Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Cosme Rímoli - Blogs
Publicidade

'Robinho e Daniel Alves são um tapa na cara, de nós, mulheres'. Leila fala e constrange cúpula silenciosa da CBF

Leila Pereira, chefe da delegação brasileira nos amistosos contra Inglaterra e Espanha, se posiciona diante das condenações, por estupro, de Robinho e Daniel Alves. E constrange o presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues

Cosme Rímoli|Do R7 e Cosme Rímoli

Leila mostrou seu desprezo pelas condenações, por estupro, de Robinho e Daniel Alves
Leila mostrou seu desprezo pelas condenações, por estupro, de Robinho e Daniel Alves Leila mostrou seu desprezo pelas condenações, por estupro, de Robinho e Daniel Alves (CBF)

São Paulo, Brasil

Eram assuntos proibidos na CBF.

Por conta da importância histórica de Daniel Alves e Robinho, defendendo a Seleção Brasileira em Copas do Mundo.

Dois ex-jogadores condenados por estupro, manchando a imagem do país.

Publicidade

O presidente Ednaldo Rodrigues sempre se esquivou do tema.

Mas hoje, a primeira mulher a ser a chefe de uma delegação da Seleção, não se conteve.

Publicidade

E fez um depoimento histórico.

"Ninguém fala nada, mas eu, como mulher aqui na chefia da delegação, tenho que me posicionar sobre os casos do Robinho e Daniel Alves.

Publicidade

"Isso é um tapa na cara de todas nós mulheres, especialmente o caso do Daniel Alves, que pagou pela liberdade. Acho importante eu me posicionar.

"Cada caso de impunidade é a semente do crime seguinte."

Enquanto presidente do Palmeiras, seu posicionamento já seria importante.

Mas como chefe de delegação ficou maior ainda.

E a reação foi imediata.

A cobrança dos jornalistas que estão fazendo a cobertura dos amistosos do Brasil, contra a Inglaterra, e Espanha, na Europa.

Mas não adiantou.

O presidente Ednaldo Rodrigues não quis falar.

Assim como os jogadores, que preferem o silêncio.

E Dorival Junior.

A declaração de Leila, ao UOL, mexeu com o ambiente da Seleção, que treina, em Londres.

As cobranças aos atletas e ao treinador vão acontecer.

Mas deverão seguir na mesma direção do presidente da CBF.

Não se envolverem.

A desculpa é preservar a imagem da Seleção.

Um grande erro que Ednaldo insiste em cometer...

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.