Cosme Rímoli Rony decisivo. Dois gols. Abel achou sua posição no Palmeiras

Rony decisivo. Dois gols. Abel achou sua posição no Palmeiras

Palmeiras venceu o Athletico Paranaense, sem nenhuma dificuldade. 3 a 0 no Allianz Parque.  Resultado que leva o time de Abel Ferreira à quarta colocação

  • Cosme Rímoli | Do R7

Rony. Muito bem como falso centroavante, flutuando entre o meio e os lados do ataque

Rony. Muito bem como falso centroavante, flutuando entre o meio e os lados do ataque

Cesar Greco/Palmeiras

São Paulo, Brasil

Muito mais do que a famosa 'lei do ex', Rony mostrou o acerto de Abel Ferreira.

O treinador português escolheu o veloz atacante para atuar como 'falso' centroavante, jogador mais avançado do Palmeiras, na vaga do contundido Luiz Adriano.

E ele foi peça fundamental na vitória marcante sobre o Athletico Paranaense por 3 a 0, no Allianz Parque.

Com os três pontos, o clube chega à quarta colocação no Brasileiro.

Rony marcou dois gols, o outro foi de Patrick de Paula, o primeiro e mais bonito, que deixou clara a recuperação do jovem volante.

O jogo foi tão fácil que Abel Ferreira aproveitou para testar alguns jogadores. A atuação do time de Paulo Autuori foi assustadoramente fraca. Nem parecia que vinha de quatro vitórias seguidas.

Os números são impressionantes.

E dão ideia da superioridade de um time sobre o outro.

O Palmeiras deu 20 arremates a gol, o Athetico apenas três. O clube paulista chegou a 62% de posse de bola contra 38%. Foi uma disparidade incrível.

Mas há uma explicação lógica.

O Athletico, com elenco muito menor e menos qualificado que do que o Palmeiras, teve oito desfalques, com Covid. Entre eles, o goleiro titular Santos e o seu reserva Jandrei. O time teve de colocar Mycael, de apenas 16 anos, no banco de reservas.

  Não tem explicação, final da minha carreira e o futebol brasileiro em alto nível e essa situação. É uma vergonha para o futebol como um todo ver isso (o time sem goleiro reserva). Não tem o que falar, é pensar no jogo e fazer um bom jogo", desabafou o irritado Paulo Autori.

Ele tentou montar seu time defensivamente.

Apelou para o 4-5-1.

Sua determinação era a marcação forte, fechando as linhas, buscando travar o Palmeiras na intermediária.

Patrick de Paula voltou a jogar muito bem. Firme, sério. E marcou um belo gol

Patrick de Paula voltou a jogar muito bem. Firme, sério. E marcou um belo gol

Cesar Greco/Palmeiras

Mas na prática o que se viu foi um time desentrosado, assustado, recuado. Mas deixando espaços importantes na sua linha defensiva.

O Palmeiras, montado ofensivamente, no 4-3-3, com grande movimentação do meio-campo para a frente, foi muito superior do primeiro ao último minuto.

A postura de Gabriel Menino e de Viña, abertos como pontas, servia para abrir a defesa do time paranaense.

Lucas Lima fez ótimo primeiro tempo, se movimentando muito bem, buscando o espaço entre os volantes de Autuori.

Mesmo desfalcado de Marcos Rocha, Willian, Jailson, Aníbal e Raphael Veiga, com Covid, o Palmeiras impôs seu melhor elenco.

E demorou sete minutos para sair na frente no placar.

Gustavo Scarpa descobre Lucas Lima livre na entrada da área. O meia dá uma assistência desconsertante para Patrick de Paula. O volante domina com o pé direito e vira, de esquerda, para as redes de Bento. 1 a 0, Palmeiras.

O domínio do time de Abel Ferreira continuava.

Não dava espaço para o adversário respirar.

O Athletico abriu mão de jogar, seguia apenas se defendendo. Faltava ambição para coordenar contragolpes.

E veio o segundo gol palmeirense.

Aos 34 minutos, Zé Raphael foi à linha de fundo e cruzou. O goleiro Bento e Gabriel Menino dividiram a bola. Ela sobrou para Rony completar para as redes. 

2 a 0.

Por respeito ao ex-clube, o atacante não comemorou.

A partida seguiu na sua toada, com o desenho inalterado no segundo tempo.

Aliás, os dois times desistiram da partida, aos quatro minutos.

Abel Ferreira celebra com Rony. Treinador descobriu onde o atacante rende mais

Abel Ferreira celebra com Rony. Treinador descobriu onde o atacante rende mais

Cesar Greco/Palmeiras

Zé Raphael cobrou escanteio na primeira trave e Rony cabeceou firme para o fundo do gol athleticano.

Palmeiras 3 a 0.

Outra vez, ele não comemorou.

A partir do placar elástico, Abel Ferreira tratou de poupar seu time e ainda testar jogadores. Como o zagueiro Luan atuanco como volante. Alan Empereur, como terceiro zagueiro, Gabriel Silva como referência no ataque.

Autuori buscou apenas acabar com a festa de gols do Palmeiras.

Fez seu time marcar ainda mais forte.

3 a 0 foi de bom tamanho.

Para o Palmeiras.

E até para o Athletico, tão desfalcado...

City goleia, e Liverpool empata. Veja rodada do futebol europeu

Últimas