Cosme Rímoli Presidente usa o Fla como exemplo, para clubes não temerem a Turner

Presidente usa o Fla como exemplo, para clubes não temerem a Turner

Bolsonaro foi direto. Se houver conflito jurídico entre os clubes e a Turner, nada de intimidação. Basta usar a lei, como o Flamengo faz com a Globo

  • Cosme Rímoli | Do R7

O presidente deu seu apoio. Para os clubes não se intimidarem diante da Turner

O presidente deu seu apoio. Para os clubes não se intimidarem diante da Turner

Reprodução Twitter

São Paulo, Brasil

O Flamengo virou exemplo.

Na reunião de ontem, entre Palmeiras, Bahia, Santos, Ceará, Fortaleza, Athletico, Internacional e Coritiba, o presidente Jair Bolsonaro foi claro.

Disse para não temer represálias de televisões, se a Medida Provisória 948, puder ser adotata.

O grupo está em guerra com a Turner, que ameaça romper o contrato para a transmissão dos Brasileiros, pela tevê a cabo, até 2024.

A rede, incorporada pela Warner, comprada depois pela AT&T, não está satisfeita com os gastos. Não acredita valer a pena seguir pagando  para os confrontos entre essas oito equipes.

Ainda mais com restrições, como não poder mostrar o jogo para a cidade onde está acontecendo.

Mas existe uma multa que é bilionária para a Turner.

Os clubes perceberam que a tevê quer o conflito nos tribunais. 

E a questão pode levar meses para a definição.

O medo dos clubes é ficar sem receber e sem poder negociar seus jogos para outra emissora. 

Mas receberam todo o apoio de Bolsonaro.

Ele usou o Flamengo como exemplo a ser seguido.

Clube que enfrentou a Globo, dona do monopólio de transmissão do futebol na  tevê aberta no Brasil, há décadas.

E, usando a Medida Provisória, que dá o direito de negociar os seus jogos em casa, tem tudo preparado para transmitir seu jogo contra o Boavista, hoje à noite.

Se houver confronto jurídico com a Turner, os oito clubes se comprometeram a lutar juntos. E há a chance de todos usarem a MP para negociar suas partidas como mandantes.

Principalmente porque há ainda um enrosco na legislação brasileira.

Ela proíbe uma empresa produza conteúdo conteúdo também distribua o sinal.

Ou seja, o contrato com a Turner pode ser questionado, já que ela foi incorporada à AT&T.

Os clubes têm a certeza do apoio da Câmara dos Deputados e do Senado, se houver mesmo o conflito.

Os dirigentes estão prontos para imitar o Flamengo.

E enfrentar a Turner.

Como o rubro negro faz com a Globo.

Para alegria de Bolsonaro...

Atletas bilionários, mansões e MP polêmica: o mês de junho esportivo

Últimas