Cosme Rímoli Os bastidores da confusão envolvendo Felipão e a Colômbia

Os bastidores da confusão envolvendo Felipão e a Colômbia

O treinador foi procurado por um oportunista agente que ofereceu o comando do time colombiano. A Colômbia o desmentiu publicamente

Felipão, Colômbia, convite, desmentido, Palmeiras

Felipão acreditou em um empresário que não representava a Colômbia

Felipão acreditou em um empresário que não representava a Colômbia

Agência Palmeiras

São Paulo, Brasil

"La Federación Colombiana de Fútbol se permite informar que ningún miembro del Comité Ejecutivo ha hecho algún ofrecimiento laboral al Director Técnico Luiz Felipe Scolari para que dirija a la Selección Colombia de Mayores.

Asimismo, aclara que nunca se le ha realizado una oferta económica formal para dicho cargo.

Por el contrario, celebramos su decisión de quedarse en su actual equipo Palmeiras, ya que acá en Colombia no cuenta con una oferta laboral oficial por parte de la FCF."

"A Federação Colombiana de Futebol se permite informar que não está buscando ao treinador Luiz Felipe Scolari para dirigir a seleção nacional.

Parabenizamos sua decisão de seguir no Palmeiras, já que aqui não há nenhuma proposta de trabalho."

Dessa forma, em um comunicado oficial, no seu site, a Colômbia desmentiu de maneira categórica um boato que já domina o Palmeiras desde a conquista do Brasileiro. O suposto interesse do país em Luiz Felipe Scolari.

O próprio técnico palmeirense acabou por ajudar a difundir o assédio.

Inclusive hoje pela manhã. 

Perguntado sobre propostas para deixar o decampeão brasileiro, Felipão não poderia ser mais direto.

"Não vou dizer que sim nem que não, mas tenho contrato com o Palmeiras. E o Palmeiras sabe disso, me manifestei duas ou três vezes, até em relação a convite chinês.

Disse que não iria sair.

Veja mais: Scolari fala de ofertas de Colômbia e China: 'Fosse por valores, eu teria ido'

Parece que a Colômbia não entendeu que não vou sair. Aumenta valores... Não é questão de valores apenas. Se fosse questão de valores, teria aceitado um convite chinês, mas não me interessei no momento."

O argentino José Pékerman ficou quatro anos treinando a Colômbia. Deixou seu cargo há quatro meses. Desde então, o país busca um treinador importante para assumir o cargo.

Agentes brasileiros vividos sabem o que aconteceu.

Há vários empresários, agentes que se dizem autorizados pela Federação Colombiana buscando esse novo nome. Saem sondando por conta própria.

A ideia é simples.

Insistem até conseguir uma resposta positiva.

Se conseguem, fazem o caminho contrário.

Batem à porta do presidente Ramón Jesurun Franco e dizem que o treinador 'importante' quer dirigir a Colômbia. E cobra comissão pela transação.

O que causou o problema foi que Felipão, além de não aceitar, decidiu tornar pública a oferta.

Só que não havia nada de oficial.

Veja mais: Felipão relata problemas na China, e conversa e reza para Dudu ficar

Apenas um empresário tentando usar o nome de Scolari.

Felipão não mentiu.

Só acreditou no agente errado.

Daí o irônico comunicado oficial da Federação Colombiana...

Curta a página R7 Esportes no Facebook

Negócio fechado! Veja as contratações do mercado da bola