Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Cosme Rímoli - Blogs
Publicidade

O desprezo de Portugal a Cristiano Ronaldo incentivou Messi. Ele quer deixar a seleção argentina amado. Final será seu último jogo

No domingo, Messi se despede dos Mundiais. E, se a Argentina for campeã, tem grande chance de se despedir da própria seleção. Ele não quer passar o vexame que Cristiano Ronaldo. Vaiado e xingado pelos portugueses

Cosme Rímoli|Do R7 e Cosme Rímoli


Messi quer a sensação de deixar a seleção argentina 'amado'. E não desprezado como Cristiano Ronaldo
Messi quer a sensação de deixar a seleção argentina 'amado'. E não desprezado como Cristiano Ronaldo

Doha, Catar

Quando Kaká ganhou o prêmio de melhor jogador do mundo, em 2007, começou uma disputa histórica e particular.

Entre o segundo colocado, Lionel Messi, e o terceiro, Cristiano Ronaldo.

Nos últimos 15 anos, eles lutaram por seus clubes. Foram campeões, perderam títulos, comemoraram, choraram.

Publicidade

Messi conquistou sete Bolas de Ouro. Cristiano Ronaldo, cinco.

Atuaram pelos rivais Barcelona e Real Madrid.

Publicidade

Estrelas máximas dos seus países, se desdobraram na Argentina e em Portugal.

Não são amigos íntimos, mas se respeitam.

Publicidade

Sabem o que cada um dos dois significa.

Os dois anos a mais de Cristiano Ronaldo acabaram, aos poucos, pesando.

Ele foi o primeiro a cair em clara decadência.

Começou na Juventus, ao deixar o Real. A volta ao Manchester United, a reserva, a saída pelas portas dos fundos, depois de não conseguir render fisicamente o que o treinador holandes Erik ten Hag exigia, não houve solução. A não ser ir embora do clube que o lançou para o mundo.

Cristiano trabalha com quem é considerado o melhor "empresário do mundo", Jorge Mendes. A ligação era enorme, profunda. Mas está seriamente abalada desde que Mendes não conseguiu nenhum gigante europeu para colocar o jogador.

Leia também: 'Destruído psicologicamente', Neymar se cura. Com festa em mansão. Cinco dias depois de eliminação do Brasil na Copa

Bayern de Munique, PSG, Milan, Inter não quiseram nem abrir negociações. Cristiano Ronaldo não tem mais físico, explosão muscular, velocidade para se impor em times modernos, intensos, vibrantes. Além disso, sua personalidade forte exige que seja titular. E um salário que nunca é abaixo do R$ 12 milhões mensais, que recebia nesta última passagem pelo United.

Daí estar sem clube. Com uma única proposta. Jogar no Al Nassr, da Arábia Saudita.

Na seleção portuguesa, de jogador que a mídia e torcida imploravam, se tornou indesejado. A ponto de a torcida, aqui no Catar, vaiar sua escalação. E entrada em campo. Cristiano Ronaldo não é nem sombra do jogador que foi. 

A última imagem de Cristiano Ronaldo, chorando, pela eliminação e vaias, chocou Messi
A última imagem de Cristiano Ronaldo, chorando, pela eliminação e vaias, chocou Messi

Nada de arrancada, dribles em velocidade, arremates fulminantes. 

Parado, lento, perdendo divididas para jogadores medíocres. Um peso para o time de Fernando Santos. Ainda mais com o surgimento do garoto artilheiro Gonçalo Ramos.

Na partida contra o Marrocos, que custou a eliminação de Portugal, Cristiano Ronaldo foi vaiado e xingado pelos portugueses no estádio Al Thumama.

O maior jogador português em todos os tempos chorou.

Essa é a última imagem sua em Copas do Mundo.

Em fevereiro, completará 38 anos.

Não estará nos Estados Unidos.

Messi viu muito bem que o amor dos portugueses virou desprezo a Cristiano Ronaldo.

Ele já havia avisado a jornalistas amigos argentinos que não chegaria à Copa dos Estados Unidos.

O que aconteceu com Cristiano Ronaldo foi a gota d'água.

Estou muito feliz, obviamente, de chegar à final. Poder conseguir isso e poder terminar minha trajetória em Mundiais jogando minha última partida em uma final é muito emocionante, por tudo o que vivi nesta Copa e por ver como estão festejando as pessoas na Argentina.

"São muitos anos até o próximo Mundial, e não creio que dê para mim.

"É melhor terminar desta maneira", decretou, entusiasmado com a chegada à decisão do Mundial.

Messi feliz, aliviado, com a classificação da Argentina para a final da Copa do Mundo
Messi feliz, aliviado, com a classificação da Argentina para a final da Copa do Mundo

Os dirigentes da AFA, o treinador Lionel Scaloni e os companheiros de seleção respeitam sua decisão.

Sabem que, aos 35 anos, é mesmo o melhor a fazer.

Messi soube enxergar o cenário.

E vai sair pela porta da frente, de cabeça erguida.

Ao contrário do vaidoso Cristiano Ronaldo...

Confira 7 momentos em que Messi parece não sofrer com a presença de marcadores croatas

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.