Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Cosme Rímoli - Blogs
Publicidade

Renan e Marcinho. Apesar de causarem acidentes com mortes, escaparam da cadeia. Mas sabotaram suas carreiras

Ex promessas do Palmeiras e do Botafogo conseguiram não serem presos, apesar de acidentes automobilísticos, que causaram a morte de três pessoas. Acabaram nos Emirados e na Rússia

Cosme Rímoli|Cosme RímoliOpens in new window

Renan era a grande esperança para a zaga do Palmeiras. Mas acidente fatal fez presidente Leila jurar que ele não jogaria mais no clube. Não jogou

Os direitos de Renan já valeram 9 milhões de euros, cerca de R$ 51,7 milhões, em abril de 2022.

Abel Ferreira o via como um ‘grande jogador’.

Com enorme potencial para ser titular do Palmeiras.

Sonhar com Seleção Brasileira.

Publicidade

Marcinho era a grande esperança do Botafogo, em 2020.

Lateral moderno, de grande velocidade, habilidade.

Publicidade

Havia a certeza que o clube faria muito dinheiro com seus direitos.

Contatos estavam sendo feitos com clubes europeus poderosos.

Publicidade

Seu valor era de 3,5 milhões de euros, cerca de R$ 20 milhões, em 2020.

A mídia carioca não parava de apontá-lo como futuro ‘jogador de Seleção’.

Tudo ia bem demais na carreira dos dois.

Até que eles mesmo se sabotaram.

A começar por Renan.

O jogador sabia o quanto Abel Ferreira é rígido com a vida fora dos gramados.

Enquanto a temporada acontece, ele não aceita exageros na noite.

Mesmo nas folgas.

Ainda mais de garotos, que estão batalhando por suas primeiras chances no profissional.

Campeão mundial sub-17, convocado constantemente para Seleções Brasileiras de base, Renan foi escolhido com o zagueiro revelação do Campeonato Paulista principal de 2019.

Só que chegaram até Abel as notícias que ele estava se envolvendo, constantemente, em noitadas.

Mesmo nas folgas.

O treinador, que controla até as horas de sono dos seus atletas conversou.

Mas não o perdoou quando percebeu que os alertas não adiantaram.

E ele foi emprestado para o Red Bull Bragantino.

Para ganhar experiência e aprender a valorizar o Palmeiras.

Só que deu tudo errado.

Ele continuou fã de noitadas.

E em uma delas, onde foi visto bebendo. E mesmo assim, decidiu ir embora dirigindo seu carro, sem dormir.

Às 6h40 do dia 22 de julho de 2022, na estrada entre Itatiba e Atibaia, seu veículo invadiu a pista contrária e bateu de frente em um motociclista, que teve morte instantânea.

Eliezer Pena tinha 38 anos.

Renan foi detido em flagrante.

Mas bastou pagar uma fiança de R$ 242 mil e saiu, em liberdade provisória.

A presidente Leila Pereira avisou que a Abel que o zagueiro ‘nunca mais vestiria a camisa do Palmeiras’.

E o contrato foi rescindido.

Advogados de Renan conseguiram um acordo financeiro com a família de Eliezer Pena.

O zagueiro foi atuar bem longe do Brasil.

Ele, que era pretendido por Juventus, Roma, Sevilla, acabou no Shabab Al-Ahli, dos Emirados Árabes.

Seus direitos atualmente estão orçados em 2 milhões de euros, cerca de R$ 17 milhões.

Desvalorização de 7 milhões de euros, cerca de R$ 40 milhões.

Mas sua grande vitória foi um acordo com a justiça brasileira.

Foi combinado que ele pagará 20 leitos de hemodiálise da Santa Casa de Misericórdia de Bragança Paulista.

Gastará R$ 1,7 milhão pelo encerramento do caso.

Acidente fatal, com confissão de ingestão de álcool antes de pegar o volante.

Renan passou apenas um dia preso pela morte que causou.

Marcinho estava em grande fase no Botafogo. Clubes grandes europeus se interessavam por ele. Até atropelar, e matar, dois professores

Marcinho seguiu o mesmo caminho.

Infelizmente.

No dia 30 de setembro de 2020, ele atropelou e matou dois professores que atravessavam a avenida Sernambetida, no Rio de Janeiro.

O lateral estava dirigindo seu carro em cerca entre 86 e 110 quilômetros por hora, em um local onde a velocidade máxima é de 60 quilômetros.

Maria Cristina José Soares e Alexandre Silva de Lima morreram.

O jogador não foi preso.

Conseguiu acerto financeiro com a família dos mortos.

Foi condenado a três anos e meio por homicídio sem intenção de morte.

Mas em regime aberto.

Jogou no Athletico Paranaense, Bahia e América Mineiro, emprestado.

Seu rendimento foi péssimo.

Assim que acabou seu contrato com o Botafogo, conseguiu a liberação da justiça.

E está no pequeno Rodina Moscow.

Seus direitos valem apenas 500 mil euros, cerca de R$ 2,8 milhões.

Renan e Marcinho não têm mercado no futebol brasileiro, pelas mortes que causaram.

Assim também como nos clubes de elite mundial.

Ambos têm ótimo potencial.

Mas sabotaram as próprias carreiras.

A justiça brasileira até que foi branda com os dois.]

Mas o futebol, não...











Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.