Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Como o blog antecipou há 21 dias. Pia Sundhage foi demitida da Seleção Brasileira Feminina. Fracasso na Copa foi grande demais

O blog antecipou, no dia 9, a demissão que foi oficializada hoje, dia 30. A sueca se perdeu. Não soube conviver com as jogadoras. Perdeu a maior mídia que a Seleção Feminina jamais teve na história

Cosme Rímoli|Do R7 e Cosme Rímoli

Pia Sundhage foi demitida hoje. O blog anunciou há 21 dias sua saída. Vexame na Copa foi grande demais
Pia Sundhage foi demitida hoje. O blog anunciou há 21 dias sua saída. Vexame na Copa foi grande demais Pia Sundhage foi demitida hoje. O blog anunciou há 21 dias sua saída. Vexame na Copa foi grande demais

São Paulo, Brasil

"Pia não continuará como técnica do Brasil.

"Fracassos na Olimpíada e Copa.

"E tentar tirar Marta da Olimpíada de Paris, a gota d'água."

Publicidade

Essa foi a manchete da nota publicada, com exclusividade, neste blog, no dia 9 de agosto.

Hoje, dia 30, se concretiza a notícia antecipada.

Publicidade

A decisão foi tomada pelo presidente Ednaldo Rodrigues logo depois que o Brasil foi eliminado pela Jamaica, da Copa do Mundo da Austrália, ainda na fase de grupo.

A decepção do dirigente com o comportamento da treinadora foi total.

Publicidade

Absoluto.

A sueca Pia Sundhage conseguiu estragar o melhor momento da história da Seleção Feminina de Futebol do Brasil.

Pela primeira vez, talvez motivada pelos fracassos da masculina e pela evolução dos direitos da mulher, o país apostou, de verdade, em um time feminino.

Patrocinadores, televisões e CBF se juntaram em um esforço conjunto para dar as melhores condições para o time escolhido por Pia.

Como bicampeã olímpica, à frente dos Estados Unidos, em 2008 e 2012, duas vezes vice, na Copa do Mundo, com os Estados Unidos em 2011 e na Olimpíada de 2016, com a Suécia, ela foi contratada a peso de ouro pelo ex-presidente Rogério Caboclo.

Tinha três competições fundamentais.

A Olimpíada de 2020, que foi disputada em 2021.

A Copa do Mundo de 2023.

E a Olimpíada de 2024.

Mas mesmo com toda infraestrutura, ela foi se perdendo no processo.

Foi necessária a eliminação precoce da Copa do Mundo deste ano, para avaliações mais profundas da CBF e de quem acompanha muito mais de perto o trabalho na Seleção Feminina.

Pia não aceitava, não dava espaço para jogadoras conversarem sobre sua estratégia. Cristiane, a mais letal atacante foi vetada de suas convocações por questioná-la.

A treinadora não teve o menor cuidado com Marta, a melhor jogadora de futebol de todos os tempos. Não se preocupou como melhor usá-la neste final de carreira. Deu pouquíssimas chances para ela na Copa do Mundo da Austrália.

A afinidade entre Pia e Marta não existia mais. A treinadora não queria a melhor do mundo em Paris
A afinidade entre Pia e Marta não existia mais. A treinadora não queria a melhor do mundo em Paris A afinidade entre Pia e Marta não existia mais. A treinadora não queria a melhor do mundo em Paris

E tratou de desestimulá-la avisando que não iria chamá-la para a Olimpíada de Paris.

Ednaldo Rodrigues ficou chocado ao saber que Pia não quis fazer uma observação a fundo, in loco, da seleção da Jamaica, que caiu no grupo do Brasil na Copa. E acabou eliminando seu time.

Ela preferiu observar as favoritas Estados Unidos, Inglaterra, Espanha, França, Austrália, China.

A falta de atitude, de alternativas para a Seleção Brasileira, que jogava mal, durante a rápida e vexatória passagem pela Copa do Mundo foi decisiva.

Além de avisar que Marta não serviria para a Olimpíada, o comportamento da treinadora após a eliminação precoce foi considerado constrangedor na CBF.

Em vez de ficar com as jogadoras até a dissolução da Seleção, ela saiu 'de férias' para a Suécia.

Enterrou de vez sua chance de continuar.

Ela mandou mensagem à direção da CBF avisando que pretendia cumprir seu contrato e treinar o Brasil na Olimpíada de Paris, no próximo ano.

Pia se recusou a observar pessoalmente a Jamaica, adversária na fase de grupos. Time eliminou o Brasil
Pia se recusou a observar pessoalmente a Jamaica, adversária na fase de grupos. Time eliminou o Brasil Pia se recusou a observar pessoalmente a Jamaica, adversária na fase de grupos. Time eliminou o Brasil

Mas como o blog antecipou, sua passagem na Seleção Brasileira estava terminada.

Ela completou quatro anos, contratada em 2019. Ganhou uma Copa América apenas.

Foram 57 jogos disputados, 34 vitórias, dez derrotas e 13 empates.

O favorito para ficar com o lugar de Pia é o treinador do Corinthians, Arthur Elias. Mas Emily Lima, ex-técnica da Seleção, e Rosana Augusto, treinadora do Bragantino, correm por fora.

Mas há possibilidades de vir uma treinador ou treinadora do Exterior.

A verdade é que Ednaldo quis fazer questão de encerrar o ciclo Pia.

E pessoalmente.

Ela foi demitida na sede da CBF hoje.

Mas o blog anunciou há 21 dias...

A última dança! Marta se despede de Copas e deixa um legado histórico

" gallery_id="64c978d7cd77c08b620008ab" url_iframe_gallery="esportes.r7.com/prisma/cosme-rimoli/pia-sundhage-demitida-30082023"]

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.