Cosme Rímoli O argentino que faz o limitado Santos liderar o Brasileiro

O argentino que faz o limitado Santos liderar o Brasileiro

Após dominante vitória contra o Corinthians, o Santos chega à primeira colocação do Brasileiro. Sampaoli consegue uma façanha com jogadores esforçados

Sampaoli, Santos líder, Vila Belmiro, Santos vence Corinthians

Sampaoli. Argentino entende mais a Vila Belmiro do que o presidente santista

Sampaoli. Argentino entende mais a Vila Belmiro do que o presidente santista

Santos

São Paulo, Brasil

"Ganhamos a partida sendo muito superiores ao Corinthians."

"Sabemos que o Palmeiras tem muita força em casa, mas hoje vamos dormir sendo líderes.

"Nunca imaginei que isso aconteceria isso no Brasileirão, um dos torneios mais difíceis do mundo

O sorriso de Jorge Sampaoli se destacava na entrevista coletiva após a vitória do Santos contra o Corinthians, jogando na Vila Belmiro, que ele tanto insistia com o presidente José Carlos Peres. 

E Sampaoli fez seu time encurralar o time de Fábio Carille. 

O ritmo santista foi impressionante, com muita velocidade, intensidade. 

A contagiante vontade de vencer superou as muitas deficiências técnicas. 

O resultado de 1 a 0 foi mentiroso. 

Sua equipe merecia ter goleado.

Deu nada menos do que 16 chutes a gol contra apenas dois do histórico rival.

O argentino entende muito melhor a importância, a força de atuar no pequeno e ultrapassado caldeirão do que no neutro Pacaembu.

"Aqui estamos na nossa casa."

O treinador argentino conseguiu que o time santista fizesse uma campanha impressionante nesta primeira fase do Brasileiro.

Nos nove jogos antes da Copa América foram seis vitórias, dois empates e uma só derrota.

Crianças pedem que continue no Santos

Crianças pedem que continue no Santos

Reprodução/Sportv

Mais do que os importantes 20 pontos, e a liderança que pode durar horas, com uma provável vitória do Palmeiras diante do lanterna Avaí, Sampaoli trouxe ao Santos a confiança de ter um perfil tático. 

Jogadores com limitações técnicas, mas que se aceitam cegamente as suas orientações, sabendo que vale a pena.

O Santos deve cerca de R$ 300 milhões. Não tem dinheiro para oferecer um elenco importante ao técnico que comandou a Argentina na Copa da Rússia.

Sampaoli desfaz na prática a desculpa de inúmeros treinadores brasileiros de que sem grandes jogadores não se faz um time.

É mentira.

O Santos dificilmente será campeão.

Mesmo com essa parada obrigatória de três semanas, o restante do Brasileiro será disputado em ritmo muito pesado.

Restarão 27 jogos, com o Santos com elenco pequeno e sem dinheiro para grandes contratações. 

Mas tem tudo para conseguir chegar ao verdadeiro objetivo: conseguir uma vaga para a Libertadores de 2020.

E com a marca registrada de Sampaoli.

Uma equipe com coragem de encurralar o adversário, jogar com objetividade, intensidade, trocas de posição do meio para a frente, ataques em bloco.

Corrigindo aos poucos a grande falha da equipe: a exposição aos contragolpes.

Não é por acaso que o argentino foi sondado pelo Flamengo, antes da contratação do português Jorge Jesus.

Em apenas seis meses, o argentino de 59 já ganhou espaço importante no futebol brasileiro. 

A xenofobia está esquecida na Vila Belmiro.

Sasha comemora o gol da vitória diante do Corinthians. Vitória tática

Sasha comemora o gol da vitória diante do Corinthians. Vitória tática

Marcelo Machado/Estadão Conteúdo - 12.6.2019

Está fazendo o Santos ir além que a sua própria diretoria acreditava.

Além de tudo, integrado na vida provinciana da cidade.

Se o time caiu no Campeonato Paulista, na Copa do Brasil, na Sul-Americana, a culpa é do elenco limitado que possui.

Em um torneio longo disputado com pontos corridos, o treinador mostra seu trabalho.

E o de Sampaoli está sendo ótimo...