europeu. Ganhou apenas na França

PSG

Sua falta de estrutura psicológica para se dedicar dentro e fora dos gramados à carreira é a grande responsável pelo desencanto.

Ele continuará ganhando um salário astronômico, a jogar em um clube dos mais poderosos do planeta.

Mas mostrou que não tem perfil de protagonista.

Seguirá sendo um problemático coadjuvante...

Grã-Bretanha divulga uniforme tricolor para Tóquio 2020

Últimas