Cosme Rímoli Ramírez, Ceni, Aguirre. São Paulo promete um técnico 'vencedor'

Ramírez, Ceni, Aguirre. São Paulo promete um técnico 'vencedor'

Após a demissão sumária de Fernando Diniz, Casares quer técnico acostumado à conquistas. Vizolli ficará até o final do Brasileiro

  • Cosme Rímoli | Do R7

Miguel Ángel Ramírez é um dos treinadores avaliados pela direção do São Paulo

Miguel Ángel Ramírez é um dos treinadores avaliados pela direção do São Paulo

Independiente del Valle

São Paulo, Brasil

Livre de Fernando Diniz e Raí, heranças da fracassada gestão de Leco, Julio Casares busca novo treinador para o São Paulo.

O ex-jogador Vizolli seguirá como interino, nas últimas cinco partidas do Brasileiro.

Ele quer um técnico para um trabalho longo, capaz de implantar, com tempo, sua filosofia. 

E que tenha histórico vencedor.

Casares tem verdadeira obsessão por Rogério Ceni.

Próximo ao maior ídolo da história do São Paulo, sabe muito bem o quanto ele teve seu trabalho sabotado pelas vendas sem nexo de Leco. Do desmanche sistemático que o ex-presidente fez, buscando dinheiro para o clube. 

Não conseguiu equilibrar as finanças: o clube tem dívida de mais de R$ 570 milhões. E não conquistou nenhum mísero título nos cinco anos de administração. Somados quatro do último troféu conquistado, o da Sul-Americana, em 2012, são os nove anos de jejum no Morumbi.

Casares deseja a redenção de Ceni, mas depende do que acontecer com ele no Flamengo. Enquanto o clube carioca tem chance de brigar pelo Brasileiro, não vai trocá-lo. Mas ele sofrerá uma avaliação assim que o torneio nacional acabar.

Enquanto isso, o São Paulo não pretende ficar parado.

Seguindo a tendência de técnicos estrangeiros, Miguel Ángel Ramírez, ex-treinador do Independiente del Valle, também é admirado pelo presidente.

Casares é próximo de Rogério Ceni. Se o Flamengo o dispensar, caminho estará aberto

Casares é próximo de Rogério Ceni. Se o Flamengo o dispensar, caminho estará aberto

Reprodução Instagram/Casares

Há contatos feitos no ano passado com o treinador, quando Casares não passava de um candidato.

Mas nada foi efetivado.

O presidente do Internacional, Alessandro Barcellos, conseguiu um acordo com Ramírez. O dirigente se reuniu com ele. Ambos deixaram encaminhados contrato, salário, plano de trabalho. Para começar assim que terminar o Brasileiro.

Tanto é assim, que abandonou o Independiente del Valle, apesar de a diretoria do clube equatoriano implorar que continuasse.

O 'inconveniente' é Abel Braga. O veterano treinador, que deveria ser apenas 'tampão', depois da saída de Eduardo Coudet, está liderando o Brasileiro, com grande chance de conquistá-lo.

A pressão no Rio Grande do Sul é que Abel continue.

Esta é a chance de Casares.

Se Barcellos liberar o treinador, o São Paulo pode fechar contrato.

No entanto, o técnico que está mais fácil é um que tem muito prestígio no Morumbi.

O uruguaio Diego Aguirre.

Ex-jogador e treinador do time, ele está atualmente desempregado.

E, de acordo com vários conselheiros importantes, recusou propostas acreditando que poderia voltar a trabalhar no São Paulo. Ele foi demitido por Leco e Raí, na reta final do Brasileiro de 2018, torneio que chegou a liderar.

Tiago Nunes, demitido do Corinthians, já teria sido até oferecido por intermediários.

Assim como o argentino Sebastián Beccacece, que comandou o Racing.

Outra possibilidade ainda seria Abel Braga, se Ramírez assumir o Inter.

Julio Casares quer resolver a questão o mais rápido possível.

O uruguaio Diego Aguirre, ex-jogador e treinador do São Paulo, tem defensores no Morumbi

O uruguaio Diego Aguirre, ex-jogador e treinador do São Paulo, tem defensores no Morumbi

São Paulo

O coordenador Muricy Ramalho também terá peso na análise do melhor nome para substituir Fernando Diniz.

Assim como o novo executivo de futebol, Rui Costa, que antecipou seu início de trabalho, com a demissão sumária de Raí.

A partir desta escolha, outra situação terá de ser enfrentada.

A de Daniel Alves.

O veterano jogador que custa R$ 1,5 milhão não tem rendido futebol à altura.

Era protegido de Fernando Diniz.

A direção não se conforma por ter um dos grandes laterais do mundo, mas que exige jogar como meio-campista.

Casares não deseja seguir o caminho criado por Leco e Raí.

O impasse pode resultar até na saída de Daniel Alves.

Publicamente, ele ainda não pode comprar essa briga.

Tudo depende de quem substituir Fernando Diniz...

Com saída de Fernando Diniz, São Paulo soma 14 técnicos em seis anos

Últimas