Libertadores

Cosme Rímoli Fracassos e prejuízo. Landim exige a Libertadores de Renato Gaúcho. Técnico nunca esteve tão ameaçado

Fracassos e prejuízo. Landim exige a Libertadores de Renato Gaúcho. Técnico nunca esteve tão ameaçado

Apesar dos erros da arbitragem, o milionário elenco empatar com a lanterna Chapecoense, e entregar o título brasileiro para o Atlético, incomodou a cúpula na Gávea. Vencer a Libertadores é a única saída para Renato

  • Cosme Rímoli | Do R7

Renato Gaúcho nunca esteve tão ameaçado na Gávea. Vencer a Libertadores virou obrigação

Renato Gaúcho nunca esteve tão ameaçado na Gávea. Vencer a Libertadores virou obrigação

AFP

São Paulo, Brasil

"É um crime o que a arbitragem está fazendo com o Flamengo. Isso que aconteceu aqui na Arena Condá é criminoso.

"Criminoso!

"Gaciba, eu quero ver você falar sobre esses lances."

O justo desabafo do diretor-executivo do Flamengo, Bruno Spiendel, se justifica. A arbitragem de Denis da Silva Ribeiro Serafim teve erros cruciais. Como marcar impedimento de Gabigol, ainda no campo do Flamengo, e um pênalti claríssimo no mesmo atacante rubro-negro.

O juiz do quadro alagoano será punido pela Comissão de Arbitragem, terá de se reciclar. A direção do Flamengo não o quer mais nos seus jogos, seja em que competição for.

O presidente Leonardo Gaciba seguirá calado, para preservar seu emprego. Desde outubro do ano passado, quando ele admitiu que o São Paulo foi prejudicado contra o Atlético Mineiro, com a anulação pelo VAR de um gol que Gaciba considerou legal, jamais ele voltou a falar publicamente. Suas palavras quase causaram um processo de pedido de anulação de jogo.

Gaciba foi ameaçado de demissão pelo presidente da CBF, Rogério Caboclo.

Tudo isso é verdade.

Mas o que aconteceu ontem com o Flamengo e seu elenco milionário, na Arena Condá, foi algo inaceitável para os dirigentes rubro-negros. Por mais que o juiz alagoano tenha errado, não há cabimento empatar, em 2 a 2, com a Chapecoense, a última colocada do Brasileiro e, sem hipocrisia, rebaixada para a Série B.

Inacreditável. Gabigol estava no campo do Flamengo. E foi marcado impedimento

Inacreditável. Gabigol estava no campo do Flamengo. E foi marcado impedimento

Reprodução/Twitter

Os dois pontos jogados são mais um pecado contra o decadente trabalho de Renato Gaúcho na Gávea. A empolgação passou faz tempo. Com a eliminação na semifinal da Copa do Brasil para o Athletico Paranaense. E, agora, com o clube deixando o Brasileiro nas mãos do Atlético Mineiro.

O Flamengo não tem mais consistência, postura tática, compactação, coordenação, objetividade. Renato não encontra soluções para óbvias marcações de adversários muito mais fracos.

Para o clube, comandado pelo capitalista Rodolfo Landim, a eliminação na Copa do Brasil e a perda do Brasileiro refletem não só no sentimento como torcedor, mas em muito dinheiro.

Renato Gaúcho começa a trazer prejuízo, não conquistando as competições, desvalorizando os atletas, o clube. E Landim é muito frio em relação a valores. Ele encara o técnico como um executivo subalterno, que precisa dar resultados.

"Pode ter certeza que, para o dia 27, será um jogo atípico. Vai ser um Flamengo totalmente diferente", disse ontem, sentindo a decepção e a cobrança por outra fraca partida de seu time.

Não há saída para Renato Gaúcho.

Ou o Flamengo, daqui a 18 dias, conquista a Libertadores, na decisão contra o Palmeiras, em Montevidéu, ou não seguirá na Gávea em 2022.

O treinador sabe disso.

Assim como tem plena consciência de que o Palmeiras se recuperou, se estabilizou. Abel Ferreira está ajustando a equipe para a importantíssima decisão. Seu time venceu as últimas cinco partidas do Brasileiro.

André Villas Boas tem seu nome cada vez mais repetido na Gávea. Técnico português

André Villas Boas tem seu nome cada vez mais repetido na Gávea. Técnico português

Reprodução/Olympique

Está em um momento muito melhor que o Flamengo.

Recobrou a postura de favorito na decisão.

Para sobreviver, Renato precisa reinventar o time que treina.

E que vive um momento lastimável.

O nome do português André Villas Boas cresce na Gávea...

Rivalidade à prova: relembre os últimos campeões do Paulistão

Últimas