Cosme Rímoli Fim de contrato com patrocinador milionário. Simbólico para Neymar

Fim de contrato com patrocinador milionário. Simbólico para Neymar

A Gillette confirmou oficialmente que não tem mais vínculo com o principal jogador do Brasil. O mesmo que tentou 'resgatar' depois da Copa da Rússia

Gillette, Neymar, patrocinadores, estupro Neymar, fim de patrocínio Neymar

Neymar fazendo a barba em 2016. Muita coisa mudou em três anos

Neymar fazendo a barba em 2016. Muita coisa mudou em três anos

Divulgação/Gillette

São Paulo, Brasil

"Trava de chuteira na panturrilha, joelhada na coluna, pisão no pé. Você pode achar que eu exagero, e às vezes eu exagero mesmo. Mas a real é que eu sofro dentro de campo.

Agora, na boa, você não imagina o que eu passo fora dele.

"Quando eu saio sem dar entrevista, não é porque eu só quero os louros da vitória, mas porque eu ainda não aprendi a te decepcionar. Quando eu pareço malcriado, não é porque eu sou um moleque mimado, mas é porque eu não ainda não aprendi a me frustrar.

"Dentro de mim ainda existe um menino.

Às vezes ele encanta o mundo, e às vezes ele irrita todo mundo. E minha luta é para manter esse menino vivo, mas dentro de mim, e não dentro e campo. 

"Você pode achar que que eu caí demais, mas a verdade é que eu não caí. Eu desmoronei. Isso dói muito mais do que qualquer pisão ou tornozelo operado. 

"Eu demorei para aceitar as suas críticas, eu demorei para me olhar no espelho e me transformar em um novo homem, mas hoje eu estou aqui, de cara limpa e de peito aberto.

"Eu caí, mas só quem cai pode se levantar.

"Você pode continuar jogando pedra, ou pode jogar essas pedras fora e me ajudar a ficar de pé.

E quando eu fico de pé, parça, o Brasil inteiro levanta comigo."

Esse é o texto integral, escrito por publicitários, que deveria ser o desabafo de Neymar após o fracasso na Copa do Mundo de 2018, quando virou chacota mundial, por suas simulações.

Provocou enorme revolta nas redes sociais, quando as pessoas souberam : nenhuma palavra foi dita de forma espontânea pelo jogador.

Apenas a leitura de um texto publicitário, com direito a cachê.

Foi desmoralizante para a Gillette.

Um balde de água fria na campanha que "um novo homem todo dia", depois de fazer a barba.

A reação foi absolutamente negativa.

Porém perto de um ano depois, o logotipo continua no site pessoal do jogador, como um dos seus 11 patrocinadores.

Só que esta situação não existe mais.

"Neymar Jr. não é mais patrocinado de Gillette e, portanto, quaisquer comentários seriam inapropriados. O fim do contrato antecede a esse episódio", divulgou, de forma discreta, mas oficial, a empresa multinacional ao jornal Folha de São Paulo, que apurava a posição da empresa diante da acusação de estupro.

Os detalhes do contrato foram detalhados pela publicação. 

US$ 7,1 milhões (R$ 25 milhões) ao atleta por dois anos, além de US$ 250 mil (R$ 930 mil) por hora extra em evento e US$ 500 mil (R$ 1,86 milhão) por diária extra de gravação não prevista em contrato.

Está explicada sua barba.

No contrato que tinha com a Gillette havia a obrigação de estar sem barba nos eventos públicos. Inclusive com multa prevista, em caso de barba, bigode, cavanhaque ou peitoral não raspado.

"Durante a vigência do contrato, [Neymar] não poderá ter nenhuma aparição pública (presencial ou através das redes sociais) com a barba no rosto, peitoral não raspado e/ou aparado, bigode ou cavanhaque, sob pena de multa de 5% (cinco) por cento do valor total do contrato. A exceção a esses casos são campanhas já produzidas."

Só que não há mais multa, já que não há mais contrato.

Daí, seu rosto barbado nos treinos da Seleção.

Sem o milionário contrato com a Gillette, o rosto de Neymar ganhou barba

Sem o milionário contrato com a Gillette, o rosto de Neymar ganhou barba

Mowa Press

O fim do vínculo é significativo. 

O soco que deu no rosto do torcedor francês, as infinitas farras registradas pelo próprio jogador no seu instagram, a acusação de estupro.

O fracasso com a Seleção Brasileira na Copa da Rússia.

Os dois anos frustados no PSG na busca da Champions.

A rejeição da influente imprensa francesa.

"Neymar recupera sua forma no Carnaval." Ácida ironia do L'Equipe

"Neymar recupera sua forma no Carnaval." Ácida ironia do L'Equipe

Reprodução

Tudo isso se junta.

E prejudica demais a imagem de Neymar.

Ele praticamente sumiu da televisão brasileira.

Mesmo no seu país, a rejeição é forte.

A postura da Gillette é simbólica...

Neymar vive 2019 marcado por lesões, polêmicas e punições