Cosme Rímoli São Paulo, Flamengo atentos. Hoje pode ser despedida de Gallardo

São Paulo, Flamengo atentos. Hoje pode ser despedida de Gallardo

Técnico do River está desgastado depois de seis anos e com duas taças da Libertadores. Eliminação hoje poder ser a gota d'água

  • Cosme Rímoli | Do R7

Marcelo Gallardo. Jogo contra o Palmeiras pode definir o fim de seis anos de trabalho

Marcelo Gallardo. Jogo contra o Palmeiras pode definir o fim de seis anos de trabalho

River Plate

São Paulo, Brasil

São Paulo e Flamengo já desejaram.

Ele não quis.

Seu sonho, um grande europeu, não surgiu.

Mas aos 44 anos, depois de um trabalho sensacional no River Plate, tomando a hegemonia do Boca Juniors no continente, Marcelo Gallardo se mostra cansado.

Irritado.

E disposto a trocar de ares. 

O treinador levou o River Plate a três finais da Libertadores, ganhando duas. Conquistou uma Sul-Americana. Três Campeonatos Argentinos.

Recusou comandar a seleção argentina.

Gallardo jamais se mostrou tão pouco disposto a seguir em Bueno Aires.

" Não é o meu papel me assumir como vítima. Estou em um clube há seis anos que exige demais.(...) 

" Parece que agora somos um desastre, e não somos. Somos uma equipe que cometeu erros. A questão é não se confundir ou se desesperar com o que te faz pensar que o time é ruim, apagado, que deu facilidades… Todas aquelas coisas que falam contra nós de forma negativa.

"Quando terminar nossa participação na Copa, vou fazer um balanço do ano para ver se tenho mais razões para seguir ou não seguir. Quando terminar este mês, aí falaremos de novo."

O desgaste se acumulou ao longo dos seis anos.

Mas com a eliminação, no fim de semana, de decisão do torneio Diego Armando Maradona, derrotado pelo Independiente por 2 a 0. Gallardo queria a vitória, como motivação para o jogo fundamental de hoje, contra o Palmeiras, no Allianz Parque, quando seu time precisa reverter a derrota por 3 a 0, na Argentina.

Gallardo. Colecionador de troféus pelo River Plate. Seis anos de conquistas e desgaste

Gallardo. Colecionador de troféus pelo River Plate. Seis anos de conquistas e desgaste

River Plate

Gallardo já havia sido muito criticado por ter colocado seus titulares, no sábado, dia 2 de janeiro, no clássico diante do Boca Juniors, também pelo torneio. Os atletas teriam entrado desgastados contra o Palmeiras, o que explicaria a goleada.

Também um erro de Gallardo.

O treinador tem status de diretor de futebol no River Plate.

Seu poder é enorme.

Está no centro das principais decisões do clube, como decidir contratações, dispensas, dia de viagem, local de concentração, treino.

A dependência do clube se tornou quase que total.

O presidente Rodolfo D'Onofrio garante que Gallardo não sairá.

Só que o técnico está longe de se mostrar animado com mais uma temporada.

Jornalistas argentinos garantem que ele já havia mudado seu comportamento depois da final da Libertadores de 2019, quando o clube perdeu para o Flamengo, de virada, nos últimos minutos.

O treinador foi cobrado demais por ter recuado o time. Ter colocado, naquela decisão, atletas defensivos, depois de o River Plater conseguir sair na frente do placar.

Ele sabe muito bem o quanto será dificílimo reverter o placar de 3 a 0 que o Palmeiras conseguiu no primeiro jogo.

A veneração do River a Gallardo. Ele terá estátua inaugurada ainda em 2021

A veneração do River a Gallardo. Ele terá estátua inaugurada ainda em 2021

River Plate

Gallardo quer pelo menos que o River Plate tenha uma atuação digna.

Que seja competitivo e vença o invicto Palmeiras em sua casa.

Se vier o inesperado, a classificação à final da Libertadores, seria excelente, lógico.

Depois que a participação do time acabar na mais importante competição sul-americana, Marcelo Gallardo traçará seu futuro.

Ele se mostra pronto para sair.

Se as diretorias de Flamengo e São Paulo pretendem outro treinador, depois do Brasileiro, uma opção excelente deverá estar à disposição.

É uma chance rara...

'Moedor de técnicos'! Brasileirão 2020 já teve 24 trocas de treinador

Últimas