Cosme Rímoli Itália pede a extradição de Robinho ao Brasil. Apesar de condenado a nove anos de prisão, por estupro, jogador segue livre em Santos

Itália pede a extradição de Robinho ao Brasil. Apesar de condenado a nove anos de prisão, por estupro, jogador segue livre em Santos

O Ministério Público italiano formalizou o pedido de extradição de Robinho, condenado a nove anos de prisão por estupro coletivo. Seu nome já foi divulgado a 195 países, que têm ordem de prendê-lo. Ele segue vivendo no luxo. Nas suas casas no Guarujá e Santos

  • Cosme Rímoli | Do R7

Robinho não irá se entregar à justiça italiana. Quer seguir vivendo nas luxuosas casas do Guarujá e Santos
Robinho não irá se entregar à justiça italiana. Quer seguir vivendo nas luxuosas casas do Guarujá e Santos Ivan Storti/Santos

São Paulo, Brasil

Chegaram as consequências para Robinho da condenação de nove anos por estupro coletivo.

O Ministério Público italiano pediu oficialmente ao governo brasileiro a prisão e extradição do ex-jogador da Seleção Brasileira e do Santos.

Além disso, passou a ser um criminoso foragido, com seu nome, Robson de Souza, em uma lista da Interpol, nos aeroportos de 195 países. 

O Brasil não extradita seus cidadãos, pessoas nascidas aqui. 

E nem costuma cumprir condenações de brasileiros no Exterior.

São muitas raras.

Robinho foi condenado de forma definitiva pelo Supremo Tribunal de Justiça da Itália. Por participar de estupro coletivo a uma mulher de 23 anos, em uma boate de Milão, Sio Café, em janeiro de 2013.

De acordo com gravações do próprio Robinho, a mulher estava embriagada quando foi abusada.

Robinho sabia que este seria o caminho natural, depois da condenação. Ou seja, seu nome seria divulgado pela Interpol e o Ministério Público italiano iria pedir sua extradição.

Não há mais recurso jurídico algum que cancele a sua condenação a nove anos de prisão na Itália.

As gravações de Robinho foram as maiores provas, que garantiram sua condenação

As gravações de Robinho foram as maiores provas, que garantiram sua condenação

Reprodução/Instagram

Orientado por seus advogados, ele nem foi para a Itália acompanhar o último recurso, no dia 19 de janeiro. Porque sabiam que a Corte de Cassação de Roma tinha tudo para confirmar sua condenação. E se estivesse presente seria preso.

Robinho não irá se entregar.

A sua decisão, de acordo com amigos ligados à diretoria do ex-presidente do Santos, Orlando Rollo, será continuar a viver no Brasil, como se nada tivesse acontecendo.

Apostar na suposta impunidade que a Constituição de 1988 oferece aos cidadãos brasileiros por crimes praticados no Exterior.

Gravações da polícia italiana, no celular e no carro do jogador, acabaram por condená-lo.

E foram tornadas públicas.

São chocantes.

"Estou rindo porque não estou nem aí, a mulher estava completamente bêbada, não sabe nem o que aconteceu.

"Olha, os caras estão na merda... Ainda bem que existe Deus, porque eu nem toquei aquela garota. Vi ( fala nome de um dos seus amigos brasileiros), e os outros fo... ela, eles vão ter problemas, não eu... Lembro que os caras que pegaram ela foram (cita um amigo) e (cita outro amigo).... Eram cinco em cima dela.

"Telefonei a (um terceiro amigo), e ele me perguntou se alguém tinha gozado dentro da mulher e se ela engravidou. Eu disse que não sabia, porque me recordo que eu e você não transamos com ela porque o seu pênis não subia, era mole...

"O problema é que a moça disse que (primeiro amigo), (segundo amigo) e (terceiro amigo) a pegaram com força."

Confrontado pelo músico Jairo Chagas, se havia feito sexo oral com a mulher, Robinho deixa escapar. "Isso não significa transar."

Pessoas ligadas ao ex-presidente Rollo, e amigas de Robinho, garantem. Ele não irá à Itália se entregar

Pessoas ligadas ao ex-presidente Rollo, e amigas de Robinho, garantem. Ele não irá à Itália se entregar

Santos

Robinho foi ex-jogador do Santos, Real Madrid, Manchester City, Milan, Guangzhou Football Club, Atlético Mineiro, Sivasspor Kulübü, Instabul.

Disputou duas Copas do Mundo, a de 2006 e a de 2010.

É milionário.

Tem duas casas luxuosas. Uma em Santos. E uma mansão no Guarujá.

Ele tem aplicado a maior parte do que ganhou. Além de ser dono de outros imóveis.

Desfruta a vida de rico.

Mesmo condenado na Itália teoricamente espera viver tranquilamente no Brasil.

O que só não acontecerá se o governo brasileiro acatar a condenação na Itália e remeter o processo para a análise do Superior Tribunal de Justiça. Se houve como o jogador se defender, se as provas são irrefutáveis, que justifiquem a condenação. Caso não haja nenhuma dúvida, só assim se exigiria o cumprimento da pena, dos nove anos.

Advogados consideram que a pressão da opinião pública pode pesar.

E, apesar de muito difícil, Robinho pode acabar preso no Brasil.

O jogador segue calado, desde que foi condenado definitivamente.

Ele segue recluso nas suas casas, no Guarujá e Santos.

Há apenas uma certeza, ele não irá se entregar à justiça italiana.

Não quer cumprir os nove anos de prisão.

Não de livre e espontânea vontade.

Vai seguir usando a legislação brasileira como escudo...

Corinthians conquista a primeira edição da Supercopa feminina: confira 7 destaques esportivos

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas