Cosme Rímoli Injustiçado, Gabigol declara guerra a Tite. Foi aceita. CBF vê desrespeito à hierarquia. Em compensação, Tite pode esquecer o Flamengo

Injustiçado, Gabigol declara guerra a Tite. Foi aceita. CBF vê desrespeito à hierarquia. Em compensação, Tite pode esquecer o Flamengo

Imagens do jogador 'regendo' o coro de torcedores flamenguistas contra o técnico da seleção já chegaram à Itália, onde o Brasil se prepara para a Copa. Não será chamado de jeito algum, mesmo se um atacante se contundir

  • Cosme Rímoli | Do R7

Gabigol regeu a torcida flamenguista que ofendia Tite. Guerra declarada e aceita pela CBF

Gabigol regeu a torcida flamenguista que ofendia Tite. Guerra declarada e aceita pela CBF

Paula Reis/Flamengo

São Paulo, Brasil

Em cima do trem elétrico no desfile apoteótico do Flamengo, exibindo as duas taças que conquistou em dez dias, a da Libertadores e a da Copa do Brasil, o mais festejado foi Gabigol.

Enquanto Tite viajava para Turim, acompanhado pelo trio de jogadores que considerou digno para representar o Brasil na Copa do Catar, Weverton, Pedro e Everton Ribeiro, Gabigol seguia desfilando pelo centro do Rio de Janeiro.

A sua não convocação para o Mundial foi considerada uma ofensa para a direção do Flamengo, para grande parte da imprensa esportiva carioca.

O clima de festa pelos títulos rubro-negros logo virou de revolta.

O coro dos torcedores foi muito pesado.

"Ô Tite vai se fo...

"O Gabigol não precisa de você..."

O jogador, que estava em destaque, em frente aos flamenguistas, se empolgou. E começou a regê-los como um maestro. Usando o microfone como batuta, o bastão que comanda a orquestra.

E logo se empolgou de vez.

Concordando da maneira mais absoluta.

"Tem razão,eu já jogo em uma seleção, cara...!"

A imagem viralizou desde ontem na Internet em inúmeros perfis.

Já chega a milhões de réplicas.

Foi o maior protesto de um jogador e torcida contra a não convocação para uma Copa do Mundo.

As imagens já chegaram à CBF, a Turim.

Assessores dizem que Tite não falará nada sobre a manifestação.

O Flamengo não tem só a maior torcida do Brasil.

É o clube de maior influência na CBF.

Foi constrangedor o que aconteceu ontem.

E a consequência é lógica.

Se um dos nove atacantes que Tite levará para a Copa se contundir, nestes dias de preparação, Gabigol pode esquecer uma convocação extraordinária.

Ele é um dos 55 atletas pré-convocados pelo treinador.

Seu nome vazou por conta do Flamengo.

Tite só aceitou revelar os 26 que chamou para a Copa.

Os demais, não.

Para fugir de polêmicas, como é o seu estilo.

O treinador também pediu para os atletas que poderiam ser chamados seguirem treinando. Para "qualquer emergência".

Gabigol empolgado, celebrando, bebendo em cima do trio elétrico, deixou claro que vai aproveitar suas férias. Não dando a mínima importância para o conselho de Tite.

Nenhum homem nascido no Brasil, ou naturalizado brasileiro, marcou mais gols do que Gabigol, depois do fracasso da seleção de Tite na Rússia.

Tite escalou Gabigol de maneira 'errada' nas poucas vezes que o levou à seleção

Tite escalou Gabigol de maneira 'errada' nas poucas vezes que o levou à seleção

AFP

Foram 151 gols.

Neymar, o segundo colocado, fez 87.

Vinícius Júnior, Rodrygo, Antony, Raphinha, Richarlison, Pedro, Gabriel Martinelli e Gabriel Jesus também ficaram distantes da artilharia do camisa 10 do Flamengo.

Neymar chegou a ser acusado de pedir a Tite que não levasse o jogador. Porque o romance entre o jogador do Flamengo e sua irmã não deu certo.

"Esses dias saiu uma coisa, após a convocação, sobre o Gabigol, falando que eu não o convoquei (para a Copa do Mundo). Milhares de sites falaram sobre isso. Seria ao contrário, eu seria o primeiro a falar para ele (Tite) convocar o Gabigol", esclareceu o camisa 10 da seleção.

Ou seja, a escolha foi mesmo do técnico.

A direção do clube carioca segue tão revoltada com Tite quanto a torcida. Porque acreditava que Gabigol iria para o Mundial, por seus gols, valorizando-se no mercado internacional.

Aliás, nas poucas chances que Gabigol teve com ele na seleção, foi sacrificado. Atuou como detesta, não rende e não joga no Flamengo. Preso entre os zagueiros adversários, de costas para o gol.

A explicação tática, que Tite se recusa a dar, é que não o levou por conta de sua movimentação pelos lados do campo, que atrapalharia Raphinha, ocuparia espaço de Neymar.

O inconformismo de Gabigol se transformou em desrespeito à hierarquia na CBF.

Ele pode se esquecer de vez do Mundial do Catar.

Mas pode focar 2026.

Se mantiver o foco, a determinação, seja qual for o treinador, Abel Ferreira, Dorival Júnior, Cuca, ou qualquer outro, ele terá chances reais.

Não com Tite.

Que, para o bem de Gabigol, abandonará a seleção depois da Copa.

Ganhando ou perdendo.

E que pode procurar qualquer clube para trabalhar.

Menos o Flamengo...

Conheça a história do ex-goleiro da Espanha que perdeu Copa do Mundo por causa de perfume

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas