Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Cosme Rímoli - Blogs
Publicidade

Vitória da credibilidade. Fifa mantém punição aos jogadores brasileiros envolvidos na Máfia das Apostas. Penas valem no mundo todo

A CBF conseguiu uma grande vitória. A Fifa considerou mundiais as suspensões dadas pelo STJD aos jogadores que se envolveram com a máfia das apostas. De nada adiantou, por exemplo, Bauermann ir para a Turquia

Cosme Rímoli|Do R7 e Cosme Rímoli

Bauermann viajou para a Turquia. Pensou que escaparia da punição. Errou. Um ano suspenso. No mundo todo
Bauermann viajou para a Turquia. Pensou que escaparia da punição. Errou. Um ano suspenso. No mundo todo Bauermann viajou para a Turquia. Pensou que escaparia da punição. Errou. Um ano suspenso. No mundo todo

São Paulo, Brasil

"Eles vão ter penas pesadíssimas.

"Para o bem do futebol brasileiro, eles têm de ser banidos.

"Eles não vão matar a credibilidade do nosso esporte.

Publicidade

"E a situação será resolvida rapidamente."

A promessa foi do presidente da Federação Paulista de Futebol, Reinaldo Carneiro Bastos, referindo-se aos jogadores envolvidos na máfia das apostas. O caminho foi rápido, fulminante, em relação à lentidão da Justiça Esportiva no mundo.

Publicidade

As federações e a CBF trabalharam de forma conjunta. O presidente Ednaldo Rodrigues enviou a denúncia do Ministério Público à Fifa. Junto com ela, todas as provas de manipulação dos atletas.

E os dirigentes, que muitos erros cometem no futebol deste país, desta vez acertaram em cheio quando sugeriram à Fifa que a punição valha para todas as confederações e federações do mundo.

Publicidade

Foi assim que foi travada a esperta manobra de Eduardo Bauermann, jogador que pertencia ao Santos e que teve seu contrato rescindido depois que conversa dele com um apostador foi gravada. E chegou ao Ministério Público.

Gabriel Tota. Banido do futebol profissional pelo resto da vida. No mundo todo
Gabriel Tota. Banido do futebol profissional pelo resto da vida. No mundo todo Gabriel Tota. Banido do futebol profissional pelo resto da vida. No mundo todo

Bauermann viajou até a Turquia e assinou contrato com duração de dois anos com o Alanyaspor. Só que, sem entrar em campo uma única vez, teve o contrato rescindido. A manobra não deu certo.

A Fifa decidiu que a pena imposta pelo Brasil valeria para o mundo todo.

Valorizou as decisões do Superior Tribunal de Justiça Desportiva.

Três jogadores foram banidos para sempre do futebol: Igor Catatau, Matheus Gomes e Gabriel Tota.

E oito tiveram penas pesadíssimas:

• Ygor Catatau (eliminação)

• Paulo Sérgio (600 dias)

• Gabriel Tota (eliminação)

• Paulo Miranda (720 dias)

• Fernando Neto (380 dias)

• Eduardo Bauermann (360 dias)

• Matheus Gomes (eliminação)

• Mateusinho (600 dias)

• André Queixo (600 dias)

• Moraes (720 dias)

• Kevin Lomónaco (380 dias)

As penas levaram em conta o envolvimento dos atletas. Houve os que aceitaram o dinheiro dos apostadores. E houve aqueles que "trabalharam" para convencer os companheiros a aceitar propina. Estes estão banidos.

Houve troca de mensagens entre os dirigentes de todo o país.

O presidente Ednaldo Rodrigues está entusiasmado. Acredita que o Brasil deu exemplo ao mundo. E que os jogadores daqui não se envolverão mais em corrupção. Por saberem que correrão o risco de serem banidos no mundo todo.

Se o Brasil não vence a Copa do Mundo há 21 anos, pelo menos hoje tem o que comemorar.

Recebeu uma dose necessária de credibilidade...

Veja as conversas entre jogadores e criminosos envolvidos no escândalo das apostas no futebol

" gallery_id="645bd3ff4b4955f1d90005bc" url_iframe_gallery="esportes.r7.com/prisma/cosme-rimoli/fifa-mantem-punicao-no-mundo-todo-11092023"]

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.