Cosme Rímoli Pela 1ª vez na história, jogador do Corinthians preso por racismo. Edenilson jura ter sido chamado de 'macaco'. Rafael Ramos nega

Pela 1ª vez na história, jogador do Corinthians preso por racismo. Edenilson jura ter sido chamado de 'macaco'. Rafael Ramos nega

No empate por 2 a 2 entre Inter e Corinthians, muita confusão. Edenilson garantiu que Rafael Ramos o chamou de macaco. Relatou ao árbitro e ainda prestou queixa. O português foi preso e solto depois de pagar fiança

  • Cosme Rímoli | Do R7

Edenilson prestou queixa na polícia contra Rafael Ramos. Garante que Rafael o chamou de 'macaco'

Edenilson prestou queixa na polícia contra Rafael Ramos. Garante que Rafael o chamou de 'macaco'

Reprodução/Twitter

São Paulo, Brasil

"Fo...-se, macaco."

Essa foi a frase que o meio-campista Edenilson, do Internacional, acusou o lateral português Rafael Ramos, do Corinthians, ter usado contra ele, aos 30 minutos do segundo tempo, no empate por 2 a 2, em Porto Alegre, pelo Brasileiro.

Os dois se desentenderam durante o jogo. E discutiram. As tevês que transmitiam a partida não conseguiram captar as palavras de Ramos. O que aconteceu é que Edenilson ficou revoltado com o que ouviu. Tentou tirar satisfações e, em seguida, procurou o árbitro Bráulio da Silva Machado. Relatou o que ouviu e exigiu que ele colocasse na súmula o ato de racismo. 

Edenilson jogou no Corinthians e é ainda muito amigo de vários jogadores, que fizeram questão de ouvi-lo. O lateral português mal chegou ao Parque São Jorge, indicado por Vítor Pereira. Os atletas do Internacional ficaram revoltados com a acusação. Percebendo que haveria confusão, o treinador corintiano tirou Ramos do jogo.

Mas, após o término da partida, Edenilson fez questão de registrar queixa contra o lateral, por injúria racial.

Pela primeira vez na história um jogador do Corinthians foi preso, em flagrante, detido no posto policial do Estádio Beira-Rio. Ele só acabou solto depois que o clube pagou R$ 10.000 como fiança. Mas o processo de injúria racial seguirá. Apenas começou.

Edenilson foi campeão mundial pelo Corinthians. Era reserva. Manteve muitos amigos no clube

Edenilson foi campeão mundial pelo Corinthians. Era reserva. Manteve muitos amigos no clube

Reprodução/Instagram

Após o jogo, Edenilson conversou com Rafael Ramos,que foi até o vestiário do clube gaúcho. Este recusou a dar entrevista. Só os dirigentes do Internacional falaram e confirmaram que vão "até as últimas consequências" para punir o ato que consideram racista.

"O atleta foi até o vestiário do Inter, eles conversaram. Mas a verdade é que nós acreditamos, independentemente das declarações do outro lado. Nos solidarizamos com o atleta e estamos apoiando o Edenilson em qualquer das atitudes que venha tomar. O Inter não admite e não compactua com o racismo e está ao lado do Edenilson e se solidarizando para o que for necessário", resumiu o vice-presidente Emilio Papaleo Zin.

"Fo..-se, cara..."

O lateral corintiano fez questão de dar a sua versão.

"Estou aqui com a consciência e a cabeça limpa para explicar o que aconteceu. Foi puramente um mal-entendido entre mim e o Edenilson.

"No fim do jogo estive com ele e tivemos uma conversa tranquila em que expliquei o que tinha acontecido. Ele explicou o que realmente entendeu, que não é verdade. Eu expliquei a verdade daquilo que eu tinha dito. Foi isso que aconteceu. Tivemos uma conversa tranquila. Ele mostrou um receio de se passar por mentiroso, e aí eu falei que ele não é um mentiroso, apenas entendeu as palavras errado. Apertamos as mãos e desejei ele boa sorte", garantiu o português.

Rafael foi preso logo após o jogo. Para a diretoria, ele disse 'cara...' a Edenilson. Já há até a versão de 'malaco'

Rafael foi preso logo após o jogo. Para a diretoria, ele disse 'cara...' a Edenilson. Já há até a versão de 'malaco'

Rodrigo Coca/Corinthians

"Boa noite, pessoal, passando aqui apenas para me pronunciar. Eu sei o que ouvi, realmente eu não reagi provavelmente da forma que deveria, pois foi a primeira vez que isso aconteceu comigo e me incomoda o fato de ficar chamando a atenção de outra forma que não seja jogando futebol.

"Eu procurei o atleta para que ele assumisse e me pedisse desculpas, afinal todos erramos e temos direito de admitir, no meu modo de ver as coisas. Mas o mesmo continuou a dizer que eu havia entendido errado. Eu não entendi errado, o procurei pelo respeito que tenho por alguns integrantes do Corinthians e para que ele pudesse ter uma chance de se redimir."

Edenilson deixou claro que vai seguir com a acusação criminal contra o corintiano.

Os dirigentes do clube paulista garantiram que ouviram Rafael Ramos e o que ele disse não foi macaco. Ele teria dito 'fo...-se, cara...".

O árbitro Bráulio registrou na súmula a acusação de Edenilson e a defesa do português.

Conselheiros corintianos ligados a Duilio Monteiro Alves já têm uma terceira versão. A de que o lateral teria dito 'fo...-se, malaco'.

Edenilson tem 32 anos, já foi convocado para a seleção brasileira, é experiente. Fazia parte do elenco campeão do mundo pelo Corinthians em 2012.

Toda essa vivência não o faria se expor tanto se não acreditasse ter ouvido ser chamado de 'macado'.

O lateral português tem 27 anos, também experiente, passou pelo futebol de Portugal, Estados Unidos, Alemanha. Também deve saber o que fala.

A questão fria é que Rafael Ramos pode ser punido esportivamente e também na sua vida civil. Injúria racial, se comprovada, implica multa e detenção, prisão de um a seis meses.

No futebol brasileiro, a punição pode ir de cinco a dez jogos. Mais multa.

O Corinthians é um clube que historicamente se posiciona contra o racismo. Fazendo, inclusive, campanhas públicas.

E que recentemente se envolveu no caso de injúria racial. No dia 27 de abril, Leonardo Ponzo foi detido no estádio corintiano, em Itaquera. O torcedor do Boca Juniors estava imitando macaco, ironizando a torcida do clube paulista. Foi identificado, preso em flagrante. O consulado argentino pagou multa de R$ 10.000 e ele voltou para a Argentina. O processo segue correndo em São Paulo.

A situação que aconteceu ontem em Porto Alegre é gravíssima.

E a opinião pública merece ser esclarecida.

Se houve ou não racismo.

Por causa do exemplo que o caso vai passar para a sociedade.

É intolerável aceitar atos racistas.

Mas que fique provado.

Ser houve a ofensa, Edenilson tem a obrigação, com o apoio do Internacional, de ir até o fim contra Rafael Ramos.

E o Corinthians, de verificar a verdade.

A situação é vergonhosa e precisa ser esclarecida...

Tom Brady assina acordo de R$ 1,9 bilhão para virar comentarista

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas