Cosme Rímoli Gritos de' macaco'. Agora, um boneco enforcado, com sua camisa. A Espanha continua omissa diante do racismo a Vinícius Jr.

Gritos de' macaco'. Agora, um boneco enforcado, com sua camisa. A Espanha continua omissa diante do racismo a Vinícius Jr.

Tudo indica que os mais fanáticos membros da torcida organizada do Atlético de Madrid passaram de qualquer limite de decência. Penduraram um boneco enforcado em Madri, que representa Vinícius Jr. Absurdo

  • Cosme Rímoli | Do R7

A estúpida imagem do boneco que representa Vinícius Jr. Enforcado. Lastimável

A estúpida imagem do boneco que representa Vinícius Jr. Enforcado. Lastimável

Reprodução/Twitter

São Paulo, Brasil

As autoridades policiais da Espanha deram uma resposta efetiva à acusação de estupro contra Daniel Alves. 

Ele está preso, há seis dias, em Barcelona, sem direito a fiança, até o julgamento. 

Os indícios são fortes, a ação está correta.

Mas as autoridades policiais precisam dar a mesma resposta ao que aconteceu hoje em Madri.

E com um brasileiro também.

Dessa vez, ele é a vítima.

Só que em situação completamente diferente e também repugnante.

Envolvendo o abominável racismo.

Não se comparam as situações, mas a estranha omissão dos policiais espanhóis.

Vinícius Jr., estrela da seleção brasileira e do Real Madrid, está envolvido em uma cena deplorável, que remete a páginas que a história tenta esquecer.

À escravidão, ao apartheid, ao regime de segregação dos negros nos Estados Unidos.

À famosa xenofobia espanhola contra estrangeiros, tão difundida nos tempos do "generalíssimo" Franco, ditador sanguinário.

Tudo indica que fanáticos racistas, infiltrados nas violentas organizadas do Atlético de Madrid ultrapassaram todos os limites da decência.

E resolveram pendurar um boneco negro "enforcado" em uma ponte da cidade.

Ele veste a camisa do Real Madrid, com o nome de Vinícius Jr.

Acima dele, a frase pintada em vermelho: "Madri odeia o Real". 

Ela é usada pela "frente Atlético", grupo de ultras, organizadas violentas, do Atlético de Madrid.

Pista maior do que essa não pode existir.

Negros eram enforcados na época da escravidão, na África do Sul, no regime do apartheid, por membros da Ku Klux Klan, seita que defendia a supremacia branca nos Estados Unidos.

O que aconteceu em Madri não é brincadeira.

Além do explícito racismo, pode ser encarado como uma ameaça a Vinícius Jr.

O brasileiro vem há tempos sendo chamado de "macaco", vendo gestos que imitam símios, em torcidas adversárias.

A Liga Espanhola, a Uefa e as autoridades policiais europeias continuam omissas. As punições são tímidas e estimulam os racistas.

Foi vergonhosa a nota que a Liga Espanhola divulgou sobre o lastimável acontecimento.

"Condenamos enérgicamente los actos de odio contra
@vinijr. La intolerancia y la violencia no caben en el fútbol. Como en ocasiones anteriores, #LaLiga instará la investigación de los hechos en busca de la condena de los responsables, solicitando las sanciones penales más severas."

Diz a nota, em tradução livre: "Condenamos energicamente os atos de ódio contra Vinícius Jr. A intolerância e a violência não cabem no futebol. Como em ocasiões anteriores, a Liga Espanhola começará uma investigação dos atos, em busca de condenar os responsáveis, solicitando penalidades mais severas'.

E só.

O clássico entre Real Madrid e Atlético de Madrid está confirmado para logo mais, às 17 horas, no horário brasileiro.

No estádio Santiago Bernabeu.

Vinícius Jr. está confirmado, vai jogar.

O Atlético de Madrid se posicionou oficialmente contra o absurdo.

"Dada a imagem que apareceu hoje em vários meios de comunicação, em que uma mensagem de ódio foi lançada horas antes do jogo que enfrentará o Real Madrid nesta noite, nas quartas de final da Copa do Rei, o Club Atlético de Madrid anuncia:

"Que fatos como esse são absolutamente repugnantes e inadmissíveis e constrangem a sociedade. A nossa condenação de qualquer ato que atente contra a dignidade de pessoas ou instituições é contundente e categórica.

A rivalidade entre os dois clubes é máxima, mas o respeito também. Nenhum indivíduo, quaisquer que sejam suas intenções ou cores, pode manchar a convivência entre torcidas. É responsabilidade de todos evitá-la.

Desconhecemos o autor ou autores desse ato desprezível, mas o anonimato não isenta sua responsabilidade. Esperamos que as autoridades possam esclarecer o ocorrido e que a justiça ajude a banir esse tipo de comportamento".

O boneco 'de Vinícius Jr.', em detalhes. Situação bizarra, que envergonha a Espanha
O boneco 'de Vinícius Jr.', em detalhes. Situação bizarra, que envergonha a Espanha Reprodução/Twitter

O Real Madrid também.

"O Real Madrid CF agradece pelo apoio e pelas manifestações de carinho recebidas após o lamentável e repugnante ato de racismo, xenofobia e ódio contra o nosso jogador Vinícius. Manifestamos a nossa mais firme condenação a acontecimentos que atentem contra os direitos fundamentais e a dignidade das pessoas e que nada têm a ver com os valores que o futebol e o desporto representam. Essas agressões, como as que sofre agora o nosso jogador, ou as que qualquer atleta pode sofrer, não podem ter lugar numa sociedade como a nossa. O Real Madrid está confiante de que todas as responsabilidades daqueles que participaram de um ato tão desprezível serão expurgadas."

Vinícius Jr. não quis se posicionar desta vez.

Mas pessoas do seu estafe dizem que ele está "cansado" de ser alvo de racistas.

Vinícius Jr. já falou, já cobrou, já protestou. Não adianta: o racismo continua contra ele

Vinícius Jr. já falou, já cobrou, já protestou. Não adianta: o racismo continua contra ele

Reprodução/Twitter

Agora, é com as autoridades policiais da Espanha.

É preciso atitude.

Os racistas precisam ser punidos, afastados da sociedade.

Como assassinos, ladrões, estupradores.

São também criminosos.

A tolerância espanhola precisa acabar...

Avaliado em 800 milhões de reais, Vini Jr. é único brasileiro na lista de jogadores mais caros do mundo

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas