Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Cosme Rímoli - Blogs
Publicidade

Lágrimas, vergonha. O Grêmio pagou caro pela falta de rumo. Terceiro rebaixamento de sua história

De nada adiantou vencer os reservas do Atlético Mineiro. O Juventude venceu o Corinthians por 1 a 0 e conseguiu sobreviver na Série A. Bahia também caiu, ao perder para o Fortaleza, de virada

Cosme Rímoli|Do R7 e Cosme Rímoli


Grêmio passa de novo pelo vexame. Terceiro rebaixamento na sua história. Caiu com justiça
Grêmio passa de novo pelo vexame. Terceiro rebaixamento na sua história. Caiu com justiça

São Paulo, Brasil

Não houve o milagre.

O Grêmio pagou pela falta de rumo.

Quatro treinadores.

Publicidade

Desprezo pelo começo vergonhoso no Brasileiro.

A cantilena que 'daria para recuperar'.

Publicidade

Não deu.

Mais de 34 mil torcedores foram até a arena gremista sofrer.

Publicidade

O clube que, desde a segunda rodada do Brasileiro estava na zona do rebaixamento, não tinha outro destino a seguir, que não fosse a Série B.

O tricampeão da Libertadores voltou, pela terceira vez, para a Segunda Divisão.

Os assustadores R$ 100 milhões de prejuízo de 2022 estão garantidos.

Depois de 19 minutos fabulosos, quando o Grêmio abriu 3 a 0. Mas das arquibancadas veio a notícia que o Bahia marcou 1 a 0 contra o Fortaleza, aos 24 minutos. O time de Mancini sentiu demais, perdeu a concentração, desanimou.

Não imaginavam que seria o Juventude o motivo de desespero.

O Grêmio dois gols dos reservas do Atlético Mineiro.

Rafinha e Thiago Santos discutiram, se xingaram. O lateral empurrou o volante. Foi necessária a intervenção dos companheiros para não brigarem e serem expulsos.

Vagner Mancini cobrou, falou duro no intervalo. O treinador conseguiu recuperar o foco dos seus atletas. E Douglas Costa marcou um belo gol, ao receber passe sensacional de Ferreira. Marcou 4 a 2 e deu 'tchau' para a torcida que vaiara sua escalação. Ele não ficará no clube.

Douglas Costa marcou e deu 'tchau' para a torcida do Grêmio
Douglas Costa marcou e deu 'tchau' para a torcida do Grêmio

E ainda houve tempo para Borja dar o seu vexame. Não deixou Jhonata Robert cobrar o pênalti que sofreu. O colombiano bateu como se fosse tiro de meta, forte, alto, muito longe do gol.

Hyoran cobrou uma falta de maneira magistral.

4 a 3. 

Mas foi de menos.

Aos 38 minutos do segundo tempo, o inesperado já havia acontecido.

Chico cobrou pênalti, deslocando Cássio, e marcou o gol da vitória do Juventude.

O time de Caxias do Sul venceu o Corinthians, sobreviveu na Série A.

Grêmio devidamente rebaixado.

Como o Bahia, que perdeu do Fortaleza, de virada, por 2 a 1.

Dois ex-campeões brasileiros.

Serão companheiros de infortúnio, de Sport e Chapecoense.

Irão encontrar Vasco e Cruzeiro, que não conseguiram subir.

A partida, por ironia, foi a melhor do Grêmio no Brasileiro.

Diego Souza estava especialmente inspirado.

Mancini também foi esperto.

Sabia da falta de ritmo e da dificuldade de Dodô em marcar.

Douglas Costa atuou em cima do lateral.

O Grêmio forçou triangulações pela direita e em 19 minutos, abriu 3 a 0.

Time envolvente, atrevido, com muita mobilidade, garra, entrega na recomposição, na retomada de bola. Se tivesse jogado todo o Brasileiro assim, estaria brigando pelo título. Não se preparando para enfrentar a Segunda Divisão.

Diego Souza completou cruzamento perfeito de Raphinha, depois de passe sensacional de Douglas Costa. Jogada ensaiada: 1 a 0, Grêmio, aos cinco minutos.

Aos dez minutos, Douglas Costa descobre Diego Souza livre. Dele, a assistência perfeita para Campaz estufar as redes de Rafael. 2 a 0. A torcida estava entusiasmada, quase como se visse uma miragem. 

Tudo ficaria ainda mais surreal, aos 19 minutos, quando Diego Souza bateu com perfeição falta na entrada da área. Sem chance para Rafael. 3 a 0.

O Grêmio estava sedento, pronto para uma goleada histórica. Mas seus torcedores denunciaram o gol do Bahia contra o Fortaleza. O time de Mancini estava com os nervos à flor da pele se encolheu. Os jogadores sabiam que seriam marcados, cobrados se fosse confirmado o rebaixamento.

Cuca percebeu e adiantou suas linhas, forçandos os muitos erros gremistas. E foi assim que Dodô marcou um golaço. Ele driblou Rafinha, da esquerda para o meio. E bateu colocado, sem chances de defesa para Gabriel Chapecó.

Mas os atleticanos percebiam a perturbação psicológica do rival. E marcaram 3 a 2, em grande jogada de Calebe que serviu Vargas entre a zaga. O chileno tocou no meio das pernas de Chapecó.

No intervalo, Mancini obrigou seu time a acordar. De nada adiantaria ficar 'secando' os rivais pela sobrevivência, se a equipe não vencesse os reservas atleticanos.

E coube justo a Douglas Costa marcar 4 a 2, se aproveitando do espaço deixado pelos empolgados reservas de Cuca. Ferreira deu um passe sensacional, batendo na bola de trivela, de 'três dedos'. A bola chegou para o jogador mais caro e mais odiado pela própria torcida gremista.

Talentoso que é, marcou um belíssimo gol.

E deu 'tchau' aos torcedores, se despedindo do clube.

Borja ainda errou pênalti, depois de Neto derrubar Ferreira.

Em Caxias, o Juventude, verdadeiro inimigo, fazia 1 a 0, no Corinthians.

Outra vez, o time gremista entrou em pane.

A sofrida torcida gremista. Desta vez, conseguiu contagiar o time com tanta tristeza
A sofrida torcida gremista. Desta vez, conseguiu contagiar o time com tanta tristeza

Hyoran cobrou falta com perfeição, aos 45 minutos do segundo tempo.

A partida estava decidida.

4 a 3 para o Grêmio.

Sem motivo para comemorar.

Só lamentar.

Com o elenco que tem não deveria estar entre os rebaixados.

Mas pagou caro pela falta de rumo.

E agora só resta encarar a Segunda Divisão.

Pela terceira vez...

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.