Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Palmeiras letal. Favorito ao tricampeonato paulista, vence, sem risco, o Botafogo, gol de Rony. Invicto e primeiro na classificação geral

O Palmeiras venceu, sem esforço, o Botafogo, em Barueri. Termina, pelo terceiro ano seguido, com a melhor campanha, invicto. Jogará as quartas, e se passar, a semifinal, em casa. O Santos acabou em segundo

Cosme Rímoli|Do R7 e Cosme Rímoli

Rony marcou o único gol de hoje, contra o Botafogo. Domínio frio, calculado e eficiente, do time de Abel
Rony marcou o único gol de hoje, contra o Botafogo. Domínio frio, calculado e eficiente, do time de Abel Rony marcou o único gol de hoje, contra o Botafogo. Domínio frio, calculado e eficiente, do time de Abel (Cesar Greco/Palmeiras)

São Paulo, Brasil

Objetivo como um time como uma equipe montada por inteligência artificial.

39 jogos sem perder na fase de classificação de um Estadual.

Recorde absoluto em todo Brasil.

Publicidade

Por terceiro ano seguido termina a primeira fase de classificação do Campeonato Paulista, o mais difícil do país.

É a quinta vez em oito anos.

Publicidade

O Palmeiras de Abel Ferreira segue impressionante.

Busca, como favorito, o tricampeonato paulista.

Publicidade

Com a vitória de hoje, diante do Botafogo, em Barueri, por 1 a 0, gol de Rony.

O time chegou a 26 pontos, com oito vitórias e quatro empates.

Publicidade

"Quero agradecer a Deus por mais uma vez poder estar marcando. Também quero agradecer à minha família, meus filhos, minha esposa, meus familiares que estão no Pará, por todo apoio, incentivo.

"É uma felicidade imensa ter o apoio de cada familiar e daqueles torcedores que de verdade torcem pelo meu trabalho meu sucesso. Uma partida difícil, sabemos o quão importante nesse campeonato é terminar em primeiro", resumiu Rony, que aproveitou a chance de começar o jogo. Foi apenas a segunda partida no ano que joga 90 minutos.

A felicidade de Rony ao marcar o gol da vitória. Jogada mais do que ensaiada. Cruzamento da intermediária
A felicidade de Rony ao marcar o gol da vitória. Jogada mais do que ensaiada. Cruzamento da intermediária A felicidade de Rony ao marcar o gol da vitória. Jogada mais do que ensaiada. Cruzamento da intermediária (Rebeca Reis/Ag. Paulistão - 09.03.2024)

Mesmo mesclando reservas com titulares, os palmeirenses marcaram 20 gols e sofreram apenas nove gols.

Terá a vantagem de jogar em casa a partida única, e decisiva, das quartas-de-final no próximo final de semana.

Se passar, disputará a semifinal também em casa.

Na rodada de hoje, antecipada pela Federação Paulista, o único rival possível para terminar em primeiro na fase de grupos era o Santos. 

Mas a vitória do time de Carille, contra a Inter de Limeira, por 3 a 2, manteve o clube na segunda colocação geral, com 25 pontos.

O Palmeiras se deu ao luxo de poupar Zé Rafael e Endrick, ambos com dois cartões amarelos.

Abel Ferreira sabia que seu adversário não era forte. Inclusive, entrou em campo já eliminado, como mero franco atirador.

Montado em um ofensivo 4-3-3, o técnico fez com que Raphael Veiga fosse o único articulador. No ataque, Rony, Flaco López e Lázaro. Mayke e Piquerez buscavam as triangulações pelos lados do campo. 

Mas Paulo Gomes treinador do Botafogo sabia da dependência palmeirense de Veiga. E tratou de montar seu time no 5-4-1. Fechando a intermediária, tinha a certeza de que o sofrimento seria menor.

E conseguia travar o jogo.

Até o lance capital da partida.

Aos 37 minutos, Flaco Lópes deu ótimo lançamento para Rony, entre a zaga.

Na sobra, Matheus Costa decidiu segurar a camisa do velocista atacante.

E recebeu o cartão vermelho.

Tudo ficou mais fácil, com um jogador a mais.

Paulo Gomes teve de recuar de vez, o Botafogo.

Os contragolpes raros do time do Interior se tornaram raríssimos.

Com só um meia talentoso, o Palmeiras não tocava a bola. 

Pelo contrário, insistia nos cruzamentos da intermediária, para os jogadores de ataque, Flaco Lópes e Rony, entrarem em velocidade para cabecear.

Jogo feio, previsível, mas eficiente.

O primeiro tempo terminou em 0 a 0, mas havia a certeza no ar que o Botafogo não resistiria.

"A gente sabe muito bem que jogo assim é meio complicado quando ficam com linha de cinco. Com um a mais ajuda, temos que ter paciência", resumia, com precisão, Lázaro.

De tanto forçar, veio o gol do Palmeiras.

Mayke cruzou com perfeição, para a entrada letal de Rony.

Sua estatura de 1m67 é o que menos conta, diante da sua impulsão e excelente posicionamento, assim que a bola sai do pé direito do companheiro. 

A cabeçada foi fulminante, sem chances para o bom goleiro de Michael.

1 a 0, Palmeiras.

O gol aos 23 minutos do segundo tempo trouxe a sensação de que a partida havia 'acabado'.

O Palmeiras frio, efetivo, de Abel Ferreira, não iria se abrir para buscar o segundo gol.

O Botafogo com um atleta a menos e seu time cansado, não criava o menor perigo.

E foi exatamente isso.

Tudo como previsto.

Furch marcou dois gols na vitória santista contra a Inter de Limeira. Jogo cheio de emoção e reviravoltas
Furch marcou dois gols na vitória santista contra a Inter de Limeira. Jogo cheio de emoção e reviravoltas Furch marcou dois gols na vitória santista contra a Inter de Limeira. Jogo cheio de emoção e reviravoltas (Raul Baretta/ Santos FC)

Nada da 'loucura', como direito a reviravoltas no placar, da Vila Belmiro.

Quirino marcou o primeiro gol, de pênalti, aos 15 minutos. Aos 16, Furch, empatou. Quirino fez 2 a 1 para o time do Interior, aos 23 minutos do primeiro tempo.

Na segunda etapa, o Santos pressionou, lutou, com coragem, empurrado pela torcida, chegou ao empate. Furch cobrou pênalti. E, aos 38 minutos, Cazares recebeu um presente do zagueiro Max. E fez 3 a 2.

Resultado que dá moral para o clube rebaixado à Segunda Divisão.

Mas não foi suficiente para 'roubar' a primeira colocação geral do Palmeiras.

O time de Abel Ferreira se mostra letal no Paulista.

E mais do que favorito ao tricampeonato...

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.