Cosme Rímoli Reunião decisiva no Equador. Para o futuro de Galiotte, Leila, Nobre

Reunião decisiva no Equador. Para o futuro de Galiotte, Leila, Nobre

Galiotte vive pior momento como presidente do Palmeiras. Precisa desesperadamente do acerto com Ramírez. Para conter sombra de Nobre

  • Cosme Rímoli | Do R7

Palmeiras quer já. Independiente exige que Ramirez fique até o fim da Libertadores

Palmeiras quer já. Independiente exige que Ramirez fique até o fim da Libertadores

Reprodução/Twitter

São Paulo, Brasil

O presidente Mauricio Galiotte foi firme.

Tanto com o gerente de futebol, Anderson Barros, e o vice-presidente Paulo Buosi.

"Não voltar do Equador sem o acerto com o espanhol Miguel Ángel Ramírez."

O blog publicou, com exclusividade, no sábado, o embarque de Barros para o Equador, para a difícil reunião no Equador.

O dirigente nunca esteve tão acuado, desde que assumiu a presidência do clube, em 2015.

Sua capacidade para gerir o futebol do Palmeiras está profundamente questionada. Por membros do Conselho Deliberativo, do Conselho de Orientação Fiscal, por torcedores. Galiotte sabe que está prejudicando, inclusive, Leila Pereira, dona da Crefisa, e a candidata que apoia para sua sucessão, em 2021.

Leila também está sendo massacrada nas redes sociais, pelo fracasso do futebol.

Galiotte, de gênio forte, é condenado por não ter fechado contrato em dezembro com Jorge Sampaoli, treinador de reconhecida competência. Quis buscar outro, que custava a metade, o ultrapassado Vanderlei Luxemburgo, e desperdiçou 2020. A conquista do "Paulistinha", como Galiotte resume o estadual paulista não compensou.

Nasce no Palmeiras um movimento pela volta do bilionário ex-presidente Paulo Nobre. A oposição se fortalece com o fracasso do futebol nas mãos de Galiotte em 2020.

Daí a pressão do presidente para que seus represantantes no Equador ofereçam tudo o que o treinador espanhol pedir. A diretoria do Independiente del Valle foi avisada oficialmente da reunião que acontece hoje, a pedido de Ramírez.

O técnico de 35 anos está desconfiado.

Sabe do costume brasileiro, e do Palmeiras, de demitir técnicos, não os deixar concluir seus trabalhos.

A proposta de Galiotte é um contrato de dois anos, com multa proporcional ao compromisso, com a garantia de liberdade de reformulação no elenco, garantia de reforços. O pedido é que mantenha, pelo menos, 30% de atletas da base.

Terá a liberdade de impor seu estilo ofensivo e como também trazer a 'sua' Comissão Técnica.

Conselheiros ligados a Galiotte juram que a oferta financeira é de 100 mil dólares mensais, cerca de R$ 560 mil. Mais bônus por conquista. Por classificação à Libertadores. Premiação por vitória.

Galiotte quer o treinador imediatamente.

Ramírez está em plena disputa da Libertadores e do Campeonato Equatoriano.

A direção do Independiente del Valle não quer sua saída já.

Pede se o treinador fechar com o clube brasileiro, que deixe o clube após o final da participação na Libertadores, pelo menos.

O espanhol, que chegou no Equador para trabalhar nas categorias de base, e é muito valorizado, não se mostra favorável a abandonar a equipe no meio dos torneios.

Economia de Galiotte com Sampaoli fez renascer a candidatura do seu inimigo, Paulo Nobre

Economia de Galiotte com Sampaoli fez renascer a candidatura do seu inimigo, Paulo Nobre

Galiotte

Esse será um grande impasse para Anderson Barrros e Paulo Buosi.

Com a derrota para o Fortaleza, ontem à noite, o Palmeiras despencou para a oitava colocação no Brasileiro. Há o medo dos dirigentes que o clube não consiga vaga para a Libertadores em 2021.

Daí o desespero de Galiotte para que Ramírez venha imediatamente.

A establidade palmeirense depende de um espanhol.

De apenas 35 anos.

Miguel Ángel Ramírez.

E a sombra de Paulo Nobre cresce...

Curta a página do R7 Esportes no Facebook

Palmeiras fatura mais de R$ 250 mi com venda de jogadores desde 2019

Últimas