Rio libera a volta de público para o futebol. A partir de 10 de julho

A prefeitura decidiu que os estádios tenham um terço de sua capacidade liberado para o público. Já no dia 10 de julho. Clubes estão divididos

Prefeitura libera público. Mas dependerá da Ferj aceitar vender ingressos

Prefeitura libera público. Mas dependerá da Ferj aceitar vender ingressos

Ricardo Moraes/Reuters - 18.6.2020

São Paulo, Brasil

A Prefeitura do Rio de Janeiro tomou duas decisões, no sábado à noite.

E importantes para o futebol carioca.

Para o esporte brasileiro.

A primeira foi o adiamento da liberação de público.

Os torcedores não poderão ter acesso a até um terço da capacidade dos estádios.

Não no dia 2 de julho, como era previsto.

A data passou para o dia 10 de julho.

Oito dias a mais, para que a curva da pandemia do coronavírus amenize.

A decisão foi publicada ontem, em edição extraordinária do Diário Oficial da Prefeitura.

"Competições esportivas com capacidade simultânea máxima de 1/3, sem ultrapassar a regra de 4m² por pessoa.

"Venda de ingressos somente online ou caixas de auto atendimento", diz a parte específica ao futebol", detalhava.

Os torcedores terão de respeitar uma distância de quatro metros quadrados. E, para evitar aglomeração, as entradas para as partidas serão vendidas à distância.

Embora não haja a confirmação da tabela, é muito provável que a volta do público coincida com a decisão da Taça Rio, o que pode significar o final do Carioca. Desde que o Flamengo, campeão da Taça Guanabara, tenha mais pontos na classificação geral e vença  também a Taça Rio.

Prefeito Crivella liberou. Agora, cabe a Rubens Lopes autorizar a venda de ingressos

Prefeito Crivella liberou. Agora, cabe a Rubens Lopes autorizar a venda de ingressos

Ferj

Para a Federação Carioca de Futebol, a liberação é excelente.

Evitará o constrangimento da decisão do torneio estadual com o estádio vazio.

Um terço do Maracanã, por exemplo, correndo a um público de 22 mil pessoas.

A Prefeitura do Rio ainda prevê a liberação de dois terços do público no dia 1º de agosto.

E, no dia 16 de agosto, o acesso total de público.

A decisão provocou divisão entre os clubes.

A liberação não significa obrigação da volta dos torcedores.

Vai depender da Ferj, organizadora do Carioca.

Com certeza haverá muita discussão a respeito.

Na Europa, nos principais torneios, e com queda na curva da pandemia, o público não foi liberado.

No estado do Rio de Janeiro houve 108.803 casos confirmados de coronavírus.

9.789 mortes.

Há ainda 1.053 óbitos em investigação...