Cosme Rímoli Outra vez torcedor do Boca Juniors imita macaco. A Conmebol precisa ter coragem e punir o clube mais forte nos bastidores

Outra vez torcedor do Boca Juniors imita macaco. A Conmebol precisa ter coragem e punir o clube mais forte nos bastidores

A legislação mudou há oito dias, depois de cinco casos contra brasileiros. A Conmebol terá que cobrar financeiramente o Boca Juniors. E cumprir a promessa de jogos sem público, para racistas infiltrados na sua torcida

  • Cosme Rímoli | Do R7

Outra vez, torcedor do Boca Juniors imita macaco. Conmebol tem a obrigação de punir o clube argentino

Outra vez, torcedor do Boca Juniors imita macaco. Conmebol tem a obrigação de punir o clube argentino

Reprodução/Instagram

São Paulo, Brasil

Não é segredo para nenhum dirigente sul-americano.

O Boca Juniors é o time mais forte na Conmebol.

A direção do clube argentino sabe da tradicional provocação a brasileiros ao longo da história.

Infelizmente virou normal, era aceito, alguns membros de suas organizadas imitarem macacos para tentar humilhar os brasileiros.

Comparando a presença importante dos negros na nossa população com símios, em atitude racista, absurda.

Leonardo Ponzo chegou a ser preso por imitar macaco, em Itaquera. O consulado argentino fez questão de pagar a fiança de R$ 10 mil, na noite de 27 de abril.

E, ontem, aconteceu a mesma coisa.

Antes de a partida começar, um torcedor do Boca Juniors imitou um macaco para os brasileiros que estavam na Bombonera.

A imagem da vexatória cena foi gravada.

Há exatos oito dias, depois de cinco casos de racismo em suas competições, contra brasileiros, a entidade mudou sua legislação. E a multa mínima para caso de racismo de torcedores passou de 35 mil dólares, cerca de R$ 175 mil, para 100 mil dólares, cerca de R$ 996 mil.

A Conmebol ainda abriu a possibilidade de o clube ser punido, jogando sem torcida. Ou perdendo o mando de campo.

Resta agora cobrar uma atitude da entidade, diante do caso de ontem.

O Corinthians até divulgou nota oficial nesta madrugada.

"O Sport Club Corinthians Paulista considera inaceitáveis as manifestações de racismo da torcida do Boca Juniors, bem como o tratamento dado à sua torcida na chegada ao estádio La Bombonera, o que retardou a ocupação dos lugares reservados a ela ao longo de toda a primeira etapa."

Há muita dúvida no Corinthians se a Conmebol punirá o Boca Juniors.

O clube mais forte nos bastidores da Libertadores da América....

Relembre os casos de racismo contra times brasileiros na Libertadores 2022

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas