Cosme Rímoli Palmeiras tem de agradecer a Edenilson. Principal responsável pela vitória contra o Inter

Palmeiras tem de agradecer a Edenilson. Principal responsável pela vitória contra o Inter

O jogador da Seleção agiu como um juvenil. Xingou o juiz depois de pênalti. Deixou o Inter com um a menos, aos quatro minutos do segundo tempo. Jogar com 11 contra 10 foi fundamental para o Palmeiras voltar a vencer

  • Cosme Rímoli | Do R7

Edenílson expulso. Ele foi o 'maior' reforço do Palmeiras na vitória contra o Internacional

Edenílson expulso. Ele foi o 'maior' reforço do Palmeiras na vitória contra o Internacional

Reprodução/TNT

São Paulo, Brasil

Acabou o sufoco.

Depois de sete partidas sem vitórias, cinco pelo Brasileiro, e dois empates na semifinal da Libertadores, o Palmeiras voltou a desfrutar uma vitória. Diante do competitivo Internacional, de Diego Aguirre, por 1 a 0, no Allianz Parque.

Graças a um lance sem querer. Rony foi cruzar e bateu no braço de Cuesta. Pênalti que Raphael Veiga não desperdiçou, aos quatro minutos do segundo tempo.

Mas o que fez o treinador uruguaio se desesperar foi a reação infantil de Edenílson, jogador de 31 anos, que Tite está apostando na Seleção Brasileira. Ele não teve o menor controle emocional e xingou o árbitro Braulio da Silva Machado. Foi expulso.

O Internacional, que equilibrava a partida, se viu de uma vez só, perdendo o jogo e com um atleta a menos.

Os golpes foram fatais.

E o Palmeiras, que mostrou apenas mais combatividade, vontade, mas nenhuma mudança tática significativa, ganhou mais do que três pontos, voltando à quarta posição no Brasileiro. O time ganhou confiança para seguir jogando, garantir a classificação para a Libertadores de 2022. E mais importante, decidir a Libertadores de 2021, no dia 27 de novembro, contra o Flamengo, no Uruguai.

"Importante (voltar a vencer) porque a gente estava se dedicando, competindo, lutando, mas às vezes não sai como a gente quer. Nunca faltou dedicação, empenho... Às vezes no futebol é engraçado, fazemos tudo certo, a bola bate na trave e não entra. Toda vitória traz clima bom para o vestiário, para a semana. Acredito que agora é daqui para cima", disse, aliviado, Raphael Veiga.

Raphael Veiga comemora a cobrança perfeita do pênalti. Vitória traz confiança ao Palmeiras

Raphael Veiga comemora a cobrança perfeita do pênalti. Vitória traz confiança ao Palmeiras

ETTORE CHIEREGUINI/AGIF/ESTADÃO CONTEÚDO

Mas a chave da vitória foi assumida por Marcelo Lomba.

O goleiro deixou claro o que todos viram: Edenílson sabotou o Internacional.

"Acho que teve o toque na mão, mas (o time) perde muito quando tem um jogador a menos. O jogo estava bom, disputado. Teve um desequilibrio muito grande no jogo. É difícil jogar aqui, o Yuri ainda teve uma chance, o Aguirre fez uma substituição e deixou o time mais ofensivo. Brasileirão não é fácil, ficar com um a menos. Complica."

Não há mesmo defesa para o meio-campista. O Palmeiras tem muito a agradecer pela bobagem que fez.

"Eu estava de costas para o Edenílson e árbitro. Acho que teve o toque na mão, mas perde muito quando tem um jogador a menos. O jogo estava bom, disputado. Teve um desequilibrio muito grande no jogo. É difícil jogar aqui, o Yuri ainda teve uma chance, o Aguirre fez uma substituição e deixou o time mais ofensivo. Brasileirão não é fácil, ficar com um a menos complica."

Abel Ferreira sabia o quanto o Palmeiras estava pressionado. Um dos melhores elencos do país sem vencer há sete jogos trazia não só críticas, mas muita incerteza em relação ao futuro dos atletas. E mesmo do treinador.

A dona da Crefisa, a bilionária Leila Pereira, será eleita no próximo mês e assumirá a presidência em janeiro. Conselheiros e até membros da atual diretoria garantem que haverá a chegada de reforços importantes em 2022. Do nível dos que foram negados pelo atual presidente, Mauricio Galiotte, como Hulk e Diego Costa.

Assim, só resta a dedicação total dos jogadores, nas 14 partidas que restam para terminar 2021. Abel Ferreira pegou exatamente esse espírito de peneira e forçou muito nos treinamentos a parte física. 

Ele sabia que iria enfrentar um Inter compacto, buscando contragolpes em alta velocidade, em bloco. 

Mas correu o risco de marcar sob pressão porque sabia que seu time tinha a obrigação da vitória, contava com mais talento e porque haveria a forte cobrança da torcida palmeirense. Para que, ao menos, a apatia fosse abandonada.

O Inter atuava no 4-5-1. Com muita pegada, rispidez, briga física pela posse de bola. O Palmeiras começou fulminante. Dudu descobriu Marcos Rocha livre. O lateral chutou na trave de Lomba. Eram três minutos do primeiro tempo. Foi o cartão de visita.

O Palmeiras seguiu com suas linhas adiantadas. Mas o Internacional, aos poucos, foi encaixando a marcação, travando Dudu e Raphael Veiga, os responsáveis pela articulação palmeirense. Taison estava muito distante de Yuri Alberto e Palacios, do lado do Inter.

Abel Ferreira esteve muito preocupado até o pênalti e ganhar um jogador a mais

Abel Ferreira esteve muito preocupado até o pênalti e ganhar um jogador a mais

Cesar Greco/Palmeiras

Luiz Adriano fazia outra partida assustadoramente ruim. Rony apenas corria, afobado.

O jogo seguiu truncado. 

No segundo tempo, quando o Inter voltou até mais atrás, para travar, enervar o time palmeirense, houve o lance inesperado. O cruzamento de Rony batendo na mão de Cuesta. Ele estava com o braço esticado. Pela fria lei, pênalti.

Os jogadores do Internacional reclamaram, como é mais que normal.

Edenilson chegou bem perto do árbitro Braulio da Silva Machado. Com a mão sobre os lábios, para que não fosse feita a leitura labial, ele xingou o juiz. E foi expulso. A certeza está na frase que Braulio disse a jogadores do Inter: "Está gravado o que ele falou", se referindo ao VAR, que grava os sons perto do microfone do árbitro, que serve de comunicação com a cabine.

Aguirre ficou irritadíssimo com a expulsão infantil de Edenílson

Aguirre ficou irritadíssimo com a expulsão infantil de Edenílson

Internacional

Raphael Veiga marcou, o Internacional com um a menos lutou. Aguirre adiantou seus jogadores. Mas o Palmeiras com 11 jogadores diminuiu o ritmo, atacou menos. E segurou a importante vitória.

É inconcebível como um jogador da Seleção Brasileira se comportou como um garoto.

Edenílson ajudou demais na recuperação do Palmeiras.

Situação surreal no futebol que se diz 'profissional'...

CR7 presenteia esposa com porta-joias de quase R$ 1 milhão

Últimas