Palmeiras

Cosme Rímoli Felipe Melo, Gómez e Weverton 'assumem'. Apoio total a Cebola

Felipe Melo, Gómez e Weverton 'assumem'. Apoio total a Cebola

Diante da incompetência da diretoria em contratar um técnico para o Palmeiras, os lideres do elenco agiram. Respaldo ao auxiliar Cebola

  • Cosme Rímoli | Do R7

Os jogadores compensam a incompetência da diretoria. E dão apoio total a Andrey

Os jogadores compensam a incompetência da diretoria. E dão apoio total a Andrey

Cesar Greco/Palmeiras

São Paulo, Brasil

Duas semanas sem técnico.

Em pleno auge da temporada.

Miguel Ángel Ramírez e Sebastián Beccacece, ex-auxiliar de Jorge Sampaoli, disseram não.

Mauricio Galiotte disfarça o vexame.

E fala, sem niguém acreditar, que ninguém disse 'não' ao Palmeiras.

Nenhuma liderança como o presidente do Conselho Deliberativo, Seraphim del Grande, ou a pré-candidata à presidência e dona da maior patrocinadora do clube, Leila Pereira, se pronunciam.

O silêncio é constrangedor.

O gerente Anderson Barros segue buscando opções.

O nome de outro argentino Matias Almeyda surgiu hoje.

Ele treina o San José Earthquakes, nos Estados Unidos.

Sua maior conquista foi a Série B Argentina, com o River Plate.

Mas conselheiros ligados a Galiotte garantem.

Há outros nomes sendo analisados.

Enquanto o Palmeiras está sem rumo, houve um movimento importante no time.

Felipe Melo, Gustavo Gómez e Weverton convenceram os jogadores que o momento é de apoiar incondicionalmente Andrey Lopes, o Cebola.

Andrey Lopes explica suas decisões táticas. O ambiente entre os jogadores é ótimo

Andrey Lopes explica suas decisões táticas. O ambiente entre os jogadores é ótimo

Cesar Greco/Palmeiras

O auxiliar técnico conseguiu todo o respaldo do complicado elenco.

Felipe Melo, Gómez e Weverton têm cobrado dos companheiros a vibração, a competitividade, o empenho tático que Felipão e Luxemburgo não conseguiram arrancar no final de seus trabalhos.

Andrey tem sido muito democrático.

Conversado e explicado cada decisão que toma para o grupo de atletas.

Bem ao contrário dos gritos, palavrões do demitido Luxemburgo.

Cebola manteve a autoridade.

E conseguiu o apoio dos jogadores.

Principalmente dos líderes.

O pacto que os atletas fizeram é seguir como se tivessem uma vida paralela.

Enquanto os dirigentes passam vergonha implorando para treinadores aceitarem assumir o Palmeiras, eles vão tratando de lutar em campo.

Ficaram animados, mais livres taticamente, nos dois últimos jogos. Contra adversários fracos, Tigre e Atlético Goianiense. Mas marcaram oito gols e não sofreram nenhum.

Matías Almeyda é o 'nome do dia'. Argentino que trabalha nos EUA. Currículo fraco

Matías Almeyda é o 'nome do dia'. Argentino que trabalha nos EUA. Currículo fraco

Reprodução/Twitter

É o que vão tentar fazer amanhã, diante do Red Bull Bragantino, em Bragança, pelo primeiro jogo das oitavas da Copa do Brasil.

Os atletas aprenderam na prática.

Não podem ficar reféns da incompetência da diretoria.

E os líderes assumiram seu papel.

Dando condição para Cebola fazer o seu melhor...

Curta a página do R7 Esportes no Facebook.

Jogador do Grêmio é criativo para pedir namorada em casamento; Veja

Últimas