Cosme Rímoli Neymar Pai investindo no futebol do Santos. E, no futuro, depois da Copa de 2026, Neymar voltando para a Vila. Objetivos de Teixeira

Neymar Pai investindo no futebol do Santos. E, no futuro, depois da Copa de 2026, Neymar voltando para a Vila. Objetivos de Teixeira

Eleito para um sétimo mandato como presidente do Santos, Teixeira assume o clube rebaixado e com dívidas de mais de R$ 650 milhões. Precisa de investimentos. Abriu as portas para Neymar pai, que sonha com a volta do filho

  • Cosme Rímoli | Do R7

Teixeira foi para Mangaratiba. Teve o apoio de Neymar para a eleição. E a promessa de que um dia voltará à Vila

Teixeira foi para Mangaratiba. Teve o apoio de Neymar para a eleição. E a promessa de que um dia voltará à Vila

Reprodução/Instagram

São Paulo, Brasil

Mais de R$ 650 milhões em dívidas, clube na segunda divisão, estádio ultrapassado, desinteresse de patrocinadores, jogadores importantes se recusando a atuar no clube bicampeão do mundo, por causa dos times fracos e do medo das violentas torcidas organizadas.

O cenário foi mais do que favorável para a volta do bilionário Marcelo Teixeira ao comando do Santos, pela terceira vez como presidente. No total, ele ganhou o direito de um sétimo mandato.

Os planos "normais" foram vazados.

Juan Pablo Vojvoda ou Thiago Carpini como treinador.

Sonho com a volta de Gabigol e Yuri Alberto.

Contratação do lateral peruano Advíncula, que joga no Boca Juniors.

Volta confirmada de Pituca.

Montagem de um time competitivo, para que o Santos deixe de passar vergonha.

Como ser rebaixado no Brasileiro, como foi, pela primeira vez, em 2023.

Proibição do uso da camisa 10, consagrada por Pelé, na Série B, em 2024.

Nova arena ultramoderna, com capacidade para 30 mil torcedores, quase o dobro da atual Vila Belmiro.

Assumir o Pacaembu como "seu" durante as obras na Vila Belmiro.

E acostumar a equipe com o gramado sintético do estádio municipal, já que na nova Vila Belmiro, que será construída pela WTorre, será como no Palmeiras. Também com gramado artificial.

Selar de vez a paz com as organizadas. Repetir o que a direção do Corinthians faz há tantos anos com seus torcedores influindo no dia a dia do clube, torná-los cúmplices das decisões. Impedindo cobranças duras quando os resultados não vierem.

Tudo isso já foi publicado à exaustão.

Mas a vitória de Marcelo Teixeira tem outro ponto fundamental.

As portas do clube estarão abertas para outro bilionário.

Para Neymar da Silva Santos.

O sonho de Teixeira é fazer com que o pai do jogador invista no clube. Seja da maneira que for. Na compra de ações de uma possível SAF, bancando name rights da nova Vila Belmiro ou investindo em jogadores.

Criar um elo profundo.

Marcelo Teixeira e Neymar pai. Amizade de anos pode virar investimento. Ou até SAF

Marcelo Teixeira e Neymar pai. Amizade de anos pode virar investimento. Ou até SAF

Reprodução/Instagram

Para que, no futuro, depois da Copa de 2026, seu filho possa voltar a vestir a camisa do Santos.

"Conversei hoje com o Neymar pai e tive um encontro com o Neymar filho. A conversa foi muito produtiva. Apresentei, como já havia feito, diversos projetos e trabalhos. Acredito que, com essa aproximação, conseguiremos implantar uma série de projetos envolvidos", revelou Teixeira ao portal Lance!.

O encontro aconteceu a quatro dias da eleição. Mas os acordos já estão sendo amarrados desde o início do ano.

Neymar pai quer investir no Santos.

Ter o comando do futebol do clube, como Ronaldo tem no Cruzeiro, é uma situação que o atrai.

Teixeira teria de convencer os conselheiros a aceitar que o Santos se transforme em SAF, situação que pode não ser tão difícil, depois do rebaixamento no Brasileiro.

Teixeira não quer que a camisa 10, consagrada por Pelé, seja usada na segunda divisão, em 2024

Teixeira não quer que a camisa 10, consagrada por Pelé, seja usada na segunda divisão, em 2024

Santos

De qualquer maneira, o retorno de Teixeira trouxe algo que havia muito tempo não existia no Santos.

A esperança.

Só que a realidade é dura demais.

Por exemplo, o Santos não se classificou para disputar a Copa do Brasil, foi rebaixado no Brasileiro, nada de Sul-Americana ou Libertadores, evidentemente. A equipe deverá ter apenas 50 jogos em 2014.

O clube já antecipou a cota do Paulista do próximo ano para pagar o décimo terceiro e as férias de 2023.

O Santos está em péssima situação.

Por causa de administrações mais do que incompetentes...

Confira os clubes que vivem os maiores jejuns do Brasileirão

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas