Cosme Rímoli 'Mercenário.' A ofensa que incendiou Gabigol. E o incentivou para os três gols contra o Santos

'Mercenário.' A ofensa que incendiou Gabigol. E o incentivou para os três gols contra o Santos

O atacante ficou revoltado ao ouvir o grito de 'mercenário' vindo de onde estavam pessoas ligadas ao Santos na Vila Belmiro. Sua fúria se transformou em três gols na humilhante goleada por 4 a 0 do Flamengo

  • Cosme Rímoli | Do R7

"Mexeram com a pessoa errada." Três gols foram a resposta a quem o chamou de mercenário

"Mexeram com a pessoa errada." Três gols foram a resposta a quem o chamou de mercenário

Reprodução/Instagram Gabigol

São Paulo, Brasil

"Mercenário."

Entre vários palavrões, provocações, insultos, essa foi a palavra que tirou Gabigol do sério, ontem na Vila Belmiro.

Membros da diretoria, da Comissão Técnica e convidados do Santos acompanhavam o massacre do Flamengo diante do encurralado time de Fernando Diniz.

A derrota por 4 a 0 foi até muito pequena na comparação entre o futebol dos times.

E decidiram canalizar toda a frustração pelo vexame em cima do atacante que foi ídolo na Vila Belmiro.

Ele ficou revoltado ao ser chamado de mercenário. Por ser uma das vendas mais lucrativas da história santista. 

Chegou menino ao clube, atuou por dez anos, com inúmeras convocações para seleções brasileiras de base. Foi campeão olímpico e vendido para Inter de Milão, em 2016, por 27 milhões de euros, atuais R$ 160 milhões. O Santos ficou com 18 milhões de euros, cerca atuais R$ 110 milhões.

Depois de fracassar na Inter e no Benfica, poderia escolher qual clube brasileiro poderia atuar emprestado. Escolheu o Santos. Fez ótima temporada em 2018. 

E, ao saber dos planos do Flamengo em montar um grande time, escolheu ir para o Rio de Janeiro. Justiça seja feita: ele não fez leilão algum. 

Por isso, a revolta ao ser chamado de mercenário.

"O Santos é o clube que me projetou, sempre vejo jogos do Santos, meu pai é santista desde pequenininho.

"Acho que têm que respeitar minha história no clube, no último título do Santos eu estava aqui.

"Eles me xingaram não sei de onde.

"Na imprensa só vai sair que eu provoquei, mas mexeram com a pessoa errada, voltei para o segundo tempo e fiz três gols."

Gabigol encarou sem medo Wagner Palha. Atacante se impôs na Vila Belmiro

Gabigol encarou sem medo Wagner Palha. Atacante se impôs na Vila Belmiro

Alexandre Vidal/Flamengo

Chegou a 27 gols em 27 partidas na temporada.

Em inúmeras situações, Gabigol já reagiu de forma infantil. Provocou, ironizou, xingou. Mas ontem foi ao contrário. Ele foi ofendido.

"E respondeu como deveria. Marcando gols", dizia, orgulhoso, Renato Gaúcho.

Depois dos três gols, Gabigol destilou sua ironia.

"Calharam bem esses três golzinhos na Vila, onde gosto muito de jogar. Tenho 10 anos de Santos. Meus pais moram aqui, eu também moro aqui, apesar de jogar no Rio. Aqui é minha cidade."

Gabigol, como tantos ídolos que passaram pelo Santos, tem o desejo de encerrar a carreira na Vila Belmiro. 

Esse foi o principal fator que o fez se controlar. Não ofender o clube, nem os dirigentes.

Deu a resposta mais dolorida.

E madura.

Três gols, na humilhante goleada do Flamengo.

Até porque não foi mercenário com o Santos.

Quem usou esse adjetivo deve estar muito arrependido...

Gol contra no último minuto e estreia de Messi: veja 7 destaques

Últimas