Cosme Rímoli Renato, o 'homem das cinco mil mulheres', é disputado

Renato, o 'homem das cinco mil mulheres', é disputado

Sampaoli conseguiu se complicar, com as negociações com o Olympique. Bilionários do Atlético estudam trocá-lo por Renato. E Cuca só espera a definição

  • Cosme Rímoli | Do R7

Mais do que valorizado. Atlético cogita tirá-lo do Grêmio

Mais do que valorizado. Atlético cogita tirá-lo do Grêmio

Grêmio

São Paulo, Brasil

Renato Gaúcho já revelou.

Teve milhares de mulheres na sua vida.

"Já levei mais de cinco mil mulheres para a cama", disse em 2008, em entrevista ao jornal carioca Meia Hora.

"Vou contar uma parada para você, e acredite se quiser. Eu refiz as minhas contas. E cheguei à conclusão que passei das três mil transas."

"Contei, recontei e cheguei à conclusão que já transei com nada mais, nada menos, do que cinco mil mulheres."

"Nunca ninguém fez tanto sexo."

"Sou um fenômeno."

O treinador jamais esperava que teria tamanha relevância como treinador há 13 anos, quando fez essa inesquecível declaração.

Agora, aos 58 anos, ele está muito mais comedido, discreto.

Se ele teve tanta variedade amorosa, em relação ao futebol, sempre foi conservador no futebol.

Adora clubes que ele conhece a fundo.

Não gosta de se arriscar.

Como nas suas aventuras pelas noites, quando era jogador, detestava vir para São Paulo pelo blazer, tão usado pelas paulistas. Ele sempre gostou de mulheres esculturais e o blazer disfarçava garotas fora de forma.

Mudou muito nestes últimos 13 anos. Foco na carreira de técnico

Mudou muito nestes últimos 13 anos. Foco na carreira de técnico

Reprodução/Meia Hora

Como jogador, passou 11 anos alternando entre Grêmio e Flamengo.

Os sete anos restantes, dividiu entre Roma, Botafogo, Atlético Mineiro, Fluminense e a despedida no Bangu. 

Jamais atuou em São Paulo, apesar dos convites do Palmeiras, São Paulo, Corinthians e Santos. 

Não foi por causa do blazer feminino.

Por querer ter o domínio completo do ambiente onde está.

Por esse motivo se tornou o treinador que mais comando o Grêmio na sua história.

São nada menos do que 401 partidas.

Sua estátua já está no estádio gremista desde março de 2019.

Como maior ídolo dentro do gramado, responsável pelo Mundial que o clube conquistou, em 1983.

Primeiro brasileiro, na história, a ganhar a Libertadores como jogador e treinador.

Conduziu seu Grêmio ao vice mundial como treinador em  2017.

São quase sete anos nas suas duas passagens pelo Olímpico.

Trabalho de Sampaoli questionado por bilionários que bancam o time do Atlético

Trabalho de Sampaoli questionado por bilionários que bancam o time do Atlético

Bruno Cantini/Atlético Mineiro

Nesta última, está mandando e desmandando desde 2016.

Toda renovação de contrato, o mesmo suspense.

A mesma ameaça de ir embora, se não vierem reforços de primeira.

Amigos cariocas 'entregando' sua vontade de comandar o Flamengo, antes que acabe a carreira.

Só que vieram as doloridas eliminações nas Libertadores de 2019 e 2020.

Com direito a goleadas vexatórias.

5 a 0 para o Flamengo, na semifinal.

E também diante do Santos.

4 a 1, nas quartas de final.

O time não teve fôlego para brigar pelo título do Brasileiro.

Mas vai decidir a Copa do Brasil contra o milionário elenco palmeirense, o que deixa claro, mais uma vez, o ótimo trabalho do treinador.

Renato Gaúcho avisou ao presidente Romildo Bolzan.

Ou ele garantia a busca de grandes reforços ou iria procurar outro clube.

Romildo respondeu, como sempre, que faria o 'possível'.

Só que o dirigente não esperava o que acontece em Belo Horizonte.

Jorge Sampaoli foi um dos treinadores sondados pelo Olympique de Marseille.

Ele tem muita vontade de retornar e fazer sucesso na Europa, onde fracassou no Sevilla.

O clube hoje é dominado por mecenas Rubens Menin (MRV Engenharia) e Ricardo Guimarães (Banco BMG). Os bilionários não gostaram da postura de Sampaoli. Ambos têm a palavra do argentino que ficaria até o final de 2021.

O clima entre os três é muito ruim.

Mesmo se o Olympique não levá-lo, a tensão domina a Cidade do Galo.

Menin e Guimarães gastaram mais de R$ 140 milhões com a equipe deste Brasileiro. E já contrataram Hulk, Dodô e encaminharam Nacho Fernández, do River Plate, como reforços. Além de sondar Rafinha, que negocia também com o Flamengo.

Intermediários já trataram de vazar a informação que, se Sampaoli for embora, Renato Gaúcho é a prioridade do Atlético.

Foi uma cutucada forte, verdadeira no argentino.

E também no acomodado Romildo Bolzan.

"Se o Grêmio me der R$ 160 milhões, eu monto uma seleção. Sou obrigado a mostrar o melhor futebol e ganhar", disse Renato Gaúcho, em 2019, irritado com a soberba de Jorge Jesus, então treinador do Flamengo.

O técnico está perto de comandar um clube com capacidade de investir muito mais de R$ 160 milhões.

Com bilionários obcecados em montar o time mais poderoso da América do Sul.

A movimentação das peças pode acontecer.

Sampaoli conseguiu se pressionar.

Trazer questionamentos sérios ao seu trabalho.

Bolzan está encurralado precisa gastar o que não queria.

Cuca se cansou dos graves problemas financeiros do Santos. Vai embora

Cuca se cansou dos graves problemas financeiros do Santos. Vai embora

Ivan Storti/Santos

E Renato Gaúcho tem apenas mais 15 dias de contrato.

Neste jogo de xadrez, Cuca corre por fora.

Ele vai sair do Santos.

Não se conforma com a falta de investimento no futebol.

Com os atrasos de salários.

Dirigentes sem rumo.

Ele é o predileto no Grêmio, se Renato não renovar.

Atlético Mineiro e Grêmio vivem momentos de tensão.

E indefinição.

Com Sampaoli, Renato Gaúcho e Cuca nesta ciranda.

Nos próximos 15 dias, muita coisa pode acontecer.

Até mesmo Gaúcho e Sampaoli ficarem onde estão.

E Cuca esperar um outro grande clube...

Inter ainda tem dobro de chance do Flamengo de ser campeão; confira

Últimas