Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

'Não volto nunca mais ao Brasil', jura Willian. Ameaças de morte, esquecimento de Tite e fracasso no Corinthians, os motivos

O meia-atacante de 34 anos revela seu medo da violência brasileira. Sua esposa não aceita o retorno ao país depois das ameaças de morte. Para completar, houve o fracasso do sonho de Willian de disputar a Copa do Catar

Cosme Rímoli|Do R7 e Cosme Rímoli

"Não volto mais ao Brasil. Nunca mais." Promessa de Willian. Ameaças de morte pesaram
"Não volto mais ao Brasil. Nunca mais." Promessa de Willian. Ameaças de morte pesaram "Não volto mais ao Brasil. Nunca mais." Promessa de Willian. Ameaças de morte pesaram

São Paulo, Brasil

Willian não quer voltar nunca mais ao Brasil.

Ele e sua família foram ameaçados de morte, no ano passado. O motivo era a péssima campanha do Corinthians.

Ficou traumatizado com o clima de violência, de ódio.

Ele havia voltado ao clube que o lançou em agosto de 2021. O meia-atacante acreditou nas promessas do presidente Duilio Monteiro Alves de montar um grande time. Que brigaria por títulos, principalmente pela Libertadores de 2022.

Só que a "grande equipe" não deu liga. Renato Augusto, Róger Guedes, Paulinho, Ivan, Balbuena, Robson Bambu, Rafael Ramos, Bruno Melo, Maycon, Fausto Vera, Yuri Alberto e Júnior Moraes.

E os jogadores consagrados como ele e Cássio receberam ameaças de morte.

O que assustou profundamente a esposa de Willian, que viu seus filhos serem ameaçados também. Daí a decisão radical, já que a família vive ótima situação financeira, consequência da carreira vitoriosa de Willian, com passagens por Shakhtar Donetsk, Anzhi, Chelsea e Arsenal.

Além de Seleção Brasileira.

"Não quero voltar para o Brasil, nunca mais!"

"Eu já tinha esse pensamento desde antes do Corinthians. Acabou acontecendo uma situação de voltar ao clube onde eu comecei porque eu quis e o Corinthians também, mas eu já pensava em continuar até o fim na Europa."

"É um assunto complicado porque, quando você critica o jogador na bola, você fala que ele não foi bem, isso acontece. Jogador não é uma máquina, também vai haver os dias bons e ruins. Só que, às vezes, os torcedores não aceitam os dias ruins."

"O que eu vejo no Brasil é uma pressão, às vezes desumana, que leva para a base da violência, ameaça à família, aos filhos… Quando toca nessa parte, para mim, já muda. Tenho de preservar a minha família, é meu bem mais precioso."

As declarações claras, em entrevista ao site oficial da Premier League, chocam. 

O "nunca mais" é real por causa das ameaças, do medo de sequestro.

E também porque o seu plano esportivo deu completamente errado.

Ele sonhava em disputar a Copa de 2022. Estava muito mal no Arsenal. Sabia da força de massa que o Corinthians possui. É a segunda maior torcida do Brasil. E o clube tem uma ligação umbilical com Tite. 

Willian apostou que jogando bem, com o "grande time" descrito por Duilio, a ida ao Catar poderia acontecer.

Só que, além de o Corinthians não conseguir resultados, Willian enfrentou uma situação muito difícil. Duilio Monteiro Alves apostou não só nele, mas em Róger Guedes. Duas estrelas que rendiam muito mais pelo mesmo setor: a ponta esquerda.

O ex-treinador Vítor Pereira se desgastou muito porque preferia claramente Willian pelo setor. E tentou escalar Guedes pelo meio, como atacante de referência, e até pela direita. Mas o rendimento não era o mesmo.

Willian teve a garantia da polícia de São Paulo de que ele e sua família estariam protegidos e poderiam continuar morando na cidade. Cássio, por exemplo, aceitou.

Mas a esposa de Willian, não. E o jogador analisou seu futuro. Estava perdendo muito dinheiro jogando no Corinthians. Recebia R$ 1,5 milhão entre salários e luvas. No Arsenal, ele ganhava R$ 2,8 milhões mensais.

Willian e Róger Guedes. Dois jogadores importantes, e caríssimos, para a mesma posição
Willian e Róger Guedes. Dois jogadores importantes, e caríssimos, para a mesma posição Willian e Róger Guedes. Dois jogadores importantes, e caríssimos, para a mesma posição

O meia-atacante tinha ótimo relacionamento com Róger Guedes, a concorrência pela vaga na esquerda também o incomodava. Ele sabia que o elenco corintiano era desequilibrado, com dois jogadores importantes em sua posição. E faltava, já em 2022, outro meia talentoso para atuar com Renato Augusto, por exemplo.

A ameaça de morte foi o principal motivo, sem dúvida.

Mas o fracasso esportivo acabou sendo muito importante.

Willian teve de procurar a Polícia Civil pelas ameaças de morte. A ele e a sua família
Willian teve de procurar a Polícia Civil pelas ameaças de morte. A ele e a sua família Willian teve de procurar a Polícia Civil pelas ameaças de morte. A ele e a sua família

Willian voltou à Inglaterra ao sair do Corinthians.

Seu contrato com o Fulham caminha para o fim.

Aos 34 anos, não tem certeza de que o clube britânico queira a renovação. Ele deseja. Mas já visualiza a ida para os Estados Unidos ou o Oriente Médio.

Mas para o Brasil não volta.

Nem depois do fim da carreira...

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.