Cosme Rímoli O Brasil deve o bi mundial, no Chile, à injustiçada Elza Soares. Só ela para controlar Garrincha

O Brasil deve o bi mundial, no Chile, à injustiçada Elza Soares. Só ela para controlar Garrincha

Elza Soares, que morreu hoje, exatos 39 anos após Garrincha, foi a grande responsável pelo título mundial no Chile. Sem Pelé, o Brasil dependia do ponta-direita. Ela evitou as noitadas. Ele fez uma Copa sensacional

  • Cosme Rímoli | Do R7

Garrincha coloca a faixa de campeã do mundo em Elza. Ao lado de uma réplica da Jules Rimet

Garrincha coloca a faixa de campeã do mundo em Elza. Ao lado de uma réplica da Jules Rimet

Reprodução/Instagram

São Paulo, Brasil

"Se não fosse por Elza Soares, o Brasil não seria bicampeão do mundo."

A frase é de Paulo Machado de Carvalho, chefe da delegação da seleção brasileira no Mundial do Chile, em 1962.

O "Marechal da Vitória" era homem de poucos elogios. Ele comandou com mão de ferro a delegação brasileira nas conquistas dos Mundiais de 1958, na Suécia, e do Chile. Procurava administrar as noitadas depois das partidas. 

A preocupação com a opinião pública, no entanto, desaparecia em relação à então escandalosa relação entre a cantora Elza Soares e Garrincha. O escândalo era que o espetacular jogador era casado com Nair Marques, namorada da infância. Tinha nove filhos com ela. 

Mas no Chile ele se portava como se estivesse casado com Elza Soares. Bonita, comunicativa, alegre, ela foi apontada, injustamente, como 'destruidora do casamento de Garrincha' e a 'mulher que o levou ao alcoolismo'.

"Isso é uma grande heresia. Aconteceu exatamente o contrário. Garrincha não respeitava seu casamento fazia anos, quando conheceu Elza Soares, em 1962. E se apaixonaram. Ele já bebia. Foi Elza que o controlou durante toda a Copa.

A sociedade da época perseguiu Elza. Pela separação e pela decadência de Garricha

A sociedade da época perseguiu Elza. Pela separação e pela decadência de Garricha

Reprodução/Instagram

"Não deixou que a bebedeira estragasse o Mundial fantástico que ele fez, dando o título ao Brasil, já que Pelé tinha se contundido no segundo jogo, contra a Tchecoslováquia. Garrincha, então, fez uma Copa maravilhosa até a conquista do bicampeonato. Elza tem toda a participação nesse título", disse Ruy Castro, biógrafo de Garrincha, à rádio CBN.

Garrincha foi o melhor jogador da Copa, artilheiro e campeão do mundo. Um feito inédito.

1962, por coincidência ou não, foi o último ano de grande futebol do maior ponta-direita de todos os tempos. No Chile, concentrado com a seleção brasileira, era mais fácil para Elza Soares controlar o jogador.

No Brasil, como o grande ídolo, responsável pelo bicampeonato mundial, Garrincha tinha acesso livre a todos os bares e camas. Aos trancos e barrancos, o casamento de "Crioula" e "Neném" durou 16 anos.

Elza Soares foi amaldiçoada pela decadência do futebol do jogador.

Mas ele tinha uma série de problemas físicos, além do alcoolismo.

Estrabismo, um desequilíbrio da pelve, 6 centímetros de diferença de comprimento entre as pernas; o joelho direito tinha valgismo, desvio na articulação "para dentro", e o esquerdo, varismo, desvio para fora. 

Após a paixão fulminante, separação, casamento. Alcoolismo, decadência em campo. Morte do filho

Após a paixão fulminante, separação, casamento. Alcoolismo, decadência em campo. Morte do filho

Reprodução/Twitter

Ou seja, era quase um milagre ele jogar futebol.

Elza e Garrincha tiveram um filho, Júnior, que morreu em um acidente automobilístico, aos 9 anos, em 1986. 

A cantora gostava de lembrar, em todas as entrevistas, a promessa que Garrincha fez a ela, no Chile.

"Olha, Crioula, vou ganhar a Copa do Mundo para você."

E cumpriu.

Graças à ajuda inestimável de Elza Soares, morta hoje, aos 91 anos.

Exatamente 39 anos depois da morte de Garrincha.

O 'seu' Neném...

FOTOS: Elza Soares foi estrela dos festivais de MPB e diva da música

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas