Cosme Rímoli Mosquito salva o Corinthians de vexame maior. Mas time de Vítor Pereira perde a liderança, ao empatar com o limitado América

Mosquito salva o Corinthians de vexame maior. Mas time de Vítor Pereira perde a liderança, ao empatar com o limitado América

Outra fraca partida do time de Vítor Pereira. Enorme decepção em Itaquera. Muito mal montada, a equipe foi superada pelo América Mineiro. O empate foi injusto. Tem de ser comemorado

  • Cosme Rímoli | Do R7

Gustavo Mosquito marcou o gol salvador do Corinthians. Time de Vítor Pereira foi muito mal

Gustavo Mosquito marcou o gol salvador do Corinthians. Time de Vítor Pereira foi muito mal

Rodrigo Coca/Corinthians

São Paulo, Brasil

O Corinthians precisava de uma vitória significativa.

A decepção na Libertadores, sofrendo com o apático empate contra o time misto boliviano Always Ready, obrigava Vítor Pereira a montar uma equipe forte, capaz de ganhar do América Mineiro, em Itaquera, e manter a liderança do Brasileiro.

Escalou uma equipe ainda mais ofensiva. Com Willian, Róger Guedes, Renato Augusto, Junior Moraes. A proposta era clara: ter a iniciativa do jogo, buscar a vitória de qualquer maneira.

Para tentar agradar às mais de 35 mil pessoas que estavam em Itaquera.

Mas só que o resultado foi desastroso. 

Vagner Mancini, que conhece muito bem o Corinthians desesperado por uma vitória, jogando em casa, soube como montar o América Mineiro.

Articulou seu time para atuar como se ele estivesse em casa. Marcando a saída de bola corintiana, encurralando o espaçado e sem rumo time montado por Vítor Pereira. Com direito a um erro incrível, absurdo. Renato Augusto jogou como ponta-esquerda, absolutamente improdutivo.

O América se impôs do primeiro ao último minuto de jogo. Marcando com personalidade, consciência tática. O 4-3-3 corintiano foi engolido pelo 4-5-1 do time mineiro. As intermediárias eram dominadas pelo América.

O veterano Aloísio "Boi Bandido" se impunha diante de Gil e Raul Gustavo. Ele já havia dado uma linda bicicleta no primeiro tempo, que raspou a trave. Mas o atacante não perdeu a chance aos 21 minutos do segundo tempo, quando aproveitou desvio no escanteio e marcou de cabeça: 1 a 0, América.

A tensão dominou de vez o mal montado Corinthians de Vítor Pereira. A torcida não parava de incentivar o time. O América recuou demais suas linhas. E acabou pagando caro.

Faltando técnica, o empate veio na luta. Em um escanteio cobrado por Maycon, Róger Guedes cabeceou para excelente defesa de Jailson. No rebote, Gustavo Mosquito empatou, aos 36 minutos. 

Depois do gol, nada mais de importante o Corinthians conseguiu criar. Só cruzou a bola para a área do América, mostrando a pobreza tática do time.

O empate por 1 a 1, injusto pela estratégia. E que premiou, ao menos, a luta, a dedicação individual dos jogadores. Jamais o trabalho de Vítor Pereira nesse jogo.

Renato Augusto improvisado na ponta. Atuação fraquíssima. Posicionamento inexplicável

Renato Augusto improvisado na ponta. Atuação fraquíssima. Posicionamento inexplicável

JHONY INÁCIO/ENQUADRAR/ESTADÃO CONTEÚDO 29.05.22

A torcida que apoiou o time durante os 90 minutos não perdoou novo tropeço.

E vaiou, com vontade, o frustrante 1 a 1.

O capitão Cássio, que fez ótimas defesas, fez um discurso diante da pressão sobre o Corinthians.

"Melhorar tem que melhorar sempre. Mas melhorar com o apoio da torcida é mais fácil e no ponto de vista não fizemos o melhor jogo hoje. Infelizmente não conseguimos a vitória, mas vamos continuar trabalhando."

"Acho que estamos na liderança [não estão], conseguimos, vamos pegar uma equipe difícil na Libertadores [Boca Juniors], mas estamos confiantes na classificação, e acho que a gente é bastante homem para assumir as coisas e tem muito respeito pelo trabalho. O torcedor tem o direito de cobrar, não tem problema."

"A gente sempre luta pelo melhor do Corinthians. Essas coisas acontecem, mas acho que nem tudo errado estamos fazendo, porque uma equipe que está liderando o campeonato errada não está."

"Acho que um time como o Corinthians quando fica sem títulos muito tempo a pressão aumenta. Eu não estou dando indireta para a torcida, cada um tem seu direito. Mas a torcida apoiando nos 90 minutos fica mais fácil. Vamos trabalhar para fazer melhores jogos e deixar o Corinthians no lugar que merece."

Se dentro do campo Cássio teve ótima atuação, fora errou.

Róger Guedes também nada produziu. Ficou devendo futebol diante da zaga do América

Róger Guedes também nada produziu. Ficou devendo futebol diante da zaga do América

FERNANDO ROBERTO/UAI FOTO/ESTADÃO CONTEÚDO 29.05.22

O Corinthians mereceu ser vaiado porque jogou mal. Está jogando mal. Chegou a 15 pontos no Brasileiro. Mas vem de uma sequência de cinco empates. Contra o Internacional, São Paulo, Boca Juniors, Always Ready e, hoje, contra o América Mineiro. E cada vez jogando pior. 

Escalar um time ofensivo, sem intensidade, aberto, cheio de espaços para o adversário, tirando seu jogador mais cerebral da armação, para colocá-lo como ponta esquerda, significa acumular erros primários. E oferecer o domínio da partida ao adversário que entrou em Itaquera com previsíveis cinco jogadores na intermediária. Fora a sua linha de quatro zagueiros.

Com Aloísio "Boi Bandito" à frente, não só esperando sobras, mas atuando, de forma inteligente, como pivô. Se impondo diante da zaga, abrindo espaço para meios-campistas chutarem a gol, penetrarem, tabelarem.

Foi um sufoco para o Corinthians, estático, que parecia um time de pebolim. Rafael Ramos e, principalmente, Fábio Santos não foram os laterais de que o Corinthians precisava. Ambos com enorme dificuldade para atacar. O que é péssimo quando o adversário marca forte, como o América de Vagner Mancini. 

No primeiro tempo, Cássio teve de trabalhar muito. Ainda passou por dois sustos. Quando, aos 11 minutos, Lucas Kal acertou um chute fortíssimo, da entrada da área. A bola estourou no travessão. 

Vítor Pereira foi o grande responsável por mais essa fraca partida do Corinthians

Vítor Pereira foi o grande responsável por mais essa fraca partida do Corinthians

Rodrigo Coca/Corinthians

Pressionando a saída de bola corintiana, o América esteve a ponto de marcar o segundo gol. Mereceria. Principalmente aos 24 minutos, quanto Aloísio segurou Gil com o corpo e acertou uma bicicleta que raspou a trave direita de Cássio.

Róger Guedes, que brigou tanto para jogar, nada produzia. Nem na direita, nem revezando com Junior Moraes, pelo meio. Para piorar, Willian, sentindo fortes dores no pé direito, depois de uma falta que recebeu, acabou saindo da partida, aos 43 minutos. Entrou Adson.

No segundo tempo, a situação não mudou.

Ao contrário, ficou crítica para o Corinthians.

Aos 23 minutos, Alê desviou escanteio de cabeça. A bola foi para a trave oposta, onde Aloísio estava livre para, também de cabeça, marcar 1 a 0, América.

O resultado seria desastroso.

Vítor Pereira adiantou ainda mais seu time e correu o risco de tomar o segundo gol.

Mas Vagner Mancini errou ao recuar o América.

O Corinthians ganhava espaço importante na intermediária.

E, na base do sufoco, sem consciência alguma, conseguiu empatar.

Também em um escanteio, que Róger Guedes cabeceou e obrigou Jailson a defesa incrível, a bola sobrou para Gustavo Mosquito estufar as redes.

1 a 1 aos 36 minutos.

O Corinthians teve 14 minutos para virar. Anderson Daronco deu cinco minutos de acréscimo. Mas não houve jeito.

Outro decepcionante empate.

Vìtor Pereira tem de rever seus conceitos...

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas