Cosme Rímoli O tempo passou até para Cristiano Ronaldo. A constrangedora volta ao Manchester United

O tempo passou até para Cristiano Ronaldo. A constrangedora volta ao Manchester United

A Juventus não quis seguir com o atacante de 36 anos. O PSG não se interessou. O City não cedeu Gabriel Jesus para ter o português. Daí o retorno ao Manchester United, que não tem nada de romântico

  • Cosme Rímoli | Do R7

O Manchester United fez grande festa. Apostando no Cristiano Ronaldo de 12 anos atrás

O Manchester United fez grande festa. Apostando no Cristiano Ronaldo de 12 anos atrás

Reprodução/Instagram

São Paulo, Brasil

5 de feveireiro de 1985.

36 anos são 36 anos na Espanha, na Itália, na Inglaterra, no mundo todo do futebol.

Mesmo quando seu nome é Cristiano Ronaldo dos Santos Aveiro.

Cinco vezes escolhido melhor do mundo. Dono do recorde mundial de gols em jogos oficiais, deixando Pelé para trás. Conquistou cinco Ligas dos Campeões. 

Melhor jogador português de todos os tempos.

A volta de Cristiano Ronaldo ao Manchester United, 12 anos depois, só tem lugar de romantismo para os ingênuos.

Depois da primeira passagem pelo Old Trafford, muita coisa mudou. Os tempos áureos foram seus nove anos no Real Madrid. Suas últimas três temporadas na Juventus foram decepcionantes para um jogador que foi contratado a peso de ouro, ganhando 31 milhões de euros, R$ 190 milhões por ano.

O objetivo da Juventus de Turim era claro, transparente. Cristiano Ronaldo chegava com o peso de fazer o clube vencer a Champions League. Só que o resultado foi frustrante.

O tradicional clube italiano foi eliminado três vezes nas quartas-de-final. E diante de adversários que não são gigantes atuais do futebol mundial. Eram times médios, com potencial, teoricamente, menor do que a Juventus: Ajax, Lyon e Porto.

Desilusão na Juventus. Contratado a peso de ouro. Fracassou em três Champions League

Desilusão na Juventus. Contratado a peso de ouro. Fracassou em três Champions League

Marco BERTORELLO / AFP

Para complicar, nem mesmo na Itália, a Juventus conseguiu se impor. Depois do bicampeonato com Cristiano Ronaldo, na temporada 2020/2021 teve de aplaudir a conquista da Inter de Milão. A queda foi brusca demais e abalou o prestígio do português. 

O clube de Turim, que havia vencido nove Campeonatos Italianos seguidos, na temporada passada passou pela 'humilhação' de chegar em quarto. Atrás da Inter, Milan e Atalanta.

Cristiano Ronaldo tinha contrato até 2022 com os italianos. Mas ele já estava farto de tantas cobranças da imprensa, diretoria, torcida. E o golpe final veio com a sutil sugestão se aceitar abaixar seu salário.

Seu empresário Jorge Mendes, considerado pelos jornalistas europeus, como o 'melhor do mundo', tratou de se mexer. Cristiano Ronaldo queria ir embora. 

Mesmo com a Juventus deixando claro que aceitaria cerca de um quarto dos 100 milhões de euros, cerca de R$ 615 milhões, não houve fila de interessados.

O PSG tinha dinheiro de sobra, mas queria e ainda quer segurar Mbappé. Se ele for embora, deseja um atleta mais jovem no ataque.

O presidente Florentino Pérez fechou as portas para o retorno ao Real Madrid. 

O caminho lógico e que instigava Cristiano Ronaldo era mesmo o Manchester City. Trabalhar com Guardiola, em uma equipe recheada de jogadores importantes. O treinador catalão teria o atacante definidor que tanto sonhara, depois de mais uma temporada fracassada na busca de Harry Kane, do Tottenham.

Cristiano Ronaldo estava apalavrado com o clube que pertence à família real dos Emirados Árabes, que manteria seu salário.

Só que, para o Manchester City, a Juventus exigiu além de dinheiro, um jogador específico para ceder Cristiano Ronaldo: Gabriel Jesus. Guardiola ofereceu Sterling. Nada feito.

Daí os românticos alegarem que um telefonema do histórico treinador Alex Ferguson fez com que ele voltasse para o Manchester United e não para o seu rival. 

Anúncio oficial do Manchester United. O foco ficou no Cristiano Ronaldo de 12 anos atrás

Anúncio oficial do Manchester United. O foco ficou no Cristiano Ronaldo de 12 anos atrás

Reprodução/Manchester United/Twitter

O clube inglês não chegará a pagar nem 25 milhões de euros. Vai bancar 15 milhões de euros, cerca de R$ 92 milhões. Mais 8 milhões de euros, R$ 49 milhões, como bônus. O que dá um total de 23 milhões de euros, cerca de R$ 141 milhões.

Ele assinou por duas temporadas.

Na primeira passagem de Cristiano Ronaldo pelo Manchester United, o português teve um desempenho fabuloso. Marcou 118 gols em 292 jogos e conquistou nove títulos, entre eles três Campeonatos Ingleses e uma Liga dos Campeões.

Desde que chegou à Juventus, Cristiano Ronaldo já havia mudado sua característica. As arrancadas em alta velocidade se tornaram cada vez mais raras. Como correr por todo o campo de ataque.

Se fixou como um atacante mais à frente, como referência, para correr menos e estar mais perto do gol.

A competitividade, a intensidade da Premier League serão um enorme desafio ao português.

O mundo do futebol adora histórias românticas, retornos surpreendentes.

Ainda mais do jogador mais midiático do planeta.

Mas a análise profunda mostra que, para a história de Cristiano Ronaldo, sua volta ao Manchester United é muito mais humilde do que parece.

36 anos são 36 anos.

Em qualquer lugar do mundo do futebol...

Últimas