Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

O renascimento de Galvão Bueno. Público rejeitou substitutos do narrador de 73 anos. Contrato deve ser renovado até a Copa de 2026

Luiz Roberto e Gustavo Villani não conseguiram fazer o público da Globo esquecer de Galvão Bueno. Emissora carioca quer índices maiores nos jogos da Seleção. E estuda, a sério, novo contrato até a Copa dos EUA

Cosme Rímoli|Do R7 e Cosme Rímoli

Cúpula da Globo chegou à conclusão que ainda não há substituto para Galvão Bueno
Cúpula da Globo chegou à conclusão que ainda não há substituto para Galvão Bueno Cúpula da Globo chegou à conclusão que ainda não há substituto para Galvão Bueno (Divulgação/McDonald's)

São Paulo, Brasil

Luiz Roberto, Gustavo Villani, Everaldo Marques.

Renata Silveira e o recém-contratado Paulo Andrade.

Estes são os principais narradores da Globo.

Publicidade

Mas pesquisas na emissora carioca apontam para uma direção.

Antiga, que foi dispensada do futebol masculino na final da Copa do Mundo, do Catar.

Publicidade

Com direito a um adeus definitivo na Olimpíada de Paris.

Mas o resultado da aposentadoria não deu certo.

Publicidade

A sombra se impôs.

E continua gigantesca.

A ponto de uma reviravolta inesperada dominar a cúpula da Globo.

Há a total unanimidade que há a necessidade do retorno de Galvão Bueno.

Mesmo completando 74 anos em julho, ele se mostra com disposição para voltar à narração.

Principalmente dos jogos da Seleção Brasileira.

Com os atuais fracassos com a atual geração de jogadores, a emissora precisa ter uma arma para que compense a compra da transmissão das Eliminatórias e até da Copa do Mundo dos Estados Unidos.

As derrotas do Brasil, na vozes dos atuais narradores não têm garantido a audiência desejada pelos patrocinadores.

Galvão, mesmo vivendo esse momento na 'geladeira', segue sendo a prima donna do esporte na emissora carioca.

As inúmeras propagandas que fez mostram sua popularidade intocada.

Mesmo fora do ar.

Galvão Bueno mostrou que sua popularidade segue intocada. Mesmo fora do ar
Galvão Bueno mostrou que sua popularidade segue intocada. Mesmo fora do ar Galvão Bueno mostrou que sua popularidade segue intocada. Mesmo fora do ar (Divulgação/Serasa)

Não houve a esperada empatia do público com Luiz Roberto.

Nem com Villani ou Everaldo.

A contratação de Paulo Andrade, que estava na ESPN, no mês passado, foi uma tentativa desesperada de preencher essa lacuna.

Mas ele é absolutamente identificado com o público paulista.

Está muito mais próximo de substituir Cleber Machado do que Galvão Bueno.

O narrador de 13 Copas do Mundo tem contrato até o final deste ano.

Já vazou, por pessoas ligadas à cúpula da emissora, que ele foi chamado para a renovação.

Até o final da Copa do Mundo de 2026.

Ele está muito disposto a rever sua posição.

E repetir Silvio Caldas, cantor que vivia prometendo se aposentar.

Galvão falou que pararia na Copa de 2014, no Brasil.

Depois, assegurou que o fim seria na Rússia, em 2018.

Chorou na final do Catar, em 2022.

Só que se sente com energia para ir até 2026.

Segue com exercícios para a voz.

Treinando fisicamente.

Tem usado seus canais nas redes sociais.

Não age como um aposentado.

A Globo o tem chamado até para programas femininos.

A série que fez sobre sua carreira teve muito boa repercussão.

A dependência da emissora carioca segue.

A reaproximação séria indica a possibilidade real de renovação.

E a inesperada 14ª Copa do Mundo.

Galvão está mudando o roteiro de sua 'interminável' carreira.

Mais uma vez...

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.