Cosme Rímoli Flamengo espetacular. O virtual campeão dá lição ao Brasil

Flamengo espetacular. O virtual campeão dá lição ao Brasil

Com a vitória fácil no Fla-Flu, o português Jorge Jesus consolida o ensinamento. Jogador de futebol é atleta. Não há necessidade de histéricos revezamentos

Flamengo, Fla-Flu, Jorge Jesus, Flamengo campeão do Brasil, Gerson, Bruno Henrique

Gol de Gerson. Flamengo, líder absoluto, e dando lição para o Brasil

Gol de Gerson. Flamengo, líder absoluto, e dando lição para o Brasil

Flamengo

São Paulo, Brasil

Foi preciso chegar um treinador português para ensinar aos técnicos brasileiros.

Há preparação física, fisiologia, nutrição e disciplina no futebol moderno que possibilitam que jogadores de futebol possam participar de duas competições importantes. 

Sem a necessidade de revezamento exagerado, histérico, de oito, nove, dez jogadores. 

O Flamengo jogará a partida decisiva da semifinal da Libertadores da América contra o Grêmio.

Mas hoje, Jorge Jesus colocou nove titulares absolutos contra o Fluminense, no Maracanã.

Ao contrário do que fez Renato Gaúcho, ontem, diante do Fortaleza. Seus reservas perderam no Ceará por 2 a 1.

E seu time ocupa apenas a oitava colocação no Campeonato Nacional.

O Flamengo, não.

Quer ser campeão do Brasil e do continente.

E a ambição consciente está dando resultado exemplar.

O Flamengo venceu seu tradicional rival.

Fez o que quis com o limitado Fluminense. 

2 a 0, gols de Bruno Henrique e Gerson, foi um placar muito acanhado.

Deveria ter goleado.

Muriel foi, disparado, o melhor jogador do Fluminense, fazendo grandes defesas.

E houve um pênalti claro em Gabigol que Anderson Daronco não marcou, de maneira inacreditável.

Bruno Henrique marcou o primeiro gol. 2 a 0 foi muito pouco para o líder

Bruno Henrique marcou o primeiro gol. 2 a 0 foi muito pouco para o líder

Wallace Teixeira/Estadão Conteúdo - 20.10.2019

O time de Jorge Jesus conseguiu o 40º ponto de 42 disputados nas últimas 14 partidas.

Atingiu  64 pontos, com incríveis 79% de aproveitamento.

20 vitórias em 27 partidas.

Faltam onze rodadas para o torneio acabar.

Conseguiu dez pontos de distância do Palmeiras, segundo colocado.

Está mais do que encaminhado o título brasileiro.

E a lição para o país sul-americano.

Jogadores de futebol são atletas, estão capacitados para jogar sequências de partidas importantes, no domingo e na quarta-feira. Três dias são suficientes para o descanso. 

Que os clubes da elite aprendam com o português.

É preciso ter coragem, ambição.

Tirar os jogadores do comodismo.

A partida foi exatamente como se esperava.

Com o Flamengo de Jorge Jesus tendo a iniciativa, buscando o toque de bola, mas sem malemolência, com objetividade, com os jogadores indo no limite, correndo, buscando os espaços na retranca do Fluminense. E sem a bola, toda a intensidade na marcação, na recomposição. 

O time rubro negro tem a movimentação dos melhores times europeus. 

Por isso, a importância do intercâmbio, da vinda de treinadores com outra mentalidade ao futebol deste país, carente de neurônios, de estratégia e até de melhor preparo físico.

O retrato do atraso tático foi o outra vez Paulo Henrique Ganso.

Talentosíssimo, com visão de jogo privilegiada, mas incapaz de entender a vibração, a intensidade da modernidade. Sua inutilidade para o Fluminense foi absoluta. Parecia um atleta de 50 anos atrás, que caiu de pára-quedas no Maracanã.

Triste desperdício.

O Flamengo não tomou conhecimento do seu eterno rival.

E logo aos três minutos, o primeiro gol rubro negro.

O onipresente Everton Ribeiro cobrou escanteio rápido para Rodinei. O cruzamento foi certeiro para a cabeçada fulminante de Bruno Henrique.

Flamengo 1 a 0.

A ambição de Jorge Jesus empurrava seu time no ataque, marcando forte, sob pressão, a insegura saída de bola do Fluminense.

Teve pênalti claro de Nino em Gabigol não marcado, chances perdidas.

No segundo tempo, a mesma gana do Flamengo.

A festa de Gerson e Reinier no segundo gol do Flamengo. Fácil demais

A festa de Gerson e Reinier no segundo gol do Flamengo. Fácil demais

Reprodução/Twitter

Aos 20 minutos, Ganso perdeu mais um lance e proporcionou o contragolpe. Gabigol e Reinier tabelaram. O jovem atacante que não foi cedido para a Copa do Mundo sub-17 serviu para o chute preciso de Gerson, um dos pilares do time de Jorge Jesus. 

2 a 0, Flamengo.

Mesmo com a vitória garantida, a equipe seguiu querendo marcar mais. O pobre Fluminense, ameaçado pelo rebaixamento, conseguiu ao menos evitar o vexame.

O virtual campeão do Brasil deu mais uma aula.

Jorge Jesus está sendo ótimo professor...