Cosme Rímoli Nada de festa. Decepção na volta de Willian. Timão empata com o fraco América 1 a 1

Nada de festa. Decepção na volta de Willian. Timão empata com o fraco América 1 a 1

O Corinthians mostrou talento com a bola nos pés. Mas marcou mal demais e lentidão na saída de bola. O América de Vagner Mancini conseguiu estragar a festa com o 'quarteto mágico'. 1 a 1, em Itaquera

  • Cosme Rímoli | Do R7

Não adiantou a estreia de Willian. O América conseguiu travar o Corinthians

Não adiantou a estreia de Willian. O América conseguiu travar o Corinthians

Ettore Chiereguini/Agif/Estadão Conteúdo - 19.09.2021

São Paulo, Brasil

O Corinthians tinha planejado festejar o primeiro jogo do retorno de Willian ao Parque São Jorge. Afinal, seria completado o 'quarteto mágico', com Giuliano, Renato Augusto e Roger Guedes. Em pleno estádio corintiano, em Itaquera. 

O América Mineiro não deveria ser um adversário a ser temido. Longe disso, o clube estava mergulhado na zona de rebaixamento, com o orçamento comprometido, com elenco muito mais modesto do que Sylvinho tem nas mãos.

Só que o treinador do América Mineiro é Vagner Mancini, demitido para que Sylvinho assumisse. E ele conhece muito o elenco corintiano. 

E tratou de explorar as intermediárias, sabia da lentidão do Corinthians. Usou com inteligência as laterais. Primeiro travando a direita, onde Fagner está acostumado a ser ponta direita, o desafogo corintiano. E a esquerda, explorando o setor de Fábio Santos, que segue em péssima fase defensiva, marcando muito mal.

Sylvinho não deixou os quatro maiores reforços corintianos atuarem juntos. Renato Augusto substituiu o cansado Willian.

O resultado foi um frustrante 1 a 1, com direito ao primeiro gol de Giuliano no Corinthians. Mas Marlon havia marcado antes.

Por coincidência, pela movimentação mais ofensiva, Giuliano teve pelo três oportunidades reais de marcar e desperdiçou todas. Matheus Cavichioli fez pelo menos duas defesas sensacionais. 

Willian, Renato Augusto, Roger Guedes e Giuliano mostraram talento com a bola nos pés. Mas Sylvinho precisa corrigir um erro gravíssimo. O Corinthians com esse quarteto marca mal demais. O Corinthians ofereceu muito espaço para contragolpes do América. Se a equipe mineira tivesse um pouco mais de talento poderia ter até vencido o jogo.

Giuliano marcou seu primeiro gol no Corinthians. Teve chance de fazer mais três

Giuliano marcou seu primeiro gol no Corinthians. Teve chance de fazer mais três

Corinthians

O experiente volante corintiano Gabriel conseguiu a façanha. Foi expulso após o final da partida ao reclamar e xingar o árbitro Savio Pereira Sampaio.

O Corinthians travou na sexta colocação, com 30 pontos. O América segue na zona do rebaixamento, na 17ª colocação, com 22 pontos.

"Muito feliz por voltar. Prazer imenso poder voltar. Passei muitos anos treinando aqui com outros amigos, pessoas do clube que estão até hoje no clube e tenho um carinho muito grande.

"Sobre o jogo, é claro que queríamos a vitória, sem dúvida nenhuma. Depois de quatro meses, claro que ainda preciso de ritmo de jogo, mas isso vai chegar com as semanas", garantiu Willian, que cansou durante a partida. Precisa aprimorar seu estado físico. E ganhar ritmo.

"Em dois jogos, não fomos vazados e eu fiz uma defesa em dois jogos, porque o pessoal se doou muito em campo. Acho que nada mais justo que quando necessário eu corresponda à altura. Feliz por poder ajudar, participar. Satisfeito ainda não. Ainda podemos melhorar um pouquinho mais. Estamos vindo numa crescente e espero que continuemos crescendo cada vez mais", aposta o goleiro Matheus Cavichioli, que teve ótima atuação.

Mancini sabia que o Corinthians iria tentar resolver a partida no primeiro tempo. Por conta do estado físico de seus novos contratados, ainda sem ritmo. E montou o América para contragolpear, explorar as costas dos volantes corintianos, que iriam ajudar o time a marcar a saída de bola da equipe mineira.

E o que se viu foi uma primeira etapa mais do que movimentada. Com ataques de lado a lado. Jogo completamente imprevisível. E que obrigou não só Cavichioli, mas também Cássio a mostrar o ótimo goleiro que é.

O primeiro gol foi do América, logo aos seis minutos de jogo. E teve participação total de Willian. Ele não acompanhou Marlon, que recebeu cruzamento do argentino Zárate, ex-Boca Juniors e Inter de Milão, e marcou de sem pulo. 1 a 0.

Willian e o prazer de voltar a jogar pelo Corinthians, depois de 14 anos na Europa

Willian e o prazer de voltar a jogar pelo Corinthians, depois de 14 anos na Europa

Corinthians

O gol deixou o Corinthians mais ofensivo. Roger Guedes, aberto na esquerda, era o jogador que mais preocupava a defesa americana. Jô estava muito bem marcado. Gabriel Pereira, apesar de perseguido, conseguia encontrar espaço, com dribles curtos e arrancadas.

Mas quem teve múltiplas chances foi Giuliano.

O meio-campista teve várias oportunidades no jogo, porque essa foi a grande falha na estratégia de Mancini. Apesar de insistir em marcação individual a partir da intermediária, Giuliano surgiu como jogador-surpresa livre, por pelo menos quatro vezes na grande área.

Até que 16 minutos, Willian conseguiu desarrumar a zaga mineira e ajeitou para Roger Guedes, que chutou forte, Matheus Cavichioli defendeu, a bola sobrou para Jô, Matheus Cavichioli outra vez espalmou. A bola voltou para Jô que ajeitou para Giuliano bateu forte, desta vez, no contrapé do goleiro. 1 a 1.

No segundo tempo, os dois times diminuíram muito o ritmo de jogo. O Corinthians cansou. E o América não queria se abrir. E sim tentar segurar o resultado importante não só pelo ponto conquistado. Mas pela confiança, moral na sequência do Brasileiro.

Giuliano e Matheus Cavichioli continuaram a duelar. Desta vez com vantagem para o goleiro do América.

No final, o resultado decepcionante para o Corinthians.

Mas promissor, Willian é um jogador diferenciado. Como Renato Augusto, Roger Guedes e Giuliano são para o futebol brasileiro.  Quando estiverem com ritmo, o Corinthians ficará muito forte no ataque. Sylvinho precisará encontrar a melhor maneira de marcar.

E o América de Mancini tem todas as condições técnicas para fugir do rebaixamento.

O 1 a 1 acabou sendo justo...

Últimas