Ganância da Fifa garantiu Gabigol no Mundial. Vergonhoso

Para valorizar o Mundial do Qatar, a infantil expulsão do brasileiro será cumprida na próxima Libertadores. Critério contrario à Copa do Mundo

A infantil expulsão de Gabigol. Mas a ganância da Fifa o garantiu no Mundial

A infantil expulsão de Gabigol. Mas a ganância da Fifa o garantiu no Mundial

Reprodução/Twitter

São Paulo, Brasil

Assistente VAR 1: Gabriel Barbosa, vermelho

VAR: Por que o expulsou?

Assistente VAR 1: Fez um gesto, fez um gesto obsceno, agarrou sua genitália.

Árbitro: O 9 é um dos vermelhos.

VAR: Vamos seguir o 9.

Assistente VAR 1: Por que o expulsou?

Árbitro: Gesto obsceno

Assistente VAR 1: OK. Gesto obsceno. Vamos

VAR: Mas temos a câmera do 9? Não?

Operador: Veja esta. Porém, aqui não estavam enquadrando

Assistente VAR 2: Reversa 12 (câmera)

Operador: Na 12 temos o jogador

VAR: Sim, sim, mas quero ver o gesto

Assistente VAR 2: Já vi. A 12 (câmera). Veja, veja.

VAR: Aqui. Perfeito. Confiramos. Vamos

Essa foi a transcrição do diálogo entre os árbitros de vídeo na final da Libertadores, entre Flamengo e River Plate.

Eles comentam o que a transmissão da Conmebol não mostrou. 

Gabigol aperta uma garrafa de água contra a genitália, provocando e ofendendo os jogadores do River Plate, que o xingavam.

Atitude nojenta, descabida e completamente juvenil.

Eram 50 minutos de jogo, o Flamengo vencia a partida por 2 a 1, dois gols dele, por sinal. E o volante Palacios havia acabado de ser expulso por agredir Bruno Henrique.

Gabriel procurou o cartão vermelho.

Depois de toda a festa no gramado, o jogador recebeu uma enorme reprimenda, uma bronca inesquecível do inconformado técnico português Jorge Jesus.

Pelo gesto estúpido, sem necessidade, irresponsável.

Até então, Jesus acreditava, até por nunca ter ido a um Mundial, que a Fifa tivesse o mínimo de coerência, justiça e não agisse apenas por motivação financeira.

O treinador flamenguista acreditava que Gabriel Jesus seria suspenso. Pelo menos da semifinal do Mundial do Qatar.

Mas depois o treinador sossegou. Foi acalmado ao saber que a Fifa é desonesta com a competição. Não segue o critério lógico da Copa do Mundo.

Se o jogador é expulso na última partida das Eliminatórias, cumpre na Copa.

Mas Gabigol será suspenso na próxima Libertadores da América, em 2020.

Mesmo após saber desse privilégio, Jorge Jesus conversou novamente com o atacante e reafirmou que, se quiser mesmos voltar a um grande time europeu, precisa ter muito mais responsabilidade.

“Ainda não consegui fazer dele emocionalmente um grande jogador como é tecnicamente e taticamente. Do ponto de vista emocional tem muitos problemas."

"Ele que siga o exemplo de Messi, de Ronaldo, de todos os grandes jogadores, pois não têm este tipo de postura", resume.

O jogador é o recordista de indisciplina na Séria A, 'ganhou', por exemplo, de Felipe Melo. Tem 21 cartões amarelos e dois vermelhos.

A expulsão da final da Libertadores foi a mais idiota de todas.

Mas a Fifa conseguiu uma maneira de protegê-lo.

Para sorte do jogador, a Fifa pensa mais em ter mais jogadores importantes no Mundial do que fazer justiça.

O atleta renomado significa mais audiência.

Mais pessoas no estádio.

Mais sucesso da competição.

Mas dinheiro aos bilionários cofres da entidade.

Gabigol estar na semifinal do Mundial é indecente.

Tanto quanto o gesto ridículo na final da Libertadores...

Curta a página do R7 Esportes no Facebook.

Everton Ribeiro: capitão do bi e pai do Guto, xodó dos flamenguistas