Cosme Rímoli Messi treina para pressionar governo. Espanhol quer voltar dia 20

Messi treina para pressionar governo. Espanhol quer voltar dia 20

O Barcelona voltou aos treinos hoje, depois de dois meses pela pandemia. Messi foi figura obrigatória. Clubes querem volta dia 20 para fugir do prejuízo

  • Cosme Rímoli | Do R7

Messi em campo no primeiro treino do Barcelona. Presença obrigatória

Messi em campo no primeiro treino do Barcelona. Presença obrigatória

Barcelona

São Paulo, Brasil

Lionel Messi em campo.

Fazendo seu primeiro treinamento, hoje, em plena pandemia mundial.

Estava logo no primeiro grupo.

O Barcelona fez sua parte.

Colocou o melhor jogador do mundo em seu fabuloso Centro de Treinamento, a Ciudad Deportiva Joan Gamper.

E, no treinamento fechado, o próprio clube tratou de disponibilizar as fotos da movimentação, depois da paralisação forçada.

Como não poderia deixar de ser, sua foto está espalhada pelo mundo.

Messi é personagem principal de uma estratégia de marketing arquitetada da Liga Espanhola, para forçar volta do Campeonato Nacional.

O astuto presidente do Barcelona, Josep Maria Bartomeu, tinha de mostrar que seu bilionário elenco está saudável e disposto a voltar a jogar.

O clube catalão vive raro momento de dificuldade financeira. E seus dirigentes querem o retorno do futebol o mais rápido possível.

O presidente da Liga Espanhola, Javier Gómez, já cunhou uma frase para a eternidade, diante da pandemia do coronavírus.

"É mais perigoso ir para a farmácia do que jogar."

Gómez conseguiu impedir que, no auge espanhol da doença, o governo desse o Campeonato Nacional por encerrado, como fizeram a Holanda e França, por exemplo.

Ele insistiu no adiamento e, agora, com a curva decrescente da doença na Espanha, colocou seu plano de volta do futebol em prática.

Primeiro todos os jogadores da Primeira e da Segunda Divisão se submeteram a exames do coronavírus, há dois dias. Cinco casos positivos da covid-19 foram identificados. Três jogadores da Primeira e dois de um clube da Segunda Divisão.

Messi havia se submetido a testes. Livre do coronavírus

Messi havia se submetido a testes. Livre do coronavírus

Barcelona

Todos não foram identificados. Sem sintomas, foram apenas afastados, entraram em regime de quarentena.

Não havia nenhum jogador do Barcelona com a doença.

O plano de Gómez é simples.

A Liga Espanhola repetirá os exames nos jogadores na próxima semana.  Serão 740 profissionais da primeira divisão e segunda divisão. Jogadores, treinadores e demais profissionais dos clubes envolvidos nas partidas.

O presidente da Liga aposta que os resultados positivos para o coronavírus serão outra vez baíxissimos. 

Se a sua expectativa se confirmar, Goméz tem a certeza que poderá anunciar, o que já está tentando, com o governo do primeiro ministro Pedro Sánchez.

A volta do Espanhol no dia 20, daqui 12 dias.

A situação ainda não está definida.

As medidas de isolamento no país foram prorrogadas até o dia 24.

A Espanha é o segundo país do mundo em casos do coronavírus. Foram 221 mil contaminados e 26 mil mortos.

Faltam 11 rodadas para o torneio acabar.

Suárez, recuperado de cirurgia no joelho direito, treinou hoje com o Barcelona

Suárez, recuperado de cirurgia no joelho direito, treinou hoje com o Barcelona

Barcelona

Goméz cansou de divulgar estudos sobre o prejuízo terrível para o futebol espanhol, caso os Campeonatos Nacionais da Primeira e da Segunda Divisão não fossem retomados.

O total seria cerca de 690 milhões de euros, cerca de R$ 4,3 bilhões.

Tudo detalhado:  550 milhões de euros, R$ 3,4 bilhões de direitos de televisão, 90 milhões de euros, R$ 561 milhões, de assinaturas e mais 40 milhões de euros, R$ 249 milhões, na venda de ingressos.

Goméz está entusiasmado com a volta do Campeonato Alemão, no dia 16.

No dia 20, ele espera o recomeço de La Liga...

Curta a página do R7 Esportes no Facebook.

Veja alguns momentos 'diferentes' de jogadores em isolamento social

Últimas