Cosme Rímoli Palmeiras sofre, mas vence o Fluminense e dispara na liderança

Palmeiras sofre, mas vence o Fluminense e dispara na liderança

Time de Abel Ferreira não jogou bem. Roger Machado conseguiu impor mais intensidade no primeiro tempo. No segundo, o Alviverde se impôs e venceu em um gol contra de Manoel

  • Cosme Rímoli | Do R7

Gustavo Scarpa e Raphael Veiga comemoram o gol contra de Manoel. Liderança isolada

Gustavo Scarpa e Raphael Veiga comemoram o gol contra de Manoel. Liderança isolada

MARCELLO ZAMBRANA/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDO - 24/07/2021

São Paulo, Brasil

Bastou o Palmeiras jogar um tempo.

O segundo.

E conseguiu a sua sétima vitória seguida no Brasileiro. Venceu o Fluminense por 1 a 0, gol contra de Manoel, aos oito minutos da etapa final, no Allianz Parque. Depois de falha feia de Egidio, que deixou a bola passar do seu lado e chegar até Raphael Veiga, da linha de fundo, cruzar forte.

O Palmeiras segue mais líder ainda do Brasileiro, com 31 pontos, abrindo cinco do segundo colocado, o Atlético Mineiro.

Os três pontos importantíssimos foram injustos, na análise total do jogo.

"O Campeonato Brasileiro é díficil. O Fluminense é bem treinado. A gente sabia que a ia sofrer um pouco. Não fizemos um jogo tão bom como vínhamos fazendo. Mas temos que valorizar nossas vitórias.

"No Brasileiro importante é ganhar. A equipe voltou mais ligada no segundo tempo, merecíamos fazer mais gols. Há um cansaço acumulado, são muitos jogos, viagens, faço de tudo para estar sempre bem.

"Uma hora a perna pesa, o corpo cansa", desabafou Raphael Veiga.

O Palmeiras conseguiu se reinventar na partida. No primeiro tempo, o Fluminense foi muito mais intenso, vibrante, criou chances para sair na frente no placar. Zé Rafael chegou a salvar um gol em cima da risca, depois que Gabriel Teixeira chutou e a bola já havia passado por Weverton, aos seis minutos.

O time paulista queria um ritmo mais lento, cadenciado. O Fluminense, não. Buscava ataques em bloco e com velocidade. Outro erro do Palmeiras era tentar atacar pelo meio, esquecendo as laterais. Facilitava a retomada de bola carioca.

Abel Ferreira não estava outra vez no banco, suspenso. O time sempre se ressente sem treinador. O auxiliar João Martins não é ouvido como o mesmo respeito.

Além disso, as palavras de Raphael Veiga têm peso.

Os jogadores do Palmeiras se mostraram cansados. Desgastados pela tensão de seguirem líderes do Brasileiro e classificados para as quartas-de-final da Libertadores da América.

Zé Rafael se desdobrou. Marcou muito na intermediária. E ainda salvou gol em cima da linha

Zé Rafael se desdobrou. Marcou muito na intermediária. E ainda salvou gol em cima da linha

Cesar Greco/Palmeiras

Nos minutos finais, o Fluminense adiantou a marcação e pressionou até não mais poder. O time paulista conseguiu ter consciência e muita gana na marcação. Até mesmo Dudu e Willian tiveram de ficar atrás, marcando, dando chutões.

O  Palmeiras. Sofreu. Mas conseguiu a vitória tão desejada.

O Fluminense ficou estagnado na nona colocação.

Deveria ter melhor sorte no jogo de hoje.

"Acho teve bom ritmo de jogo, infelizmente a gente não aproveitou as chances, o Palmeiras aproveitou. A gente fez por merecer um empate, mas eles souberam aproveitar a oportunidade que tiveram", disse, inconformado, Yago Felipe.

Zé Rafael salvou em cima da linha, chute de Gabriel Teixeira. Palmeiras sofreu

Zé Rafael salvou em cima da linha, chute de Gabriel Teixeira. Palmeiras sofreu

Reprodução/Premiere

Agora, o Palmeiras terá uma semana para se preparar.

Recuperar a energia da maratona.

E enfrentar o rival São Paulo, no Morumbi, no próximo sábado.

O time de Abel Ferreira precisa mesmo descansar.

Além de comemorar esses três pontos, conseguidos no sufoco...

Veja fotos do empate da seleção feminina com a Holanda em Tóquio

Últimas