Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Cosme Rímoli - Blogs
Publicidade

Rubiales trai o presidente da Espanha. E não renuncia. Mas o governo, as jogadoras e a Fifa se juntam. Vão enxotá-lo do cargo

Luis Rubiales havia garantido que renunciaria ao cargo, depois do beijo forçado em Hermoso, na conquista da Copa do Mundo pela Espanha. Mas voltou atrás. Só que o presidente, as jogadoras e a Fifa vão tirá-lo do cargo

Cosme Rímoli|Do R7 e Cosme Rímoli

Rubiales carregou a jogadora Athenea depois da conquista da Copa do Mundo pela Espanha
Rubiales carregou a jogadora Athenea depois da conquista da Copa do Mundo pela Espanha Rubiales carregou a jogadora Athenea depois da conquista da Copa do Mundo pela Espanha

São Paulo, Brasil

A falta de dignidade de Luis Rubiales não tem limite.

Ele fez o que havia deixado claro para o governo.

Decidiu não renunciar hoje à presidência da Federação Espanhola.

Publicidade

Mudou de ideia, mesmo sabendo que vai tirar ainda mais o brilho da conquista da Copa do Mundo Feminina pela excelente seleção do seu país.

E que será escorraçado do cargo.

Publicidade

Rubiales, que beijou à força a boca da jogadora Hermoso e ainda tocou a genitália, durante a final entre Espanha e Inglaterra, sabe que não ficará no cargo.

O presidente da Espanha, Pedro Sánchez, já mandou o presidente do Conselho Superior de Desportes, Victor Francos, convocar uma reunião extraordinária do Tribunal Administrativo do Esporte para afastar definitivamente Rubiales do cargo.

Publicidade

Apesar de a Espanha ser parlamentarista, o primeiro-ministro é chamado de "presidente" por lá.

E mais: jogadoras da seleção espanhola, campeã do mundo, divulgarão ainda hoje uma carta coletiva em que renunciam às próximas convocações se Rubiales continuar no cargo.

Os motivos estão todos relacionados ao machismo e à maneira como ele sempre tratou a seleção feminina de futebol.

Rubiales força beijo em Hermoso. Para o mundo inteiro ver. E envergonhar seu país
Rubiales força beijo em Hermoso. Para o mundo inteiro ver. E envergonhar seu país Rubiales força beijo em Hermoso. Para o mundo inteiro ver. E envergonhar seu país

Ou seja: vão muito além do estúpido beijo forçado.

"Você acha que este [incidente] é tão grave que eu deveria ir, depois da melhor gestão da história do futebol espanhol? Deixe-me dizer: não vou renunciar. Não vou renunciar. Não vou renunciar.

"Estou sob muita pressão. Talvez alguém tente me remover na segunda-feira. Mas vivemos em um país de leis. Um beijo consensual é suficiente para me remover? Vou lutar até o fim. Eu espero que a lei seja seguida e que, como não há razão para [me remover], isso não aconteça."

Rubiales, como muitos presidentes de federações, conta com o apoio de muitos políticos e de ligas locais. E é nele que pretende "lutar para sobreviver".

O presidente Pedro Sánchez foi traído.

Ele teve a informação de que Rubiales renunciaria.

Para evitar mais exposição da Espanha para o mundo.

Só que, na última hora, o beijoqueiro recuou.

A atitude de Rubiales atingiu também o futebol masculino.

Há indignação generalizada.

“Essas pessoas estão tentando me assassinar, e eu vou me defender. As falsas feministas destroem as pessoas... A imprensa, em sua maioria, vai continuar me matando, mas eu sei a verdade e o que minha família e as pessoas que me amam pensam. A verdade é a verdade.

“Em um momento de euforia, agarrei aquela parte do meu corpo. Eu estava olhando para o [técnico] Jorge Vilda. Passamos por muita coisa neste ano. As pessoas queriam fazer com [Vilda] o mesmo que estão fazendo comigo, com uma narrativa falsa. Fiquei muito emocionado e perdi o controle. Devo pedir desculpas à rainha, à infanta e à Casa Real. Minhas sinceras desculpas.

“Meu desejo naquele momento era exatamente o mesmo de estar beijando uma de minhas filhas. Nem mais, nem menos. Todo mundo entende isso. Foi um beijo espontâneo, mútuo, eufórico e consensual. Essa é a chave.

"[Hermoso] havia perdido um pênalti. Tenho um ótimo relacionamento com todos os jogadores... No momento em que Jenni chegou, ela me levantou do chão. Quase caímos. Nos abraçamos. Eu disse: 'Esqueça o pênalti, você foi fantástica, não teríamos vencido a Copa do Mundo sem você'. Ela disse: 'Você é ótimo'. Eu disse: 'Um beijo?', e ela disse: 'Sim'."

A jogadora o desmente.

Rubiales está desesperado.

E teve a chance de uma renúncia "digna", que afirmou ao governo espanhol que faria.

Preferiu outro escândalo.

Sendo afastado.

É o que conseguirá.

A Fifa anunciou que abrirá também um processo disciplinar contra o presidente da Federação Espanhola.

Todos o querem longe do cargo.

Para o bem do futebol mundial.

Não só o feminino...

Além de beijar campeã da Copa, dirigente teria roubado dinheiro para festa; conheça Luis Rubiales

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.