Marcos ajuda desempregados por coronavírus. E é massacrado

Um dos maiores ídolos do Palmeiras decide bancar o salário de dez pessoas que perderam o emprego pelo coronavírus. E é criticado na Internet

Marcos. Bancará o salário de dez pessoas que perderam o emprego nesta crise

Marcos. Bancará o salário de dez pessoas que perderam o emprego nesta crise

Reprodução/Twitter

São Paulo, Brasil 

"Bora sair de discursinho de internet e ajudar na prática!!"

"Cada um faz o que pode!!"

"Deus nos abençoe."

O ex-goleiro Marcos, um dos grandes ídolos do Palmeiras, é muito ativo nas redes sociais.

Espontâneo, como sempre foi como jogador, comemora vitórias, lamenta derrotas, ironiza adversários.

Mas diante da inédia crise vivida pela pandemia do coronavírus, ele decidiu agir.

E prometeu, nas suas redes sociais, bancar por seis meses dez pessoas que recebiam o salário mínimo e perderam seu emprego por conta do coronavírus.

Pessoas necessitadas pediram auxílio a Marcos.

Com várias histórias terríveis de vida, que foram pioradas com a crise.

A iniciativa criticada de Marcos

A iniciativa criticada de Marcos

Reprodução/Instagram

Só que surgiram os haters.

Pessoas especializadas na Internet em divulgar o ódio.

E a iniciativa foi muito criticada.

Marcos chamado de 'oportunista'.

Abatido, o ex-goleiro decidiu então selecionar as pessoas que ajudará.

Mas, antes, bloqueou os comentários da sua publicação.

Ou seja, pode ser que existam desempregados mais necessitados.

E não poderão sequer ter a chance de receber R$ 988,00 por mês até setembro.

Marcos colabora, de maneira discreta, com instituições de caridade desde que jogava futebol.

"Boa noite! Vou desativar os comentários dessa e da outra publicação para não ter que ficar dando satisfação a quem me chama de oportunista, mas muito obrigado pelas mensagens de carinho que recebi!", escreveu, na madrugada.

A intolerância é algo sem limites na Internet...

De melhor jogador do mundo à prisão: os 40 anos de Ronaldinho