Cosme Rímoli 'Fiquem na Europa.' Ramires. Dispensado do Palmeiras por balada

'Fiquem na Europa.' Ramires. Dispensado do Palmeiras por balada

O veterano, que teve seu contrato rescindido por expor seus companheiros do Palmeiras, indo à balada sem máscara, além de jogar muito mal, tenta repassar a culpa do seu fracassado retorno

  • Cosme Rímoli | Do R7

Ramires na balada. Sem máscara, expondo o elenco do Palmeiras à covid-19. Gota d'água

Ramires na balada. Sem máscara, expondo o elenco do Palmeiras à covid-19. Gota d'água

Reprodução/Mancha Verde

São Paulo, Brasil

"Eu acho que eles (jogadores que atuam na Europa e voltam para o Brasil) precisam estar bem preparados, porque é uma outra realidade, é totalmente diferente, principalmente para eles, que jogaram na Inglaterra por mais anos. Têm que estar com a cabeça muito boa."

"Se tiverem a oportunidade de ficar na Europa, eu diria: 'fiquem na Europa'. Se for para vir, tem que pensar bem para onde vai, para qual time e buscar referências, para que venham e sejam felizes. "

(UOL, três de junho, de 2021.)

"Tive uma conversa muito aberta com o Abel antes de rescindir. Já tinha tomado a decisão de sair, então, prontamente, ele disse-me que apoiaria, independentemente da situação. Ele queria muito a minha permanência, mas infelizmente já não dava mais para mim. Depois, ainda tivemos mais conversas, sobretudo durante o surto de covid-19 no plantel."

(Portal Mais Futebol, de Portugal, 28 de maio de 2021)

Nove meses depois de sair do Palmeiras, o volante Ramires voltou a dar entrevistas. E mostrou toda sua mágoa pela maneira com que deixou o clube que lhe pagava cerca de R$ 1 milhão por mês. E que ainda tinha mais dois anos e um mês de contrato.

O jogador fora pedido por Luiz Felipe Scolari, que acreditava que ele daria experiência, ritmo, vibração e o termo que o treinador havia aprendido e estava começando a usar: 'intensidade'.

Só que aquele jogador diferenciado, com fôlego, velocidade e visão de jogo, do Cruzeiro, Benfica e Chelsea, não existia mais.

Felipão insistiu. Queria Ramires como líder e exemplo no Palmeiras. Deu tudo errado

Felipão insistiu. Queria Ramires como líder e exemplo no Palmeiras. Deu tudo errado

Cesar Greco/Palmeiras

Contusões graves, treinamentos esparsos e longo período sem competir, se juntaram à idade. E o meio-campista de 32 anos que chegou ao Palmeiras no dia 13 de junho de 2019, acabou se tornando uma imensa decepção.

A torcida, a imprensa, conselheiros, diretoria e até o presidente Mauricio Galiotte cobravam Felipão. Ninguém entendia o fraco desempenho do jogador. A dificuldade em sair da reserva. E o fraco futebol que mostrava quando entrava nas partidas.

O ex-técnico do Palmeiras dizia que o problema estava nos longos períodos afastado e a inconstância de treinamentos no Jiangsu Suning.

Veio a eterna ciranda de treinadores no Palestra Itália. Saiu Felipão entrou Mano Menezes. Veio Vanderlei Luxemburgo. O auxiliar Andrey Lopes, o Cebola. E, finalmente, Abel Ferreira.

Nada de Ramires reagir. Pelo contrário. Seu futebol até piorava.

A situação já estava ruim, quando na madrugada de quinta-feira, dia 12 de novembro de 2020, em plena crise por conta da covid-19, Ramires foi flagrado em uma balada clandestina.

Sem máscara, posando para fotos com outras pessoas sem máscaras, também.

A principal torcida organizada do clube, a Mancha Verde, tratou de divulgar as fotos nas redes sociais.

"Contamine o nosso elenco", escreveu o presidente de honra da torcida, Paulo Serdan.

Os torcedores fizeram um pacto de tratar de caçar Ramires, se fosse para novas baladas. A ordem era fotográ-lo e cobrá-lo por não respeitar o clube.

O Palmeiras acabou exposto, de maneira amadora.

Foi a gota d'água.

O Palmeiras vivia um surto de covid e o presidente Galiotte estava inconformado. Já que o clube adotava protocolos rígidos para evitar a contaminação. Conselheiros e membros da diretoria, torcida, imprensa. Todos se voltaram para Ramires.

E passaram a questionar o jogador e Galiotte por manter um reserva caríssimo e que expunha a todos indo farrear sem o mínimo cuidado, podendo, de verdade, contaminar o elenco.

Ramires e Galiotte acabaram acertando a rescisão de contrato.

De forma constrangedora.

Ramires viu surgirem Patrick de Paula, Gabriel Menino e Danilo. Não tinha como ser titular

Ramires viu surgirem Patrick de Paula, Gabriel Menino e Danilo. Não tinha como ser titular

Cesar Greco/Palmeiras

O jogador ficou calado por nove meses. 

E agora, às vésperas da abertura do mercado europeu, aos 34 anos, ele espera voltar ao futebol. Se não for possível, está livre para assinar com um clube brasileiro.

Para isso, precisava voltar às manchetes.

Voltaram as entrevistas.

E Ramires deveria ter sido mais claro. Ao falar que jogador que atua na Europa deveria 'ficar por lá', ele está mais do que certo.

Se voltar para o Brasil sem conseguir manter o nível que se espera, insuficiente para ser titular, e agir de maneira irresponsável, para se divertir e expor todo os seus companheiros de time à um vírus como a covid-19, que pode ser mortal, o melhor é continuar longe do país.

Ramires sabe, melhor do que ninguém, o quanto errou.

O erro foi dele, não do futebol brasileiro...

Cristiano Ronaldo dá anel de diamantes de R$ 4,5 mi para esposa

Últimas