Cosme Rímoli Internet rejeita Robinho. Pela condenação por estupro

Internet rejeita Robinho. Pela condenação por estupro

Redes sociais não perdoam o Santos por recontratar Robinho. A condenação a nove anos de prisão na Itália, por estupro a uma jovem albanesa, pesa

  • Cosme Rímoli | Do R7

Rollo, presidente e policial. Robinho, condenado por estupro, assinando contrato

Rollo, presidente e policial. Robinho, condenado por estupro, assinando contrato

Santos

São Paulo, Brasil

"Aqui sempre foi a minha casa. Meu objetivo é ajudar dentro e fora de campo, e fazer o Santos voltar ao lugar mais alto, que é de onde nunca deveria ter saído."

"Sensação maravilhosa de poder voltar ao clube que me projetou para o futebol. Foi aqui onde eu cresci."

"Sempre sonhei em ser jogador."

"Foi o Santos que tornou tudo isso possível."

As palavras são de Robinho, na sua primeira entrevista, à SantosTV, depois de voltar ao clube pela quarta vez.

O atacante estava não só feliz por voltar.

Mas também por deixar claro.

Quer se aposentar no Santos.

A reação nas mídias sociais foi enorme.

Mas longe do que a diretoria do Santos esperava.

A contratação de Robinho não foi celebrada, como sonhava o presidente em exercício, Orlando Rollo.

Pelo contrário.

As críticas prevaleceram.

Do Brasil inteiro.

E cobrando o clube por haver contratado um condenado por estupro.

A nona seção do Tribunal de Milão, presidida por Mariolina Panasiti, condenou Robinho, em 2017, a nove anos de prisão.

De acordo com a justiça italiana, ele e cinco homens, entre eles, um amigo brasileiro, teriam abusado de uma jovem albanesa alcoolizada de 18 anos, no guarda volumes da boate Sio Café.

“Segundo uma juíza do tribunal, Robinho e um dos seus amigos envolvidos no caso, Ricardo Falco, mostraram um ‘desprezo absoluto’ pela jovem de 18 anos, ‘exposta a humilhações repetidas, bem como a atos de violência sexual pesados’, descrito em suas ‘conversas interceptadas'”, publicou a agência de notícias italiana Ansa.

Robinho foi para o CT do Santos ontem mesmo. Gravar vídeo como jogador contratado

Robinho foi para o CT do Santos ontem mesmo. Gravar vídeo como jogador contratado

Santos

Quando saiu a sentença, ele atuava no Atlético Mineiro.

E houve fortes protestos de feministas mineiras contra o atacante.

Acabou indo jogar na Turquia.

Jogou pelo Sivasspor e depois no Istanbul Basaksehir.

Ele não fez parte da delegação, quando esses clubes tiveram de jogar na Itália.

Poderia ser preso.

O Brasil tem acordo de extradição com a Itália, mas a lei brasileira não permite que um cidadão nascido aqui seja enviado para outro país para cumprir pena. Isso, porém, não livra Robinho.

Porém, o artigo 7 do Código Penal Brasileiro prevê que brasileiros que cometeram crimes no exterior cumpram a pena no país.

Para isso, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) teria de homologar a pena do jogador de futebol.

Mas ainda cabe recurso à condenação.

Será a quarta vez que o atacante atuará pelo Santos.

A diretoria estava pensando em organizar uma coletiva virtual sobre seu retorno.

Mas diante da força da péssima repercussão, a entrevista pode não acontecer.

Ou se houver, uma opção é que o assunto condenação por estupro não poderá ser citado. 

Para trazer um ar mais irônico à situação, o presidente em exercício do Santos, Orlando Rollo, é policial civil.

O contrato, primeiro por cinco meses, com prorrogação até o final de 2022, foi assinado.

Não há mais volta.

Só rescisão...

De volta ao Santos, Robinho é mais um craque acusado de estupro. Veja:

Últimas