Cosme Rímoli Fla peita CBF e clubes. Vai à guerra. Promete público no Maracanã. Grêmio jura: não jogará

Fla peita CBF e clubes. Vai à guerra. Promete público no Maracanã. Grêmio jura: não jogará

Para o Flamengo, de nada adiantou a reunião entre CBF e os demais 19 clubes da Série A, que determinou não haver público no Brasileiro. Com liminar e aval da Prefeitura, Flamengo vai colocar torcida. Grêmio promete W.O.

  • Cosme Rímoli | Do R7

Landim promete colocar o time em campo com torcida. Tem liminar do STJD

Landim promete colocar o time em campo com torcida. Tem liminar do STJD

Flamengo

São Paulo, Brasil

Dois novos vexames à vista?

"É uma regra que todos nós aderimos. Se o Flamengo vender ingressos e tiver torcida no Maracanã, não devemos jogar. Essa foi uma posição passada pelo departamento jurídico para a presidência."

Estas são palavras do vice-jurídico do Grêmio, Nestor Hein.

A revolta de Hein está no fato de o Flamengo ter obtido a liberação da prefeitura do Rio de Janeiro para atuar no Maracanã com público. Nas suas três próximas partidas. Como um teste. 

O mais irônico é que os dois primeiros jogos são contra o Grêmio.

O primeiro, dia 15, será a volta das quartas da Copa do Brasil, o estádio estará liberado para 35% de sua capacidade. Ou seja, 24.783 torcedores poderão comprar ingressos. 

A direção do Grêmio deseja isonomia. Ou seja, que a partida seja tratada como foi a de Porto Alegre, sem público, quando perdeu por 4 a 0.

O segundo confronto marcado contra os gremistas no Maracanã, será no dia 19. Pelo Brasileiro. Como no primeiro turno, em Porto Alegre, não houve público, a postura da direção gaúcha é a mesma. Não jogar.

A liberação da prefeitura carioca é de 40%.

A terceira partida liberada é diante do Barcelona de Guayaquil, pela Libertadores. Já a liberação será de 50%, 35.035 torcedores, dia 22 de setembro.

O Flamengo já conseguiu esse benefício na Libertadores, nas oitavas. Ele atuou contra o Defensa y Justicia na Argentina sem público. Mas em Brasília conseguiu a liberação para 18 mil torcedores. Por conta do altíssimo preço dos ingressos, foram exatos 5.518 flamenguistas para o confronto. 

Para piorar a situação uma reunião que terminou no início da tarde entre a cúpula da CBF e 19 clubes da Série A definiu. O Brasileiro seguirá, por enquanto, sem público. Por conta da pandemia.

Foram 19 equipes porque a diretoria do Flamengo, já sabendo da derrota, decidiu não participar.

E alegar que não é a CBF ou os clubes que definem se os torcedores podem ou não entrar nos estádios. São os governos e prefeituras, com o aval do Ministério da Saúde.

Além disso, o clube conseguiu liminar do STJD liberando as partidas com torcida.

O presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, promete não recuar.

Promete colocar o time em campo.

Se o Grêmio decidir mesmo por dois W.O., não jogar, o clube reinvidicará na justiça as duas vitórias, por não comparecimento ao jogo.

O Barcelona do Equador vai atuar.

O futebol brasileiro mergulha em nova crise...

Pelé convive com rotina de internações nos últimos anos

Últimas