Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Cosme Rímoli - Blogs
Publicidade

Ronaldo. Xingado na Espanha, pelos vexames do Valladolid na Segunda. Pressionado em Minas: medo do rebaixamento do Cruzeiro

Dono do Valladolid e do Cruzeiro, Ronaldo sofre com os vexames do clube espanhol na segunda divisão. Torcedores exigem sua saída. E o Cruzeiro é frustrante na Série A. Ameaça de rebaixamento é real

Cosme Rímoli|Do R7 e Cosme Rímoli


Ronaldo. Xingado na Espanha. Pressionado em Minas. Torcidas não entendem. Ele é apenas um investidor
Ronaldo. Xingado na Espanha. Pressionado em Minas. Torcidas não entendem. Ele é apenas um investidor

São Paulo, Brasil

As torcidas do Cruzeiro e do Valladolid precisam se conscientizar.

E parar com romantismo.

Ronaldo Nazário não é um mecenas, disposto a pôr todo o seu patrimônio, de cerca de R$ 1 bilhão, de acordo com revistas especializadas, nos dois clubes. 

Publicidade

Muito pelo contrário.

Ele é um empresário, que visa ao lucro, como todo empresário comum.

Publicidade

Não é mais um torcedor ensandecido, que oferecerá seu patrimônio para que o pequeno clube espanhol e o gigante brasileiro formem esquadrões, seleções com potencial para brigar por títulos.

Sua intenção é reequilibrar as finanças das duas equipes, que estavam em estado pré-falimentar. Torná-las viáveis. Com potencial para formar e vender jogadores. Buscar na base e em jogadores e técnicos baratos a chance de ter times competitivos.

Publicidade

Fazer do Valladolid e Cruzeiro lucrativos.

Com a enorme possibilidade de vendê-los, no futuro, com lucros. 

O grande problema é que apenas os torcedores espanhóis perceberam que tudo não passa de um negócio. Que, sim, principalmente no Brasil, há o envolvimento do coração, por ter iniciado a carreira no Cruzeiro. Mas a cabeça de Ronaldo é de empresário.

E ele não pretende passar a vida inteira como dono desses clubes.

Basta ver o que acontece com o Valladolid.

Ele comprou, por 30 milhões de euros, atuais R$ 159 milhões, o controle do clube. Com 51% das ações, ele ficou responsável pela montagem dos times e pela contratação dos treinadores.

Houve um frenesi, na chegada do brasileiro, em 2018.

O sonho era que ele, como ex-jogador fabuloso do Real Madrid e do Barcelona, montaria uma equipe para brigar com os gigantes espanhóis. 

Zé Ricardo. Terceiro treinador do Cruzeiro em 2023. Acumula demissões e campanhas fracas
Zé Ricardo. Terceiro treinador do Cruzeiro em 2023. Acumula demissões e campanhas fracas

O clube espanhol devia 25 milhões de euros, cerca de R$ 133 milhões.

Ronaldo logo investiu 2,5 milhões de euros, R$ 13 milhões, na reforma do estádio José Zorrilla.

E a perspectiva aumentou.

Assim como a decepção. Os jogadores talentosos e os treinadores de respeito internacional não chegaram.

Como presidente/dono, o Valladolid ficou em 16º no seu primeiro mandato. Chegou a 13º no segundo. E, na terceira temporada, o rebaixamento, com a equipe em 19º lugar.

A revolta já foi enorme contra o brasileiro. As acusações de que ficava em Ibiza aproveitando farras e praia, em vez de acompanhar o dia a dia do Valladolid. 

Na temporada de 2021/2022, o clube conseguiu voltar para a Primeira Divisão Espanhola. Mais festa, e Ronaldo endeusado.

Só que, em 2022/2023, outra desilusão.

A síndrome do ioiô voltou a atacar.

Novo rebaixamento.

Mais ataques a Ronaldo.

E que ficaram ainda mais intensos neste início de segunda divisão, com o clube vencendo apenas uma das cinco partidas que disputou.

Os protestos da torcida para sua saída foram fortes, e com o treinador Paulo Pezzollano, que Ronaldo tirou do Cruzeiro, depois de um trabalho frustrante, tendo de dar explicações ontem a torcedores.

Torcida do Valladolid alega que foram 'cinco anos de mentiras' com Ronaldo como dono
Torcida do Valladolid alega que foram 'cinco anos de mentiras' com Ronaldo como dono

Além do medo de que o clube não conseguirá subir neste ano, a grande reclamação está na balança das negociações.

O Valladolid conseguiu levantar 38 milhões de euros, cerca de R$ 202 milhões, na última janela de transferências. E gastou apenas 4,5 milhões de euros, R$ 24 milhões, em contratações. Ou seja, R$ 78 milhões de lucro. 

A raiva da torcida é Ronaldo mostrar o que é, empresário atrás de lucro.

Desde a sua fundação, o Valladolid passou 46 temporadas na primeira divisão, 36 anos na segunda e 10 na terceira divisão.

Ou seja, o efeito ioiô é antes de Ronaldo.

Mas a frustração com sua chegada é imensa.

No Cruzeiro, do qual Ronaldo comprou 90% das ações, em dezembro de 2021, a sensação já começa a ser parecida.

O time que subiu em 2022 continua sem força, fraquejando, em 2023.

Zé Ricardo é o terceiro treinador neste ano.

Ronaldo já tirou Pezzollano e o levou para o Valladolid.

Demitiu o treinador português Pepa.

E agora investe em Zé Ricardo, que estava desempregado.

Ele fez péssimo trabalho no Shimizu-S-Pulse, rebaixando a equipe para a segunda divisão. No início desta temporada, foram sete jogos, cinco empates e duas derrotas. E a demissão sumária.

Mesmo assim, Ronaldo decidiu deixar o Cruzeiro nas mãos de um treinador que acumula demissões. Pelo Flamengo, Vasco, Botafogo, Fortaleza, Internacional, Catar SC, Vasco, Shimizu.

Um item fundamental para sua contratação é o seu salário.

"Apenas" R$ 180 mil mensais.

Só Wesley Carvalho, do Athletico, e Thiago Kosloski, do Coritiba, recebem menos do que ele.

Há a promessa de que, se o Cruzeiro não cair, Zé Ricardo terá um aumento na próxima temporada. Em compensação, se o time for rebaixado, não ganhará a multa de três salários, como revela o colega de R7 Jorge Nicola.

No balanço de 2022, o clube mineiro deixou pública a sua dívida: R$ 1,05 bilhão.

Ou seja, as torcidas de Cruzeiro e Valladolid estão unidas na ilusão.

Ronaldo era um fenômeno dentro dos gramados.

Como dono dos clubes, ele age como empresário comum.

Quer lucros.

Ronaldo foi aconselhado a comprar o Cruzeiro. E fechou a transação na sede de uma grande investidora
Ronaldo foi aconselhado a comprar o Cruzeiro. E fechou a transação na sede de uma grande investidora

Não vai expor seu patrimônio para salvar os clubes do rebaixamento.

Ele age com a frieza dos grandes investidores.

Atitude que não combina com as expectativas.

Mas o Ronaldo vibrante, que garantia alegrias, ficou no passado.

De chuteiras.

Agora, a realidade é a da calculadora.

Simples assim...

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.