Cosme Rímoli Saída deprimente de Miranda serve de alerta aos jogadores. Os que farão parte do desmanche serão tratados com frieza

Saída deprimente de Miranda serve de alerta aos jogadores. Os que farão parte do desmanche serão tratados com frieza

Nada de despedida, festa. Miranda disse 'adeus' ao clube com um post na Internet, ao saber que não seguiria no Morumbi. Se um ídolo foi tratado dessa maneira, os demais jogadores não esperam consideração

  • Cosme Rímoli | Do R7

O fim de ciclo de Miranda no São Paulo foi deprimente. Faltou consideração com o ídolo

O fim de ciclo de Miranda no São Paulo foi deprimente. Faltou consideração com o ídolo

São Paulo/Rubens Chiri

São Paulo, Brasil

"O Miranda é um cara vencedor, que ganhou muito pelo clube. Sofreu uma lesão no fim desta temporada e está se recuperando.

"Ele tem um salário mais alto, merece isso. Saiu de São Paulo, foi para a Europa, teve várias conquistas… é uma situação difícil de continuar. Dentro desta situação de remodelação financeira do clube, foge um pouco do que o clube pretende."

Com essas palavras, após a derrota para o Internacional, Rogério Ceni deixou claro que o zagueiro não fazia parte dos planos para 2023.

Só que a situação foi exposta de maneira precipitada, abrupta.

Não era para ser assim, em uma coletiva.

Aos 37 anos, Miranda sabe que é ídolo no Morumbi.

E percebeu que não teria a despedida com que sonhava.

O clube não faria sequer a renovação mínima para disputar o Campeonato Paulista e se despedir em campo.

Foi por isso que decidiu se antecipar.

Não quis alimentar a falsa esperança de que haveria uma diminuição no seu salário de R$ 550 mil para seguir no clube em 2023.

E já que era para romper, o rompimento seria de vez.

Foi ontem, em um post na internet.

"Chegou ao fim o meu último capítulo como jogador do São Paulo. Voltei ao clube que amo para tentar viver um pouco daquelas emoções que vivi entre 2006 e 2011. Posso dizer que consegui. Sentir o Morumbi lotado e conquistar mais um troféu são emoções que vou levar para sempre. Com vocês, realizei meus sonhos", escreveu.

Miranda era um jogador muito querido pelo elenco.

Os atletas do São Paulo perceberam a maneira sem cuidado com que Miranda foi tratado.

E os ameaçados Rafinha, Reinaldo, Igor Gomes, Éder, Marcos Guilherme, Jandrei tiveram a prova que de nada adiantou ser um dos ídolos do clube. Miranda teve de se despedir pela internet.

A situação de Patrick é bizarra.

Rogério Ceni escancarou que o meia o desrespeitou no vestiário do Maracanã, ao ser substituído no intervalo contra o Fluminense. E que deixou claro que não tolerará jogador em 2023 com índice de gordura acima do aceitável. O recado foi direto ao meia.

Deixou mais do que claro que não quer o jogador na próxima temporada.

O presidente Julio Casares, pressionado por conselheiros, resolveu interferir e dizer ao estafe do jogador que o quer no próximo ano. E as palavras de Rogério Ceni foram apenas um desabafo após a derrota para o Internacional. O meia foi o jogador contratado nesta temporada que mais rendeu.

Mas Patrick acabou exposto e seguir o exemplo de Miranda é uma das opções. Ele mesmo despedir o São Paulo. Pedir para atuar em outra equipe.

Tudo ficou ainda pior depois da rodada de ontem, quando as chances de o São Paulo chegar à Libertadores ficaram reduzidas a quase zero. Atlético Mineiro, Botafogo, América Mineiro e Fortaleza estão à sua frente. São cinco clubes para duas vagas.

O time de Ceni tem de vencer o Goiás, em Goiânia, e ficar torcendo por uma improvável combinação de resultados.

Se o São Paulo outra vez for classificado apenas para a Copa Sul-Americana, o investimento será pequeno.

A não ser que Casares encontre um investidor. Empresa ou pessoa. Qualquer um que esteja disposto a comprar ações do São Paulo, transformá-lo em SAF.

Ou investidor que deseje os naming rights do Morumbi.

A situação está mais do que complicada, tensa, no São Paulo.

E tudo ficou pior pelo desrespeitoso anúncio da saída de Miranda...

Camarões e Dinamarca lançam uniformes e guarda-roupa da Copa fica completo; veja os modelos

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas