Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Mulher de Daniel Alves foi 'um desastre'. Suposto falso testemunho pode garantir anos na cadeia ao jogador, por estupro

Confrontada com a versão que Daniel teria chegado bêbado em casa, já que havia garantido à TV espanhola não ter visto o jogador no dia da acusação de estupro, Joana Sanz segue calada. Na África do Sul

Cosme Rímoli|Do R7 e Cosme Rímoli

Joana Sanz foi a pior testemunha possível para Daniel Alves. Só diminuiu ainda mais sua credibilidade
Joana Sanz foi a pior testemunha possível para Daniel Alves. Só diminuiu ainda mais sua credibilidade Joana Sanz foi a pior testemunha possível para Daniel Alves. Só diminuiu ainda mais sua credibilidade (Reprodução/Instagram)

São Paulo, Brasil

Depois das cinco diferentes versões sobra a acusação de estupro, que o levou à prisão preventiva e julgamento, na Espanha, Daniel Alves enfrenta outro grave problema.

O que deveria ser um alívio, um álibi, se transformou em mais munição para sua condenação.

Joana Sanz, sua esposa, apresentada como testemunha de defesa, virou, involuntariamente, uma pesada testemunha de acusação.

A opinião pública espanhola já havia se posicionado contra o brasileiro. As provas circunstanciais sobre a acusação de estupro, no dia 30 de dezembro, na boate Sutton, em Barcelona, são muito fortes.

As lágrimas, e o testemunho de Daniel Alves, não convenceram jornalistas e, tudo indica, a juíza Isabel Delgado Pérez, que reforçou a manutenção do jogador na cadeia. Negando a liberdade provisória até que seja promulgada a sentença, o que deve ocorrer entre 20 e 30 dias.

Das 23 testemunhas que depuseram, as palavras de Joana Saenz foram, ao contrário do que Daniel Alves esperava, as quem mais o comprometeram.

A começar por sua postura, assim que a denúncia de estupro, por parte de uma espanhola de 23 anos, foi confirmada.

Joana deu todos os indícios que iria terminar seu relacionamento com Daniel Alves. Apagou todas as fotos com o marido. E deixou clara a intenção de romper o casamento, pedir a separação legal.

Ela estaria, de maneira compreensível, revoltada com o jogador.

Afinal, os dois, que estavam no México, com Daniel Alves atuando pelo Pumas, só foram para a Espanha para acompanhar a mãe que estava morrendo, com uma doença terminal.

Mas depois, de maneira muito estranha, Joana foi recuando na sua revolta.

Joana Sanz foi depor cercada por guarda-costas. E complicou a situação legal de Daniel Alves. E a sua própria
Joana Sanz foi depor cercada por guarda-costas. E complicou a situação legal de Daniel Alves. E a sua própria Joana Sanz foi depor cercada por guarda-costas. E complicou a situação legal de Daniel Alves. E a sua própria (Reprodução/Twitter)

Jornalistas espanhóis insistiram que ele teria sido orientada pelos advogados de Daniel Alves a não pedir a separação legal. Porque, primeiro, complicaria sua situação junto à opinião pública. Seria a condenação de quem mais o conhece. E, diante de uma possível condenação, seria complicada a liberação dos bens do atleta milionário.

Diante do assédio da imprensa, ela decidiu viver um tempo em Paris.

Mas no dia 5 de junho de 2023, ela deu uma entrevista ao repórter Nacho Gay, do programa Y Ahora Sonsoles, comandado pela jornalista Sonsoles Ónega, transmitido pelo canal Antena 3.

E foi muito clara.

Disse que estava em Tenerife, cuidando da mãe, e não em Barcelona. Portanto, não viu Daniel Alves chegando da boate.

Só que, no depoimento que deu no julgamento do marido, ela mudou radicalmente sua versão.

"Ele (Daniel Alves) foi comer com seus amigos no restaurante. Passou o dia ali e voltou era quase 4 horas da manhã. Voltou muito bêbado, uma pessoa com muito álcool. Bateu no armário e caiu na cama."

Seguiu a linha que a defesa tentou provar.

Que ele estava completamente bêbado quando encontrou a suposta vítima na boate.

Joana depôs e, em seguida, viajou para a África do Sul, onde disse que iria trabalhar como modelo.

A mídia espanhola massacrou Joana e a acusa de falso testemunho, diante da contradição absurda do que falou para a tevê.

A defesa de Daniel Alves só piora as coisas, garantindo que o 'que vale' é o que Joana falou no julgamento.

Ou seja, de acordo com os advogados do jogador, ela mentiu para o canal Antena 3.

Para piorar, ontem o jornalista José Manuel Strada, de muita credibilidade na Espanha, garantiu que Joana se separará oficialmente do jogador quando o atleta deixar a prisão. Ou sair a sentença.

Ela não o esperará caso seja confirmada a expectativa da mídia europeia. Ou seja, Daniel Alves ter de passar entre seis e 12 anos preso por estupro.

A situação é séria e Joana pode ser legalmente acusada de falso testemunho.

A mulher de Daniel Alves complicou, e muito, o destino do jogador.

Diante dessa situação, ela decidiu expor o que pensa.

"Para começar, é muito grave que me acusem de falso testemunho e estou tomando ações legais contra os meios de comunicação que começaram com isso e que fizeram essa acusação. Por outro lado, quanto cinismo há nesse país? Liberdade de expressão? Onde? Todos seguem o padrão do 'politicamente correto' por medo de dizer o que realmente pensam e que os tirem de cima. Eu adicionaria umas coisas a mais, mas não me vale a pena o desgaste", declarou, em comunicado, no seu Instagram.

Mas os veículos de comunicação espanhóis não se abalaram.

E seguem insistindo no 'falso testemunho'.

A sentença deverá sair nos próximos 30 dias.

Enquanto isso, ele segue encarcerado.

Trancado em um presídio para agressores sexuais...

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.