Cosme Rímoli Lanterna Corinthians passa mais vergonha em Itaquera. Novorizontino fez o que quis. 3 a 1. Torcida pede demissão de Mano

Lanterna Corinthians passa mais vergonha em Itaquera. Novorizontino fez o que quis. 3 a 1. Torcida pede demissão de Mano

O escancarado Corinthians, de Mano Menezes, foi humilhado pelo Novorizontino. Derrota mais do que justa por 3 a 1. Clube é lanterna no Campeonato Paulista. Direção pressionada para demitir o técnico

  • Cosme Rímoli | Do R7

Novorizontino fez o que quis com o sem rumo Corinthians.3 a 1 em plena Itaquera. Time é lanterna no Paulista

Novorizontino fez o que quis com o sem rumo Corinthians.3 a 1 em plena Itaquera. Time é lanterna no Paulista

Rebeca Reis/Ag. Paulistão – 04.02.2024

São Paulo, Brasil

Torcedores corintianos se dividiram, em pleno jogo.

Parte foi para as tribunas, xingar o presidente Augusto Melo e seus diretores.

E outra se postou atrás de Mano Menezes, desabafando toda a ira.

Implorando sua demissão.

Afinal, o treinador depois de ser o responsável pelo fim do tabu, do São Paulo, que jamais havia vencido em Itaquera, do Bahia também, hoje, fez com que o Novorizontino tivesse esse prazer.

O trabalho do técnico é péssimo.

Ele usa a multa de R$ 20 milhões para não ser mandado embora.

O presidente Melo está pressionado para que dispense o técnico.

E já avisou que não pede para sair.

Não sem o dinheiro que tem direito, por contrato, até dezembro de 2025.

A manhã deste domingo, que prometia ser de redenção, foi de absoluta vergonha.

A esperança pela estreia de Pedro Raul desabou, diante de uma equipe muito mais modesta, só que montada com esmero, talento e modernidade.

O Novorizontino fez o que quis do desarrumado Corinthians, de Mano Menezes, que vive a sua pior fase como treinador.

Sem convicção, sem articulação, sem intensidade nas intermediárias.

Não é à toa que acumula demissões: Cruzeiro, Palmeiras, Bahia e Internacional.

3 a 1 foi até muito pouco para o Novorizontino.

O Corinthians acumulou a quarta derrota seguida no início do Paulista.

E assumiu de forma assustadora, a lanterna não só no seu grupo C, mas do próprio torneio, na classificação geral, ao lado do Santo André.

O ótimo Novorizontino, de Eduardo Baptista, fez o que quis com o frágil Corinthians, de Mano Menezes
O ótimo Novorizontino, de Eduardo Baptista, fez o que quis com o frágil Corinthians, de Mano Menezes Rebeca Reis/Ag. Paulistão – 04.02.2024

O presidente Melo, que havia prometido que o clube iria 'brigar' por todos os títulos possíveis, deveria avisar aos torcedores que o rebaixamento no Paulista seria um deles.

Mano Menezes tem toda a responsabilidade nesta derrota impactante.

O treinador fez várias mudanças na equipe, que já vinha muito mal. Colocou Matheus Araújo, Gustavo Mosquito, Pedro Raul. E Raul Gustavo, no lugar do suspenso Caetano, expulso contra o São Paulo. 

O Corinthians entrou de forma suicida contra o Novorizontino. Aberto no meio de campo, sem cobertura nas laterais, principalmente em cima de Hugo, que tem sérios problemas de marcação.

Enquanto Mano colocou sua equipe em um capenga 4-2-3-1, o Novorizontino estava muito mais equilibrado no 5-4-1. Com Willean Lepo usando a direita para cruzar por trás da zaga, pessimamente colocada, do Corinthians. A busca era por Jenilson, muito mais do que insperado, ele se aproveitou da falta de entrosamento de Félix Torres e Raul Gustavo.

Mas o grande jogador da partida, inteligente, vibrante, capaz de ditar o ritmo do seu time. Totalmente à vontade, Rômulo, que interessa ao Palmeiras, fez o que quis.

Os gols do Novorizontino foram vergonhosos.

Willean Lepo cruzou à vontade para Jenison marcar, por trás de Félix Torres. Ele não precisou nem pular para cabecear para as redes, ao 46 minutos do primeiro tempo. 1 a 0.

O segundo tempo começou de forma desastrosa.

Geovane descobriu Romulo livre, no meio da zaga, ele tocou com talento, a bola desviou em Cássio e acertou a trave. Sobrou para Jenison empurrar, de esquerda, para as redes. 2 a 0, aos dois minutos.

O time 'grande' parecia o Novorizontino. Mais de 40 mil torcedores se envergonharam de novo, em Itaquera
O time 'grande' parecia o Novorizontino. Mais de 40 mil torcedores se envergonharam de novo, em Itaquera Rebeca Reis/Ag. Paulistão – 04.02.2024

O mínimo que havia de consciência foi perdida de vez.

Mano, desesperado, colocou Yuri Alberto, Matías Rojas e Fausto Vera. Jogadores 'amaldiçoados' pela torcida. E sem apoio do próprio Mano.

O problema tático seguiu.

O Corinthians aberto tomou o terceiro gol ao 12 minutos. Rômulo descobriu alguém livre dentro da grande área. Quem? Jenison, 3 a 0, Novorizontino. O atacante não marcava um gol sequer há quase um ano.

A torcida corintiana passou a xingar Mano Menezes e Augusto Melo.

Yuri Alberto ainda conseguiu descontar, aos 27 minutos, quando Wesley desmontou a defesa do Novorizontino ao acertar uma bola no travessão. 3 a 1.

A partir daí, desespero puro corintiano.

Falta de orientação tática ficou outra vez evidente.

Com o Corinthians apelando para cruzamentos aéreos, nada de tabela, infiltrações, triangulações, só chuveirinhos inúteis, que encontravam os zagueiros interioranos de frente para a bola.

As vaias de mais de 40 mil corintianos no estádio foram mais do que justas.

Mano Menezes fez o Corinthians passar vergonha.

De novo.

O coro que dominou o estádio, após o jogo, foi explícito.

"Mano cu... Fora do Timão"...

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas